Resenha: Uma noite com Marilyn Monroe

  • 09:00
  • 9.4.19
  • Resenha: Uma noite com Marilyn Monroe

    Uma noite com Marilyn Monroe foi escrito por Lucy Holliday e publicado aqui no Brasil pela Harper Collins. É o segundo livro da série da trilogia da Libby Lomax, que começou com Uma noite com Audrey Hepburn.


    Sinopse: Os últimos meses passaram como um furacão pela vida de Libby Lomax. Depois das confusões em que a atriz não tão bem sucedida se meteu com a ajuda da diva Audrey Hepburn, agora Libby está namorando o cara mais gato do planeta. Mas seu otimismo tem vida curta. Ainda bem que Libby tem outra convidada mais que especial para lhe aconselhar... Agora é torcer para que desta vez Marilyn seja a chave para finalmente colocar a vida nos eixos!

    ATENÇÃO : Esta resenha pode ter spoilers do volume anterior.

    Para quem não lembra, vou dar uma retomada no que houve no primeiro volume. A nossa ex-atriz, agora design de jóias e empreendedora com sua loja online Libby Goes to Hollywood consegue, com alguns conselhos de ninguém menos que Audrey Hepburn, dar um rumo pra sua vida e namorar com o astro Dillon O'Hara. Embora, se você leu minha resenha, saiba que não sou muito fã dele e acho que a Libby tinha que largar de ser trouxa e ficar com o Olly logo.

    O livro já começa com algumas mensagens desesperadoras da Libby, que estava em Miami com o Dillon, dizendo que ele a traiu, eles brigaram e ele trancou ela pra fora do hotel na véspera de um furacão enorme, sem nenhum documento.

    Depois dessa, com razão, Libby termina com Dillon e vai seguir sua vida. Como muitas mulheres, ela promete não se envolver com homens por um tempo, mas logo no primeiro capítulo, ela já está com outro cara. Muito diferente do ex, Adam é um doce de rapaz, sempre deixa claro o quanto Libby é importante e ela adora isso. Os dois acabam se esbarrando por causa do Olly; ironia, não? Adam é investidor e resolveu investir no restaurante que o Olly está abrindo.

    No primeiro livro, você já começa a perceber que a Libby vai deixando os amigos um pouco de lado, principalmente quando Dillon aparece na vida dela. Nora é a melhor amiga de Libby e irmã do Olly, mas ela pouco aparece no primeiro livro já que Libby nem sequer liga pra ela, mas no mínimo sinal que a Libby não está bem, Nora pega um avião e vem atrás dela. No segundo, isso só piora, Olly está super sobrecarregado com o restaurante e uma mãozinha a mais sempre é bem-vinda. Libby oferece, sim, ajuda, mas quando promete ir não aparece ou simplesmente fica no famoso "vamos marcar de marcar pra eu te ajudar". Acho isso muita hipocrisia da Libby já que no primeiro aperto o Olly tá lá do lado dela.

    Outra coisa que me incomodou bastante foi o fato de Libby se envolver com Adam por ele a tratar muito bem e fazer com que ela se sinta importante e amada, sendo que ela sempre foi muito amada e importante pra todos os amigos e, principalmente, Olly.


    Resenha: Uma noite com Marilyn Monroe

    Mas indo direto ao ponto mais importante desse rolo todo da vida da Libby e que dá título ao livro, Marilyn aparece no meio dessa confusão pelada no sofá Chesterfild da Libby. Se algum de vocês conhece um pouco a história da Marilyn, sabem que ela não era uma mulher que teve muito amor e amigos verdadeiros na vida. Isso se reflete no encontro e na relação dela com a Libby. A empolgação da Marilyn é palpável nas páginas, ela é muito carente de atenção e carinho, muito como Libby está sendo nesse momento. E, assim como seus amigos da vida real, Libby dá algumas mancadas com a coitada. Apesar disso, Marilyn está sempre lá sendo uma melhor amiga pra Libby, dando conselhos de vestuário, cabelo e sempre sendo um ombro amigo.

    A relação da Libby com a família continua praticamente na mesma, exceto que ela agora retruca as desmioladas, a mãe e a irmã. Diversas vezes ela dá sermão na irmã dizendo como todas as atitudes que ela tem como se envolver com caras casados e fazer qualquer coisa - qualquer coisa mesmo - para alavancar a carreira são erradas e que não é o fim do mundo perder um reality show. Não que os sermões tenham algum efeito, mas ela tenta. Isso foi um ponto bem positivo no livro, já que mostra que Libby está amadurecendo e tomando as rédeas da vida dela e gosto muito de ver esse tipo de crescimento nos personagens.

    Além de Adam, e alguns outros que não posso citar sem dar spoiler, uma nova personagem aparece na vida da Libby, Tash. Ela é amiga de Nora, trabalha junto com ela no hospital e vai ser madrinha do casamento de Nora. É uma mulher extremamente otimista e um sopro de ar fresco na vida de todo mundo, o que é bem conveniente já que a Libby está bem chatinha. Logo ela faz amizade com Olly e, evidente, que é muito amiga de Nora também. Entendo um pouco do sentimento de ciúme que a Libby tem com ela, mas ela não toma nenhuma atitude para melhorar e "tomar o espaço que é dela" como ela pretende.

    Neste livro fica claro o quanto Libby tem focado na sua vida e deixado a de todos ao seu redor de lado. Isso tem um impacto estrondoso ao fim e parece que ela vai melhorar no próximo. Apesar de ficar bem irritada com a Libby não consegui não ter empatia por ela e tive que parar certos momentos pra dar uma chorada básica. O livro acabou me tocando bastante no final e, por isso, dei uma chance para a trilogia esperando que a personagem principal melhorasse. Vamos ver o que acontece e venho aqui contar para vocês. 

    Título original: A night in with Marylin Monroe
    Autora: Lucy Holliday
    Editora: Harper Collins
    Gênero: Ficção Americana | Chick-lit
    Nota: 3,5
    Skoob

    GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

    Amazon

    1. Oi Raquel
      É tão chato quando a gente shippa um casal que não vai acontecer ou que demora demais pra surgir. Eu nunca li esse livro, tinha até me interessado pelo primeiro, mas imagino que a protagonista seja muito egoísta e isso já me incomoda, por isso vou passar a dica.
      Beijo!

      http://www.capitulotreze.com.br

      ResponderExcluir
    2. Oi, Raquel!
      Pulei tua resenha porque ainda vou ler esse livro. Pela sua nota, já sei que não devo ir com muita expectativa.
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    3. Oi Raquel, como eu não li o primeiro livro não dá para definir o que achei sobre o trama todo. Não liguei para os spoilers pq eu vou esquecer minha memória é péssima. Já chorei lendo muitos livros, isso acontece. :)

      www.depoisdaleitura.com.br

      ResponderExcluir
    4. Oiii Raquel

      Eu tenho o primeiro e o segundo dessa trilogia aqui na estante e apesar de amar chick lit ainda não tive coragem/tempo pra começar a ler, espero gostar da Libby, e mesmo que eu me estresse também, espero pelo menos terminar cada volume sentindo empatia por ela. A proposta da trilogia é bem bacana, adoro a Audrey e a Marilyn, curiosa pra ler o papel delas em cada livro.

      Beijos, Ivy

      www.derepentenoultimolivro.com

      ResponderExcluir
    5. Oi Raquel, tudo bem? Eu tenho muita curiosidade de ler a trilogia, embora eu ache que talvez tb fique irritada com a protagonista. Não esperava que tivesse um final emocionante, ativou ainda mais minha curiosidade!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.