Controle Remoto: Tidelands

  • 09:00
  • 23 de jan de 2019


  • Tidelands é uma das mais recentes séries originais da Netflix - a primeira produção australiana. A história, que acompanha Cal, uma jovem mulher que acabou de sair da prisão, em seu retorno para casa, entretêm, mas conta com personagens difíceis de se conectar.

    Quando Cal McTeer volta para a pequena cidade de Orphelin Bay, ela só estava buscando sua parte do testamento do pai, um pescador que morreu em alto mar, para então recomeçar a vida longe de todos aqueles que parecem não se importar com ela - e, depois de passar 10 anos presa e perder toda sua adolescência, ela também parece não se importar muito com eles.

    Controle Remoto: Tidelands

    Mas assim que chega a cidade ela se vê envolvida nas atividades ilegais do irmão, Gus, que envolvem pessoas perigosas na sua cidade e também nas Tidelands, uma comunidade fechada que não lida muito bem com forasteiros e é cheia de segredos. Vista por muitos como uma "comunidade de hippies", há aqueles poucos que conhecem a verdade sobre aquelas pessoas que, no fim, tem muito mais em comum com Cal do que ela já imaginou ser possível.

    Misturando o misticismo das sereias com o submundo do tráfico de drogas, a história tem um ritmo acelerado que não fica se enrolando para revelar segredos e desvendar suspenses. Logo no primeiro episódio já descobrimos que Cal não é uma pessoa qualquer, e tem um importante papel a desempenhar nos planos futuros de Adrielle, a líder da comunidade das Tidelands.

    Porém, apesar da premissa interessante, as personagens deixaram um pouco a desejar e não é fácil ou rápido se conectar com eles - isso se você conseguir se conectar de qualquer forma. Ficou faltando química, em especial entre Cal e seus interesses amorosos, e com exceção da Elsa Pataki e do Aaron Jakubenko - Adrielle e Gus, respectivamente - nenhum ator realmente me convenceu na atuação. Não fiquei tão imersa na história como comumente acontece e, não sei se pelo roteiro, que parecia muito explicativo e as vezes piegas, ou pela atuação mesmo, eu me desconectava da história muito facilmente.

    Controle Remoto: Tidelands
    Controle Remoto: Tidelands

    Alguns pontos da trama eram bastante óbvios, também, e consegui descobrir eles alguns episódios antes do plot todo se desenvolver. Porém, apesar de não ficar surpresa com grande parte das revelações, ainda assim a série conseguiu conquistar a prosseguir com os episódios - mas não sei dizer se foi curiosidade genuína ou só preguiça de trocar de programa.

    Teve alguns arcos que não me agradaram e até me fizeram torcer a boca, como o fato de sereias serem sempre representadas como criaturas promíscuas, ou o óbvio queer baiting e ainda os estranhos relacionamentos, em especial entre Dylan e Adrielle - afinal de contas, foi ela quem criou ele. Também achei muito conveniente as diversas mortes que aconteceram perto do final, que ficou parecendo algo como "vocês já cumpriram o papel que tinham aqui e não temos lugar para vocês na segunda temporada, então vamos só matar todos vocês". O que deixou o planejamento parecendo amador.

    Controle Remoto: Tidelands
    Controle Remoto: Tidelands

    Porém, preciso dizer que, apesar dos pesares, é bem provável que eu veja a segunda temporada, em parte porque o final deixou margem para algo interessante e também porque eu pareço incapaz de não ver qualquer coisa sobre sereias (sério, até filme da Barbie eu assisti).

    Agora deixo vocês com o trailer da série, para que vocês assistam por sua própria conta e risco!

    1. Olá, Bianca.
      Eu nem conhecia essa série, não apareceu aqui para mim hehe. Também gosto muito desse tema sereia, mas acho que não vou assistir porque não me chamou tanto a atenção.

      Prefácio

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Sil!

        Não teve uma divulgação muito pesada mesmo. Se algum dia não tiver nada para fazer, recomendo dar uma olhada. Se não, deixa passar mesmo. :P

        bjs

        Excluir
    2. Oi Bibs!
      Nem sabia que essa serie era sobre sereia. Eu vi só o cartaz quando abri a minha netflix, mas nao tive interesse. Ultimamente to apostando em coisas mais engraçadas. Vi Cara Gente Branca que é muito boa e agora to vendo Sex Education.
      Mas valeu a dica. Quem sabe um dia.

      Abraços
      David
      http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.