Eu recomendo #1



LOL – Rindo à Toa

Direção: Liza Azuelos
Roteiro: Liza Azuelos
Sinpse: LOL significa Laughing Out Loud, ­ morrendo de rir ­ na linguagem do MSN. Os amigos de Lola, 15, também a chamam assim. Mas, no dia de seu retorno à escola, o coração de Lola não está sorrindo. Arthur, seu namorado, a provocou dizendo tê-la enganado durante o verão. Para complicar, Lola tem uma relação complicada com sua mãe, Anne, com quem o diálogo parece impossível. Mas os acontecimentos farão com que o amor entre mãe e filha reapareça.

LOL é um filme francês, estrelado por Sophie Marceau e Christa Theret, no papel de mãe e filha, respectivamente. A primeira vista ele pode parecer um filme bobinho e, para ser bem sincera, é um filme bem adolescente. Mas eu adoro como ele trata da relação entre a Lola e sua mãe.

Para quem já assistiu Gilmore Girls e adora a dinâmica entre Lorelai e Rory, vai adorar LOL. A relação de Lola com Anne me lembrou muito a serie, mas ainda com suas restrições. Lola e a mãe são muito amigas, mas quando as complicações da adolescência começam a crescer e Lola se vê perdida, tomando algumas decisões erradas, a relação das duas desanda.

As amizades, os amores e a vida das duas são contadas paralelamente e os acontecimentos funcionam quase como uma metáfora para o que elas estão vivendo, forçando a uma certa compreensão de como tudo aconteceu e porque.

Além delas, o filme ainda nos mostra os diferentes tipos de relação que os amigos de Lola têm com os pais, como a mãe relapsa de Stéphane, a mãe conservadora de Charlotte e o pai rígido de Maël.

Os diálogos não são forçados e fluem facilmente, são bem bolados e mostram bastante aquela coisa “faça o que eu falo e não o que eu faço” que os pais geralmente usam com os filhos. Um roteiro muito bem escrito, se você me perguntar, e uma bela direção de fotografia. Eu tenho uma queda bem grande para com os filmes franceses, me julguem. A trilha sonora do filme também marca presença muito bem, com um pouco de Coldplay, Beatles, Rolling Stones, Keane, Blur e muitas outras maravilhosas.

Melhores momentos

“You can’t always get what you want..” ♫

Um das minhas duas cenas preferidas entre Anne e Lola, é quando elas estão dentro do carro a caminho da escola e Anne está reclamando que achou que poderia conversar com Lola dentro do carro, mas a mesma está distraída demais com seu iPod. Então Lola tira um dos fones e dá pra mãe, e elas ficam cantando juntas. É uma cena boba, mas é bonita e engraçada. Me cativou!

A outra cena das duas é, todos os momentos em que Lola manda mensagem para a mãe, pedindo para as duas fazerem o “agarradinhas”, ou seja, ficarem abraçadas na cama. E apesar da falta de diálogo, é uma cena boa, confidente. E está presente no final do filme, passando a compreensão dele todo: apesar das diferenças, Anne está aceitando o fato de que Lola está crescendo e a filha, por sua vez, está aceitando que a mãe tem o direito de fazer suas próprias escolhas também.



Saindo do âmbito familiar, outra cena preferida é a do pirulito no metro. POR FAVOR, eu sou total gamada no Maël e na Lola, e essa cena é TÃO fofa que faz com que eu me derreta.


 E, por fim, a maneira com que os dois “se perdoam” a caminho da Inglaterra. Acho que muita coisa do filme fica nas entrelinhas, o que é maravilhoso, porque você tem vê muito mais do que estão te mostrando! Isso acontece várias vezes durante o filme e, apesar do risco de não ficar claro o suficiente, é muito bem feito e fácil de entender!


 O filme ganhou uma versão americana com Miley Cyrus e Demi Moore que estreou no começo desse ano. Assisti ele logo depois de ter assistido o original pela 12306532025 vez e eu quase quis arrancar meus olhos. Apesar de ter a Liza na produção, ela falhou E MUITO com a adaptação. A começar que não havia qualquer necessidade de adaptação, vendo que o original é de 2008 (americanos e suas necessidades de adaptar sucessos que não tem nem uma década) e depois, bem. Miley não convenceu, Demi não convenceu, ninguém convenceu! Valeu a pena pelo Douglas Booth, que atuou muito bem e foi um fofo nesse filme!

Ponto negativo para o americano por terem mudado a musica do Kyle pra Lola – desnecessário, já que copiaram até mesmo os planos do original, porque não a trilha sonora?

Em fim, LOL (a versão francesa) super recomendada! Assistam e me digam o que acharam, venham para o lado LOL da força. Assista ao trailer abaixo!













Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. eu adoro esse filme... A versão Francesa, também odiei a adaptação americana, foi desnecessário mesmo!!
    Beijos
    http://www.mybookshelf.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filme ótimo, né? Sou muito apaixonada, vou só ignorar a versão americada HAHAHAH
      Obrigada pelo comentário, Angela!

      Bianca.

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!