Resenha: Missão Pré-Sal 2025 - Queria Estar Lendo

Resenha: Missão Pré-Sal 2025

Resenha: Missão Pré-Sal 2025

Missão Pré-Sal 2025 é o primeiro romance de Vivianne Geber, que nos cedeu um exemplar para a resenha através da nossa parceria com a ABERST. Um romance de espionagem sobre a marinha brasileira e um jogo de gato e rato na Inglaterra, onde ninguém é quem parece ser.
Sinopse: Londres, segunda década do século XXI. Rodolfo Ruppel, oficial da Marinha brasileira, é enviado à capital britânica numa missão secreta, sob o pretexto de participar de evento de uma empresa especializada em defesa naval. Viaja com a esposa, Carla, e pretende aproveitar a oportunidade para tentar reinventar o casamento já desgastado. Pouco lhe é informado acerca da missão, mas sabe que terá de recapturar informações roubadas sobre o ambicioso Projeto Pré-Sal 2025, grande conquista tecnológica da Marinha brasileira: um submarino híbrido, semidiesel, seminuclear – a arma capaz de alçar o país à elite militar mundial –, cujo principal objetivo era a defesa do pré-sal brasileiro. As instruções, criptografadas em Os girassóis, de Vincent Van Gogh, envolvem Ruppel em uma rede de alianças e traições, trama intrincada em que conhece a misteriosa e sedutora engenheira naval Victoria Borges, que o conduzirá a um mundo de prazer e perigo até então desconhecido. Vivianne Geber é militar há 17 anos, prestando assessoria jurídica à Marinha do Brasil. Em Missão pré-sal 2025, a autora utiliza seu conhecimento profissional para trabalhar com grande habilidade questões factuais na envolvente trama de espionagem. 
O comandante Rodolfo Ruppel chega a Inglaterra sobre a falsa pretensa de participar de um congresso em nome da marinha brasileira quando, na verdade, está ali para recuperar os projetos do pré-sal 2025, um submarino híbrido que pode alavancar o Brasil. Com a ajuda de Victoria, uma engenheira naval que trabalha para a CIM - o centro de inteligência brasileira - eles precisam recuperar os projetos do submarino e encontrar o traidor.

Mas conforme a história se desenrola, Ruppel percebe que pode não estar a par de toda a verdade. De repente, todos são suspeitos e ele pode confiar apenas em si mesmo para desenrolar a trama de mentiras, traição e corrupção na qual se encontra.

Como disse nas minhas primeiras impressões, eu nunca tinha lido um romance de espionagem antes de Missão Pré-Sal 2025. Já vi alguns filmes, e não curti muito a vibe - sai pra lá, 007 -, mas a gente precisa sair mais da zona de conforto e aqui estou eu.
Ele estava em um jogo de xadrez, e seu peão precisava chegar do outro lado do tabuleiro para recuperar a rainha.
Vivianne Geber criou um cenário instigante e bem vívido. Nós queremos saber o que está acontecendo, viramos as páginas em busca de respostas e nos envolvemos com aquele projeto, especialmente porque ele parece tão real. A autora tem domínio dos assuntos que discute, sobre as forças armadas, e também conhecimento sobre a ambientação da história, na Inglaterra - mesmo que vez ou outra as informações tenham sido dispostas de forma muito didática. Embora eu não tenha conseguido me conectar ou me importar com o protagonista, nada disso muda o fato e que eu queria saber o desenrolar da história. Eu queria ver até onde tudo aquilo ia e como todos os personagens se encaixariam. 

Resenha: Missão Pré-Sal 2025

Mas a verdade é que, acabei descobrindo no skoob, o livro é o primeiro de uma série, então não temos respostas para todas as perguntas que ficaram no ar. O arco a respeito das informações que Ruppel precisava recuperar se fecha nesse livro, mas diversas cenas passadas em Frankfurt, na Alemanha, deixam outro arco em aberto para uma continuação. E eu não sei como me sinto com isso.

Estou dividida. Por um lado, eu sinto que foi uma forma inteligente de dar continuidade a história, mas por outro lado, o núcleo de Frankfurt não teve importância nenhuma para a história contada em Missão Pré-Sal 2025, se ele tivesse sido cortado inteiramente, não faria diferença. Ele só importa no fim do livro, e ainda assim não explica porque tivemos que ler tanto sobre ele. Então fico aqui, sem saber classificar como me sinto com essa parte da história.

Aliás, não é só o núcleo de Frankfurt que tem pontos de vista que eu não entendi o motivo de existirem. Pontos de vista da sogra, de uma secretária e de uma mulher que vê uma agressão ao lado de casa não parecem ter adicionado nada a história.
Quanto mais a pessoa aparentava inocência, mais perigosa poderia ser.
Além disso, uma coisa que me incomodou bastante no livro foram as personagens femininas. Eu tô sempre falando disso porque é um ponto muito importante pra mim, e me senti um pouco desconfortável aqui. Não senti que nenhuma personagem, no geral, tenha sido bem aprofundada, mesmo o protagonista. Ruppel foi criado com todo um background, dá pra ver que a autora realmente se importou com a construção dele, mas na hora de transpor isso, para mim, sentiu apenas como informações soltas. Não sei se foi porque a narrativa é muito direta ao ponto - o que eu até gosto - ou porque eu senti ele muito um "ex machina" - outra coisa que eu não me importo muito, vide que amo Jorg na trilogia dos espinhos -, mas apesar de eu saber de tudo sobre o Ruppel, não me senti conhecendo ele de verdade.

