Coluna da Skeeter: Não seja esse autor e saiba lidar com resenhas negativas

Coluna da Skeeter: Não seja esse autor e saiba lidar com resenhas negativas






Eu pensei muito antes de escrever esse texto - mentira, pensei nada, eu só fiquei bem irritada depois de conversar com uma amiga sobre o tema. A verdade é que não é raro você encontrar autores que não sabem lidar com resenhas negativas.

Quando você entra de cabeça no mundo da literatura nacional, você conhece muito autor. E é muito autor mesmo. Hoje em dia, com a facilidade de se auto-publicar (amazon, sua linda), muita gente está correndo atrás do sonhos, colocando os hobbies a venda e angariando leitores apaixonados por suas histórias. Mas também tem ganhado leitores que não foram convencidos por elas e ai que mora o perigo. Você conhece muito autor legal, mas também muito autor que realmente não sabe lidar com resenha negativa e se sente extremamente ofendido com ela.

Acredito que eu conheço muitos autores nacionais independentes, autores que publicaram por pequenas editoras, aqueles que pagaram horrores para serem lançados por uma editora "com nome" (I feel your pain, baby) e aqueles que conseguiram entrar em editoras um pouco maiores. Tem muita gente no mercado e, embora seja um mercado em expansão, um lugar onde você não precisa ser fiel a um único autor, é um mercado cheio de opinião, de crítica.

Ao mesmo tempo em que sou uma leitora assídua, também sou uma escritora. Quanto mais leio, mais crítica me torno. Menos tempo para "livros meia boca" ou "histórias bobinhas" (eu realmente odeio esse termo) eu tenho e também não vou ter vergonha ou receio de expor o que pensei ou senti lendo o livro, não é mesmo? Esse é todo o ponto de ter um blog: dar o meu parecer sobre o que eu li ou assisti ou fiz. Eu quero falar sobre o que gostei ou não e isso é sempre um ponto de vista, uma opinião única, nenhuma declaração escrita em pedra ou verdade absoluta.

Por isso fico bem pasma com autor que não sabe lidar com resenha negativa. Pasma mesmo. E bem incomodada com essa falta de profissionalismo da parte deles. Querem gritar aos quatro ventos que são profissionais, que a literatura é a carreira deles, que escrever é o primeiro emprego... Mas não querem lidar com resenhas negativas?

Coluna da Skeeter: Não seja essa pessoa - Autor que não sabe lidar com resenhas negativas

Se você trabalha em um restaurante, por exemplo, e devolvem um prato porque ele está salgado demais, você prova e acha que está bom, o que você faz? Vai lá gritar com o cliente e falar que ele não sabe todo o trabalho que deu para cozinhar aquele prato, que ele não sabe o que você passou na vida, que a comida está ótima como está e que se ele não gostou não deveria reclamar?

Claro, né. Quem nunca? #sqn

Quando minha amiga (que, aliás, é outra blogueira) disse que estava tendo uma péssima experiência com um nacional que ela estava muito interessada em ler, logo caímos na conversa de "mas o que tá fazendo isso?" porque gostamos de discutir os pontos que não gostamos, de pesar se é algo que desagrada mais ou menos outras pessoas, se nós interpretamos errado ou o que quer que seja. Quando terminamos a conversa tudo que eu tinha para dizer era: mal posso esperar pela sua resenha. Porque eu concordei com tudo que ela tinha desgostado, porque eu acho que ser sincera sobre o que você leu é importante. A vida é tão curta para ficar lendo livros que a gente não gosta (ou ficar gastando pra depois abandonar). É por isso que eu leio resenha, é por isso que eu pesquiso sobre os livros. Porque eu não quero ler coisas ruins, eu só quero ler o que me agrada, eu só quero falar bem, eu quero ter as melhores experiências do mundo com os livros!

E quando uma blogueira desgosta de um livro dessa forma -- um que eu também tinha muito interesse em ler -- eu quero saber sobre, eu quero ser avisada de que, como gostamos das mesmas coisas, talvez eu não vá gostar dele.

Mas a resposta dela foi "Não vou resenhar, vou fingir que nem li. Minha amiga (insira o nome de outra blogueira) resenhou e nem falou nada demais e a autora já criou picuinha. Não quero passar por isso". E ai veio a indignação, uma que não se refere apenas a essa autora, mas a tantos outros que eu vejo por ai -- que eu tinha no meu facebook.

