Resenha: Coraline

  • 09:00
  • 21 de out. de 2020
  • Resenha: Coraline

    Coraline foi minha primeira escolha de leitura para a Maratona Literária de Halloween e definitivamente um pontapé ótimo por isso. A aclamada história de Neil Gaiman serve como leitura rápida e também, para pessoas mais medrosas como eu, pra tirar um pouco do seu sono.

    Sinopse: Certas portas não devem ser abertas. E Coraline descobre isso pouco tempo depois de chegar com os pais à sua nova casa, um apartamento em um casarão antigo ocupado por vizinhos excêntricos e envolto por uma névoa insistente, um mundo de estranhezas e magia, o tipo de universo que apenas Neil Gaiman pode criar. Ao abrir uma porta misteriosa na sala de casa, a menina se depara com um lugar macabro e fascinante. Ali, naquele outro mundo, seus outros pais são criaturas muito pálidas, com botões negros no lugar dos olhos, sempre dispostos a lhe dar atenção, fazer suas comidas preferidas e mostrar os brinquedos mais divertidos. Coraline enfim se sente... em casa. Mas essa sensação logo desaparece, quando ela descobre que o lugar guarda mistérios e perigos, e a menina se dá conta de que voltar para sua verdadeira casa vai ser muito mais difícil ― e assustador ― do que imaginava.

    Na trama, Coraline se muda para um apartamento com vizinhos excêntricos e pouca coisa para fazer além de explorar os jardins lá fora e desvendar os segredos que se escondem atrás de uma porta misteriosa. Quando, do outro lado da porta, ela encontra seus outros pais - figuras estranhas com botões no lugar dos olhos - e o que parece um outro mundo onde coisas perversas ganham vida e sequestram seus pais verdadeiros, Coraline percebe que vai precisar confrontar seus medos para salvar o dia.

    Eu começo essa resenha deixando que sou uma grande medrosa. Muito medrosa. Do tipo medrosa de não dormir tranquila depois de ler ou ver histórias de terror (e qualquer tipo de terror psicológico funciona comigo porque me impressiono bem fácil). Eu assisti Coraline uma vez na minha vida e foi suficiente para morrer de medo, apesar de ser fascinada pelo stop motion e pelo filme como a obra de arte que é.

    Resenha: Coraline

    Toda a ideia do "outro lado" com os outros pais, outros vizinhos, outro universo muito mais macabro e perturbador me deixa AH! das ideias. E o livro conseguiu pegar o que eu já conhecia e ser ainda mais assustador, sendo uma fonte muito mais tenebrosa para a adaptação que deu uma suavizada em alguns detalhes.

    Coraline ficou arrepiada. Ela preferia que a outra mãe estivesse por perto. Se ela não estava em lugar algum, poderia estar em todos.

    A história sobre uma garotinha confrontando seus medos e entendendo que ter coragem não é ausência de medo, mas fazer as coisas mesmo ao sentir medo - e é muito legal acompanhar essa evolução da Coraline. Da menina curiosa até a amedrontada e então a medrosa determinada.

    Suas interações com os pais do outro lado, principalmente a mãe, são pra lá de macabras. Tudo a respeito do "desconhecido" que molda aquelas figuras serve pra deixar o clima mais e mais tenso; os vizinhos dela então, credo em cruz. As atrizes e seu show de horrores e o homem louco que mora com seus latos são acréscimos perfeitos pra deixar o clima mais tenebroso.

    Resenha: Coraline

    Coraline é um livro bem curtinho, leitura de uma sentada no sofá, e traz lições importantes porque, apesar de todo o clima que me deixou AH! ainda é um livro infanto-juvenil, e a narrativa do Gaiman com certeza fala com esse público.

    Percebeu que estava com medo de que algo pulasse nela, então começou a assoviar. Achou que seria mais difícil alguma coisa pular nela se estivesse assoviando.

    De bônus a edição da Intrínseca ainda usou as ilustrações do Chris Riddell para abrir os capítulos e é cada arte maravilhosa que só serve pra deixar esse livro ainda mais maravilhoso.

    Para fãs de terror e de monstros e desconhecido, mas também sobre as aventuras de uma garota e sua imaginação e coragem, Coraline com certeza é uma história imperdível.

    Título original: Coraline
    Autor: Neil Gaiman
    Tradutora: Bruna Beber
    Editora: Intrínseca
    Gênero: Infanto-juvenil | Terror
    Nota: 5

    1. Oi, Denise!
      E sou simplesmente FASCINADA pela história da Coraline! Assisto o filme toda semana se deixar haha.
      Também fiquei surpresa quando li pela primeira vez e percebi que o livro é MIL vezes mais aterrorizante do que o filme, bem mais infantil e lúdico. Rendeu até post lá no EB onde eu comparei os dois!
      Eu amei a sua resenha e as fotos ficaram lindas! Quero essa bonequinha pra mim :D

      Estante Bibliográfica

      ResponderExcluir
    2. Oi Dê! Eu adorei a leitura! O filme tem um ambientação que amedronta mesmo e foi bom descobrir que o livro também rs E a edição está ótima! Eu amei o roxo das folhas!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.