E quando a gente chega no tocante as personagens femininas, eu senti muito estereótipo. A esposa louca, a sogra megera, as espiãs lindas e sensuais. A personagem que mais tem destaque é a Victoria, conhecemos mais do passado dela e dos problemas pessoais e o que torna ela humana - embora ela não pareça humana para mim - e ainda assim, ela parece muito unilateral, como todas as outras personagens. Todos eles parecem ser uma única coisa, o que não colabora para sentirmos eles mais humanos.

No fim, mesmo que eu nunca tenha pego um romance de espionagem na mão para ler na vida, me senti lendo um dos anos 80, do tipo que a gente acha no sebo, escrito por um homem. Queria poder dizer que ele superou as minhas expectativas, mas me deixou desejando algo mais.

Resenha: Missão Pré-Sal 2025

O clímax foi um ponto alto, com revelações interessantes e outras nem tanto, mas a resolução da história não é mostrada, apenas contada por cima. Cinco páginas da gente sabendo o que aconteceu, mas não vendo nada. Muitas das coisas que são reveladas ali, podiam ter sido mostradas no decorrer do romance. O mistério ficou muito suspenso, a gente nunca descobria nada de novo e cortava para pontos de vista que não tiveram real influência na história contada aqui.

Não sei se fui eu que não entendi ou se deixei passar alguma coisa na história, mas a verdade é que por grande parte do livro não temos revelações. Novas desconfianças são adicionadas, sim, mas a gente não vai descobrindo a história aos poucos, para soltar um AHA quando chega no clímax. A gente vai bem as cegas, apenas desconfiando de um ou outro personagem, sem saber o que está procurado, até que o clímax explica 1/3 e o penúltimo capítulo conta o resto.
Uma coisa era atirar contra um algo, outra era atirar numa pessoa.
O que realmente dá um novo gás a história é o último capítulo. O gancho que ficou ali foi simples e conciso, explicou porque algumas revelações não foram feitas e deixou bem claro que há um segundo volume por ler. Aliás, faz com que a gente queira pegar o segundo para ler.

Como eu estive bem fora da minha zona de conforto, indico especialmente para os fãs de romance de espionagem, que podem se identificar mais com a história e o estilo bem mais do que eu. E se você já leu, me chama para conversarmos sobre!

Título original: Missão Pré-Sal 2025
Autora: Vivianne Geber
Editora: Galera Record
Gênero: Romance policial
Nota: 2,5
Skoob

GOSTOU DO LIVRO? ENTÃO COLABORE COM O BLOG COMPRANDO PELOS NOSSOS LINKS!

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

26 comentários:

  1. É ruim quando os personagens não nos cativam ou não há aquela identificação.. mas parece ser uma história interessante..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Monique!
      A história é interessante sim, certamente quem curte o gênero vai aproveitar bem mais do que eu!

      bjs

      Excluir
  2. Olá!
    Não sou mto fã do gênero mas confesso que tinha um interesse me ler esse livro, mas li algumas resenhas que me desanimaram um pouquinho, vou deixar na listinha quem sabe um dia mudo de ideia.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!
      Acho que gosto é muito volúvel, então deixa na sua listinha sim. Vai que você curte mais do que eu, né?

      bjs

      Excluir
  3. Oi Bibs.
    Também não gosto muito de filmes, séries ou livros de espiões.
    Não fiquei muito interessada em ler esse livro, apesar da ideia ser interessante e se passar em parte aqui no Brasil.
    Que pena que os personagens não te cativaram. Se não temos nenhuma ligação ou empatia com os personagens dificilmente a leitura será satisfatório.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pam!
      Já li alguns livros que fiquei "meh" para os personagens, mas por serem de gêneros "meus" eu até consegui curtir a leitura, o difícil é quando a gente tenta escapar da zona de conforto...

      bjs

      Excluir
  4. Oiii Bibs

    Esse também seria bem fora da minha zona de conforto, tão fora que eu relamente não sei se leria ou não, ainda mais tratando-se de mais uma série... de momento deixo só anotado, vamos ver se com o tempo me animo ou surge a oportunidade... Frustrante essa apatia das personagens femininas na história.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice!
      Menina, também tô tentando fugir de séries, mas ultimamente só me interesso por ela. Send help, lord. UASHUAHSUAHSUAHS

      bjs

      Excluir
  5. Ainda não conhecia o livro e confesso que também não tenho o hábito de ler livros deste gênero, por simplesmente as vezes não me conectar com a historia. Esse foi um livro que não teria interesse, pela temática em si e por se tratar de série que estou evitando no momento. Mas bacana ter os pontos que não te agradaram tanto a leitura, creio que será uma dica aqueles que se interessaram ao livro, para não ter tantas expectativas sobre ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michelli!
      Acho que um dos melhores conselhos pra leitores é nunca ir com muitas expectativas. Dessa forma se o livro for bom, a experiência vai ser ainda melhor, né?

      bjs

      Excluir
  6. Oii!
    Não sou fã do gênero também, mas a premissa é bem interessante!
    Que pena que tem falhas quanto aos personagens. Complicado quando não são bem aprofundados!