Tanta gente que, ao receber uma crítica ruim, escrevia um texto enorme no facebook falando sobre como o blogueiro estava atrapalhando suas vendas, sobre como ele não pensava no que o autor tinha passado para escrever aquele livro, em quantas noites o autor virou acordado para terminar a obra, em como a vida dele era difícil e que se auto-publicar não é fácil para o blogueiro ir lá e falar que não gostou.

É sério isso, gente? É sério que por que, sei lá, você tem problema com os seus pais então automaticamente o seu livro TEM que ser bom e agradar a todos? Que por que você ficou três anos pesquisando para escrever o seu livro, obrigatoriamente, as pessoas só podem falar bem dele? Que devido ao fato de você fazer tudo sozinha - texto, revisão, capa, publicação, marketing -- eu tenho que te achar um super autor e bater palmas e falar que o seu trabalho é tudo de bom, mesmo que eu tenha achado péssimo?

Por que faz isso, autor? POR QUE?

Concordo que não há necessidade alguma de descer do salto e xingar autor e obra ou expor de forma difamatória. Acho escroto quem faz isso, acho desnecessário diminuir uma obra. Mas criticar é algo muito diferente de diminuir.

Diminuir uma obra é quando você fala que o livro da Kéfera é ruim porque foi escrito por uma vlogueira e que esse é o fim da literatura nacional (porque profissão tem tudo a ver com capacidade de escrever), porque esse alguém só vendeu o que vendeu porque tem um canal com mais de cinco milhões de seguidores (quem não queria? Leitor é leitor) ou que não foi ela que escreveu o livro (sério que você solta isso por ai? Tem provas?).

Coluna da Skeeter: Não seja essa pessoa - Autor que não sabe lidar com resenhas negativas
Realmente desnecessário e no máximo um factóide :)
Agora criticar é quando você lê algo (lê de verdade, não como quando ~você~ sai por ai falando mal de Crepúsculo e 50 Tons de Cinza sem nem se dar ao trabalho de ler um pouco deles) e aponta o que não gostou. Quando você pega um livro e fala: olha, não gostei disso, disso e daquilo, e deixa que as pessoas formem suas próprias opiniões.

Se você não gostou de uma protagonista que é contraditória (digamos, uma mulher que se diz moderna e pra frente e nada submissa, mas que vive soltando comentários machistas) você não tem obrigação nenhuma de conter isso pra si mesma. Você pode sim colocar na sua resenha, você sentiu que ela era contraditória, você não acreditou na história dela e nem tem obrigação de gostar da personagem. E ai vai do leitor decidir se, com base nisso, ainda quer ou não ler a história.

E o autor não tem nada que reclamar disso. 

Porque quando você escreve um livro, você escreve a metade de uma história, a outra metade vai ser feita pelo leitor, pela forma com que ele vai interpretar o que você escreveu, pelo que ele vai sentir lendo aquilo. E você não tem controle sobre isso -- nem o próprio leitor tem, na maior parte das vezes. Essa é a beleza de escrever, é uma arte, e não existe certo ou errado para arte, existe a interpretação de cada um que contempla ela. Quando falamos de arte e opinião, é tudo subjetivo, nada é verdade absoluta.

Quando você escreve algo e joga ao vento, quando você se dispõe a deixar que outras pessoas leiam o que você escreve, está se abrindo a mil e uma possibilidades. A chance de tocar um leitor de forma tão cativante que vá fazê-lo chorar, que vai fazer com que ele leia todos os seus livros, se torne seu fã e escreva mensagens e resenhas apaixonadas sobre o seu livro; mas também está se abrindo a possibilidade de encontrar leitores que não vão se conectar com a sua história, que vão desgostar dos personagens, que nunca mais pegarão um livro seu na mão e que, também, escreverão mensagens apaixonadas sobre isso.

E se você não sabe lidar com isso, se você não consegue aguentar crítica, então não permita que outras pessoas leiam o que você escreveu.

Caramba, ao escrever esse texto aqui, agora, eu estou dando a cara a tapa e correndo o risco de ter comentários negativos, falando que disse grandes besteiras e que, sei lá, para apoiar a escrita não se pode mesmo resenhar negativamente -- eu mesma conheço blogs com políticas de não resenhar livros dos quais não gostaram. Mas quer saber? Se esses comentários vierem, eu não vou apagar eles, eu não vou atacar ninguém, eu não vou criar picuinha: eu vou respeitar o direito a opinião própria deles.

