Fangirl: Scarlett O'Hara

Fangirl: Scarlett O'Hara

Há algum tempo, quando eu fiz o #TBT - E o Vento Levou sobre o filme, e bem antes de falar sobre os livros E O Vento Levou, eu havia prometido um fangirl sobre essa personagem que tanto me encanta.

Demorei, mas enfim estou aqui com ele!

Scarlett O'Hara, para quem ainda não perdeu a orelha de tanto me ver falar sobre isso, é a filha mais velha de um rico fazendeiro do interior da Georgia. Mimada, egoísta e criada para ser uma linda esposa, Scarlett viveu os 16 anos de sua vida em uma sociedade escravocrata e sulista.

Mas após um churrasco na fazenda vizinha, Scarlett vê a vida mudar - ainda que não saiba disso - diante do estopim para a Guerra da Secessão.

Os próximos dez anos de sua vida são regados a dificuldades, amores perdidos e proibidos, excessos, promessas, guerra, fome e reconstrução.

Scarlett é uma garota tola, que cresce no meio do desespero e se apega ao passado como carrapato, ela decide que segurança financeira é a coisa mais importante da sua vida e não vai parar até ser tão rica que ianque nenhum poderá ser uma ameaça novamente.

Fangirl: Scarlett O'Hara

Astuta e inteligente demais, algo nem um pouco bem visto naquela sociedade, Scarlett coleciona desafetos em Atlanta, onde passa a morar durante a guerra, e só não é completamente rejeitada devido a Melanie, sua cunhada que acredita na família e nas dividas de sangue.

Scarlett é a síntese do que a sociedade fez das mulheres por tanto tempo - e ainda faz. Reprimirem seus desejos e inteligência - ao invés de tomar a frente dos negócios do marido e prosperar, era esperado que ela passasse fome perante o fracasso dele como comerciante - e, acima de tudo, transformam todas as mulheres em competidoras, ansiosas por tirar o que "pertence" a outra, especialmente se forem pretendentes.

Mas a forma com que Mitchell desenvolve Scarlett deixa claro que esses comportamentos foram condicionados pela sociedade e, em parte, pelo gênio forte de uma garota oprimida pelos bons costumes.

Fangirl: Scarlett O'Hara

Ela é guerreira e heroína de si mesma, ela não espera que um homem venha salva-la - mesmo sabendo que era isso que esperam que fizesse. Ela gosta de trabalhar, de ter algo que é seu e luta com unhas e dentes para garantir a segurança daqueles que ama, ainda que seu amor seja distorcido pela visão de que faz isso pelo dever a família. 

Scarlett foi moldada por um tempo duro, cresceu tão rápido que nem percebeu, continuando a se agarrar a sonhos e anseios de menina, da menina que viveu em uma época lenta e calma, segura. Sonhos e anseios que não batem com o tempo que vive no presente e no fim, com a pessoa que se tornou.

Eu sempre me pergunto se eu gosto da Scarlett por ser uma mulher tão incrível e confusa em uma época tão perigosa para mulheres como ela, ou porque é o melhor trabalho de construção de personagem que eu já vi.

Fangirl: Scarlett O'Hara

A verdade sincera, no entanto, é que ela faz parte de um espectro completamente diferente do que você esperaria de uma protagonista; enquanto a maioria dos autores tentam de tudo para mostrar que seus personagens são boas pessoas (sério, tentam tanto que estragam), Mitchell construiu uma personagem tão real que é fácil ser odiada pelos leitores. Porque Katie Scarlett O'Hara jamais vai se importar com a sua opinião - não de verdade, ao menos - e ela sempre, de qualquer forma, vai dar um jeito de cuidar de si mesma e da sua família.

Ela é, ainda, tão feminista! Mesmo com os comentários que ela chega a fazer sobre como os homens deveriam cuidar das mulheres, como ela deveria ser cuidada e paparicada ou como não concorda com Susan B. Anthony - porque para ela ser feminista é abdicar da feminilidade, uma mente bem parecida com de muitas mulheres hoje em dia - a verdade é que ela é forte demais para aguentar qualquer pessoa mandando, mesmo que seja Rhett, a única pessoa (além de sua mãe) que consegue dominá-la. Ela é forte demais para esperar que qualquer pessoa cuide dela, ela é realista demais para acreditar de verdade que o papel da mulher deve ser o de uma chorona saudosista da governo confederado, ela é muito prática para perder tempo chorando pela perda enquanto morre de fome e doença.

Fangirl: Scarlett O'Hara

 Fangirl: Scarlett O'Hara

Eu não sei explicar, só sei dizer que Scarlett, dentre todas as personagens femininas que eu amo - como Claire, em Outlander; Marian em A Cidade do Sol; Tessa em As Peças Infernais; Rose em Vampire Academy - é a minha heroína preferida. Por ser tão real e verdadeira e honesta em suas palavras.

Share this:

, , ,

COMENTÁRIOS

5 comentários:

  1. Amei a postagem!
    E esses vestidos? Amei todos!!!

    Pelo o que eu li de todas as suas resenhas, ela é uma personagem incrível!!!
    Um dia lerei os livros!!!


    Beijos,
    Gi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloca na sua fila, viu! Porque é um livro muito, muiiiito bom. Com uma narrativa impecável e personagens muito bem desenvolvidos <3

      bjs,

      Excluir
  2. Me aceita se disser que nunca assisti? Conheço e tenho vontade, mas nunca parei para ver mesmo. =O Que post lindo!!

    Beijos,
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aceito sim HAHAHAHAHAHAHAH
      Olha, se um dia tiver a oportunidade de ver o filme ou ler os livros, não hesite! Pode ir com fé <3

      bjs

      Excluir
  3. Sinceramente, por ela ser tão autêntica e interessante, acho difícil alguém odiar a Scarlett!
    Amei a resenha, disse basicamente tudo que sinto sobre uma das minhas personagens preferidas.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!