    Beijão!
    https://blogperdidanasnuvens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Personagens mais unilaterais são traços narrativos que não me agradam muito, mas geralmente fazem da leitura algo bem rápido e fácil. Pode agradar muita gente por isso, né? Pena que não era exatamente na minha curva.

      bjs

      Excluir
  7. Oi, Bibs!
    Menina, olha... só de saber que é série, meio desisti porque ando evitando. Depois desse esteriótipo das mulheres, aí mesmo deixo de mão.. esse negócio de espiãs sensuais e tals é algo que tenho RANÇO DEMAIS por causa de James Bond.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da Folia Literária 2018: cinco kits, cinco sortudos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Nem fala, tô fugindo de série, mas cada vez que pego um é pimba, série UAHSUAHSUAHSUASUAHSUAHS eu sou muito mais das histórias dirigidas pelos personagens, sabe? O plot pode ser "um dia na vida do zé ninguém" mas se o zé ninguém for interessante e tridimensional eu leio e choro e bato palmas, então esse daqui não funcionou muito pra mim, infelizmente.

      bjs

      Excluir
  8. Bianca!
    Como é boa ma análise franca e sincera, não é mesmo?
    Já estava aqui achando que seria uma daquelas leituras inesquecíveis, afinal uma tremenda trama de espionagem com vários núcleos e com as forças armadas envolvida, e ainda bem fudamentada, seria uma leitura agradável; porém, com personagens sem grande aprofundamento, opiniões desnecessárias para a trama e ainda muitas questões a serem respondidas em próximos livros da série, fiquei bem na dúvida se quero ou não ler.
    “Acredite na justiça, mas não a que emana dos demais e sim na tua própria.” (Código Samurai)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudy!
      Fico feliz em saber que gosta das nossas resenhas <3
      A trama é, de fato, bem interessante. Os personagens que me perderam um pouco. Acho que quem é fã do gênero e tá acostumado com o tipo de narrativa vai se entreter mais, sabe?

      bjs

      Excluir
  9. Oi, Bibs

    Eu não conhecia o livro e o gênero também é muito distante daquilo que eu costumo ler. Uma pena todas essas ressalvas, principalmente quanto ao longo período sem revelações, me dá uma sensação de prolixidade, sabe?

    Eu acho que esse eu não leria não, infelizmente.

    Beijocas
    - Tami
    www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami!
      Te entendo. Mas esse também foi meu primeiro livro no gênero, não sabia ao certo o que esperar. Acho que talvez a gente não seja bem o público-alvo :P

      bjs

      Excluir
  10. Me pareceu ser um livro confuso, mas leria, porque tenho gostado muito de suspense e como tem uma continuação as coisas que não foram explicadas podem ser reveladas nas continuações, ótima resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana!
      Se você curte suspensa, provavelmente vai curtir esse. O fim mesmo deixa um gancho bem interessante, usando personagens que a gente não esperava que fossem ter esse papel. Espero que tenha a oportunidade de ler em breve!

      bjs

      Excluir
  11. O interessante do livro é que é quase a ficção científica mas eu não me sentia muito atraída pela História Eu já li um livro parecido não sei se foi do mesmo autor mas me decepcionou muito então tô bem receosa frente a essa leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Na realidade, a premissa parece bem real e atual. Quanto a isso, achei bem interessante. Mas é difícil a gente dar uma chance pra um gênero novo quando já chega meio escaldado né?

      bjs

      Excluir
  12. Bianca, agradeço a resenha sincera. Mudaria algumas coisinhas se escrevesse o Missão Pré-Sal 2025 hoje e procurei acertá-las no meu novo livro -- Missão Terra Firme. Espero que não desanime em ler a continuação. Beijo, Vivianne Geber

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vivi!
      Acho que todo autor, quando olha para trás, faria coisas diferentes, né? Faz parte. E com certeza quero conferir o próximo, o fim deu aquele gás que deixa a gente OPA, PERAÍ. Obrigada por confiar na gente.

      bjs

      Excluir
  13. Não é um gênero que me identifico muito, quase não leio livros sobre espionagem, mas este realmente me deixou curiosa, realmente uma pena que tudo tenha sido revelado de uma vez e não aos poucos.

    ResponderExcluir
  14. Li a resenha em outro blog e confesso que até gostei da história. Se fosse pelo título não leria, ficou um título muito sem graça, ficou parecendo nome cientifico ou de conferência. Vou dar um voto de apoio ao livro e tentar ler em alguma oportunidade .

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!