Resenha: Harry Potter e a Pedra Filosofal

Falar de Harry Potter é certamente a maior honra para mim pelo simples fato de Harry Potter ser um dos pilares da minha vida. Foi o primeiro livro que eu realmente li. Tinha seis anos na época, mas a fascinação por uma história tão diferente, que irradiava tanta magia, me fez cair de braços abertos no mundo desse bruxinho tão querido.

Sinopse: Harry Potter é um garoto comum que vive num armário debaixo da escada da casa de seus tios. Sua vida muda quando ele é resgatado por uma coruja e levado para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Lá ele descobre tudo sobre a misteriosa morte de seus pais, aprende a jogar quadribol e enfrenta, num duelo, o cruel Voldemort. Com inteligência e criatividade, J. K. Rowling criou um clássico de nossos tempos. Uma obra que reúne fantasia e suspense num universo original atraente para as crianças, adolescentes e adultos.
Acabei a releitura do primeiro livro faz poucos dias e garanto que meu amor pela saga só aumenta com o passar do tempo.  J.K. Rowling é brilhante, em minha opinião. Brilhante por ter conduzido tanto Harry quanto todos os seus fãs a magia em sua forma mais pura.

Em A Pedra Filosofal somos apresentados ao fato de que um mundo fantástico se esconde dos olhos das pessoas não mágicas (chamados de trouxas). Em uma noite aparentemente comum para os trouxas, os bruxos estão comemorando. O Lorde das Trevas, Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado, caiu. E caiu por causa de um bebê, cujos pais foram assassinados na mesma noite. Um bebê de apenas um ano que sobreviveu à maldição da morte, e por isso recebeu uma estranha cicatriz na testa.

O Menino-Que-Sobreviveu, Harry Potter, que viria a crescer inconsciente de seu sangue mágico, apesar das coisas estranhas que às vezes aconteciam consigo. Na mesma noite em que ganhou a cicatriz foi entregue aos tios trouxas, e com eles passou dez anos nada agradáveis. É então que no seu aniversário de onze anos, Harry descobre algo surpreendente – uma informação muito difícil de ser entregue, aliás, tudo graças aos seus parentes chatos – ele é um bruxo!

Harry Potter, nome que quase todas as crianças mágicas conheciam graças ao acontecimento de dez anos antes, então se vê ingressando num mundo onde vassouras voam, feitiços podem ser lançados e um gigantesco castelo comporta uma famosa escola de magia e bruxaria. Harry vai para Hogwarts, onde um ano conturbado repleto de aventuras e mistérios o aguarda. Mistérios que possuem uma estranha ligação com um objeto antigo e valioso, este que dá nome ao primeiro livro do bruxinho.

Detenho-me algum tempo para falar de como, com maestria e simplicidade, J.K. Rowling nos entrega essa magnífica história. Sua escrita é direta e agradável, não há enrolação nem escolha de palavras difíceis. Somos logo capturados pela maneira aconchegante com a qual ela introduz o mundo mágico aos olhos do personagem principal. Logo nos vemos exaltados em um jogo de quadribol, indignados com as atitudes de um professor cuja diversão só parece existir ao ver Harry em enrascadas ou simplesmente ansiosos para descobrir a resposta ao mistério que cerca a escola naquele ano.

Os personagens são dos mais diferentes tipos possíveis, e suas personalidades se completam com perfeição. São tantos e tão marcáveis que eu poderia passar um ano falando sobre eles. O trio principal, composto por Harry, seu melhor amigo Rony Weasley e sua amiga sabe-tudo Hermione Granger compõem o tipo de amizade para toda uma vida. A construção de cada personalidade é essencial para o livro, o que o torna ainda mais divertido para se ler. J.K. o faz de maneira excelente, seja com as travessuras dos gêmeos Weasley ou mesmo os olhares por cima dos óculos de meia-lua do diretor Alvo Dumbledore. Há tantos outros nomes e tanto para falar sobre eles, como Hagrid, Draco Malfoy, professora McGonagall, Quirrell, o último mais surpreendente de todos.

E acho que isso é uma pequena parte do que torna a saga de Harry tão inesquecível. A magia que surge a cada palavra, mesmo que colocadas de maneira simples nas páginas dos livros, nos surpreende. Sabemos que há muito mais para acontecer, e isso é atrativo. A história é muito maior do que a busca por uma pedra. A saga do bruxinho mais famoso de todos os tempos é absolutamente surpreendente e apaixonante. Os personagens nos fazem querer compartilhar de suas aventuras, de seu dia a dia, de cada feitiço aprendido por eles. O desejo de querer viajar para Hogwarts e passar por todas as aventuras que o ano escolar pode reservar é tão grande em mim quanto em tantas outras pessoas, e por isso eu sempre estarei no aguardo de minha carta. Mas enquanto ela não chega, há sempre outros seis livros nos quais mergulhar para voltar ao mundo mágico.

Título: Harry Potter e a Pedra Filosofal
Autor: J. K. Rowling
Editora: Rocco
Gênero: Ficção
Nota: 4

Compre em: Amazon | Americanas | Saraiva | Submarino

P.S.: Minha coruja pode estar absurdamente atrasada, mas eu sei que Hogwarts sempre estará lá para me receber.

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. Ahhh Denise sua linda amei o texto *-*

    ResponderExcluir
  2. Adorei HP, Jk Rowling é uma grande escritora. O livro Animais Fantásticos e Onde Habitam é maravilhoso, faz um tempinho que o li, por que alguém me recomendou e adorei que fizeram a adaptação cinematográfica.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!