Porque eu defendo um mundo onde as pessoas tenham informações disponíveis ao seu alcance e que elas possam formar suas próprias opiniões sobre tudo. Manipular e coagir blogueiros a não escrever comentários negativos sobre a sua história é tirar informações e impedir que as pessoas pensem por si mesmas.

Não é porque você você deu um duro danado no seu livro que o mundo é obrigado a amar ele e só falar bem dele. Assim como não é culpa do vlogueiro que tá vendendo feito água no deserto e você não, assim como não é culpa das editoras com maior distribuição que não confiaram no teu manuscrito, assim como não é culpa do "povo brasileiro sem cultura" (argumento que geralmente vem acompanhado de um comentário menosprezando a cultura com a qual não se identifica).

Coluna da Skeeter: Não seja essa pessoa - Autor que não sabe lidar com resenhas negativas

Não seja esse autor.

Não seja essa pessoa que acredita que está em uma rede de injustiça cósmica porque seu livro é tão bom e só uma explicação mítica para justificar o fato de ele não ser um best-seller ainda.

Não seja arrogante.

Lembre-se que muitos e muitos artistas só foram reconhecidos depois de mortos, teve muita arte sendo feita antes do seu tempo. Existiram autores que eram considerados ralé e hoje são alta literatura - Shakespeare te manda um beijo!

Talvez o seu livro seja uma obra que muitas pessoas não estejam prontas para ler, talvez ele vá fazer sucesso daqui a vinte anos. Ou talvez ele não esteja tão bem escrito assim, talvez falte um olhar crítico de mãe, talvez você deva deixar ele na gaveta e ler daqui há um ano, para ver se ainda sente a mesma coisa.

Talvez você não deva culpar os outros por algo que está fora do alcance de todo mundo.

Talvez, e só talvez, o mundo não gire em torno do seu umbigo.

Talvez esse texto não seja para você.

Talvez ele seja.


______________________________
Nota de esclarecimento: a Coluna da Skeeter é uma coluna anônima e colaborativa, mas como o tema de hoje fala sobre dar a cara ao tapa e saber respeitar opiniões contrárias -- além de ser escrito por uma das administradoras do blog -- nada mais justo do que botar a cara no sol, né?
E lembre-se: se você quiser participar, é só encaminhar seu texto para o e-mail equipesomaisum@gmail.com, o anonimato é garantido.

Share this:

,

COMENTÁRIOS

8 comentários:

  1. SENSACIONAL!!!!!!
    CONCORDO COM TUDO!!!!

    Quando comecei meu blog, fiquei na dúvida se colocava resenhas negativas, mas quer saber? VOU COLOCAR SIM!

    Parabéns por essa coluna sensacional!

    Excelente texto!

    Bjs,

    ---
    http://surtandocompalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloca sim! O porque quer saber sua opinião, se não, não iria te seguir ;)

      bjs

      Excluir
  2. Mana, me APAIXONEI pelo teu texto!

    Só verdades.

    Essa semana mesmo, vi uma resenha negativa em um blog, e a autora fez um textão no blog da menina dizendo que ela tinha desmerecido o trabalho dela e blá blá blá, fiquei indignada. Os blogs servem exatamente pra isso, pra gente expressar nossa opinião. Eu não acredito que ela publicou um livro e acreditou que todas as pessoas da face da Terra que lessem o livro iam amar, porque isso NUNCA acontece.

    Quando se publica um livro, você tem que aceitar os elogios e os comentários negativos, e tentar melhorar a partir disso!

    Beijos,

    http://sweetlikecaramel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiim, Nazaré!
      Nem só de elogios vivem livros!
      Muita gente espera que o povo fique quieto quando lê algo que não gosta. Sou da opinião de que tem que postar resenha negativa sim. Eu quero saber a opinião de quem gostou e quem não gostou, quero saber os pontos para poder avaliar se é mais provável que eu goste ou não do livro. Não quero perder tempo com uma leitura que não é do meu agrado, quando tem tanta coisa para ler por ai.

      bjs

      Excluir
  3. Interessante esse tema! Antes de começar a publicar no meu Blog, eu refleti sobre as possíveis críticas e os prováveis "haters" que encontraria ao disponibilizar as "historinhas" (como eu costumo chamar) na web. Sabe a conclusão a que cheguei? "Ah, vou publicar assim mesmo. Se vierem críticas sérias, controlarei meus ânimos para tentar encará-las como oportunidades de melhoria. E se vierem os "haters"... deixarei-os fazendo aquilo que eles sabem fazer, que é "hate"!

    Seu post me fez pensar em mais uma coisa: não necessariamente uma crítica negativa fará as pessoas desistirem de ler uma obra. Por exemplo, o que me levou a ler "Cinquenta Tons de Cinza" foi o fato de ter encontrado muitos elogios, por um lado, e muitas críticas negativas, por outro. O fato de ter encontrado tantas opiniões contraditórias, particularmente, me deixou curiosa sobre o que havia naquele livro tão famoso, daí decidi ler para tirar as minhas próprias conclusões!

    Por outro lado, dependendo da situação, penso que um autor mais recente, em tese, estaria menos preparado para lidar com críticas negativas do que um autor mais "tarimbado"...

    Bom, só sei de uma coisa: não tenho o poder de controlar o que os outros fazem ou dizem. Só tenho o poder de gerenciar o meu próprio comportamento frente às circunstâncias que surgem na vida, sejam positivas ou negativas. Como você é uma resenhista séria, o melhor é continuar a fazer o trabalho sério que você já faz.

    Um forte abraço!

    http://lembrancaseinvencoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana!
      Está certa, não temo como controlar o que os outros fazem ou falam e nem mesmo os gostos deles. As pessoas tem opiniões diferentes e uma das coisas que precisa-se levar em consideração antes de publicar algo, é que você vai ouvir muitos elogios e muitas críticas. Se você não está preparada para as críticas, então não está preparada para jogar sua história no mundo.
      E críticas (quando não são hate gratuito, claro) são sempre uma oportunidade de crescer e aprender. Não existe um momento na vida em que estamos "prontos", sempre tem espaço para aprendizado. Então acho importante manter-se aberto.

      Obrigada pela sua opinião!

      bjs

      Excluir
  4. Parabéns pelo texto, você está certíssima! Eu, como leitora assídua de blogues literários, preciso confiar na crítica do blog. Vou falar a verdade, eu não perco meu dinheiro comprando livros ruins, então eu leio muitos blogues, e levo as opiniões realmente à sério. Agora o que eu vejo muito acontecer é o seguinte, os críticos pegam mais leve com autores brasileiros, dois pesos, duas medidas sabe? Cada livro ruim, ruim mesmo, que por ser de um autor brasileiro leva uma boa crítica... Não sei se o motivo é o que vc comentou, o medo de criar um mal estar, passar por uma "situação vexatória" ou a pura e simples camaradagem, ser legal com o compatriota, sei lá. Só sei que fico com pé atrás quando leio resenha cheia de elogios para um livro brasileiro. Na hora vou buscar outras opiniões. Livro custa caro e tem muito bons livros no mundo pra gastar dinheiro com porcaria... Então por favor, seja sincera! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice!
      É indispensável mesmo que os blogs tenham a liberdade de dar uma opinião sincera. Acredito que uma coisa é você tecer ataques pessoais a autor/a ou a obra dele/a (o que não deve acontecer), outra é criticar os pontos que te fizeram ter uma experiência ruim com a leitura.
      Sou como você, quando vejo uma resenha que elogia muito um livro nacional, eu desconfio. Até porque muito livro nacional é publicado sem uma revisão crítica do texto, sem uma avaliação para conferir a coerência, sem alguém que prepare o texto. E, como você disse, muito blog sai na camaradagem, não querendo ser responsável porque alguém desistir da compra daquele livro e prejudicar o autor, já que vender livro é tão difícil... E outros tantos não querem passar por situações constrangedoras onde recebem o livro de graça, não gostam, publicam resenhas negativas e os autores ficam irritados.
      Acredito que precisa ter comprometimento de ambos os lados: os blogueiros precisam saber que devem honestidade aos seus leitores e os autores precisam saber que escrever um livro é via de mão dupla, que as pessoas vão ler e nem todos vão entender como ele entende: algumas pessoas não vão gostar e é preciso saber lidar com críticas.
      Obrigada pelo comentário!

      bjs

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!