Resenha: Incendeia-me

Incendeia-me tem o título que mais encaixa com o tipo de emoção que esse livro vai te passar. Incêndio de dor, de desespero, de agonia, de 'MEU DEUS DO CÉU TAHEREH MAFI, COMO PODE ESCREVER UMA HISTÓRIA TÃO PERFEITA?".


Sinopse: UM DIA EU POSSO ROMPER UM DIA EU POSSO R O M P E R E ME LIBERTAR NADA MAIS VAI SER IGUAL.O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado. Juliette foi a única que restou no caminho d O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá. Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira.

O Restabelecimento e o Ponto Ômega estão para se enfrentar. As consequências dos eventos finais em Liberta-me virão para assombrar não só Juliette, como todos os rebeldes. A tirania do governo e sua crueldade não vão se deixar abalar pela mostra de poder do Ponto Ômega; na verdade, eles vão contra-atacar com toda a sua força.

Tenho que tomar cuidado para resenhar esse livro, porque muitos pontos nele são grandes spoilers e eu não quero tirar a graça dessa leitura para você. Até porque, perto de alguns livros distópicos cujos fins chegaram até nós recentemente (e aqui eu penso em The One e Allegiant, AS MAIORES DECEPÇÕES DA MINHA VIDA), Incendeia-me é dono de um final satisfatório e bem encaixado. Tahereh Mafi nos presenteia com o "esperado", porém de maneira inesperada. É isso que eu adoro nessa mulher! O jeito louco de escrever, aquelas maravilhas de mistura de pensamentos da Juliette, o quanto você se sente na cabeça dela e na confusão dela e o quanto se irrita e sente pena dela. O crescimento de Juliette é bastante evidente nesse livro, principalmente em relação aos seus poderes; ela já não mais os teme, ela os aceita, ela os usa, ela se fortifica em cima deles (finalmente né minha filha, VOCÊ É A ROGUE E RECLAMAVA, POR FAVOR, só falta um Gambit na sua vida - mentira, ela tem um Warner).


Palavras, eu penso, são criaturas muito imprevisíveis... Nenhuma arma, nenhuma espada, nenhum exército nem rei um dia será mais poderoso que uma frase. As espadas podem cortar e matar, mas as palavras vão golpear e ficar, enterrando-se em nossos ossos para virarem corpos mortos que carregamos para o futuro, sempre cavando e sem conseguir arrancar seus esqueletos de nossa carne.
Um personagem que caiu muito no meu conceito foi o Adam. No primeiro livro, eu dividia meu amor entre ele e o Warner, e acreditei tratar-se de um triângulo amoroso duradouro envolvendo eles e a Juliette. Mas não. Em Liberta-me, a obsessão de Adam em manter Juliette debaixo de sua proteção o tempo todo se mostrou irritante, e o egoísmo dele em Liberta-me me enfureceu. Acabou que, em determinado momento da trama, eu consegui "compreendê-lo", mas não deixei de sentir raiva. Não é o tipo de personagem que me manteve cativada do começo ao fim. KENJI, aquele lindo, isso sim é personagem! A amizade dele com Juliette é uma das coisas mais adoráveis do livro, e determinados pontos do livro mostraram a vulnerabilidade de Kenji em meio àquela guerra. My poor baby.

E por falar em my poor baby... AARON WARNER, SENHORAS E SENHORES! Meu deus do céu, como pode um personagem ser tão... Tão?! Segura esse fogo, moço, eu não tenho coração pra tantas emoções! O relacionamento dele com a Juliette fica absurdamente desesperador e lindo, mais do que já era. O amor e devoção dele por ela é uma coisa apaixonante; conhecemos muito mais do lado frágil de Warner, sobre os demônios em seu passado, e minha nossa senhora dos ataques cardíacos... Duas determinadas cena nesse livro ME QUEBRARAM EM MIL PEDACINHOS!

  

- Uma vez você me acusou de não saber o significado do amor - ele diz. - Mas estava errada. Você me culpa, talvez por amá-la demais.


Um ponto que eu achei interessante em resenhas que li por ai foi as reclamações a respeito do final do livro. Incendeia-me (a trilogia Estilhaça-me, no caso) sempre foi um livro a respeito da guerra interna de Juliette. Nunca foi uma série com foco em ação, com foco em guerras ou batalhas; o foco sempre foi a fortificação da personagem principal e daqueles à volta dela. Juliette tinha que ser forte, tinha que ser uma guerreira, e as batalhas acompanharam ela na sequência. Essa é a história sobre o empoderamento de uma garota, sobre ela se encontrando no mundo, encontrando o seu lugar nessa luta.

A batalha final desse livro é bem frenética, mas a escrita da Tahereh é frenética. Ela não jogou, simplesmente, na nossa cara, e enterrou pra tudo ficar bem. As coisas vão continuar; aquilo foi só o começo da verdadeira rebelião. Muita coisa ainda vai vir, mas isso fica pra nossa imaginação.


Ele solta a respiração, a tensão clara em seus ombros e no contorno de seu maxilar e, quando ele enfim olha para mim de novo, há histórias em seus olhos, pensamentos e sentimentos e sussurros de coisas que eu nunca nem vira antes. Verdades que ele talvez nunca se force a dizer; coisas impossíveis e coisas inacreditáveis e uma abundância de sentimentos dos quais eu nunca pensei que ele fosse capaz.
Enfim, Incendeia-me é um ótimo fechamento de série. Estilhaça-me me arrebatou desde a primeira página, e eu já estou roendo as unhas por mais livros dessa mulher. Tahereh Mafi, sua linda, dê-me mais Aaron Warner nessa vida, por favor.

A trilogia se inicia em Estilhaça-me e Liberta-me, com contos pelos pontos de vista de Warner e Adam, como Destrua-me.


Título: Incendeia-me
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Nota: 5 +

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

15 comentários:

  1. Vou confessar que pulei um parágrafo de sua resenha, pois ainda não li o primeiro, e seu texto me deu ainda mais vontade de ler *-* rsrs, então qui manter um certo mistério.
    Estou começando a saga da Seleção e fiquei um pouco com medo agora kkkk

    www.aconstantinobrandao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHAHAHAHAHAHAHA sempre bom fugir dos spoilers, compreendo perfeitamente :P
      A Seleção foi um ótimo livro, e eu adoro A Elite também, mas nossa, A Escolha eu prefiro fingir que nem existe, tipo Convergente ç_ç foi muito muito decepcionante. Espero que não passe por isso, de verdade.
      Obrigada pelo comentário!

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
    2. Rsrs, acho que fui a única pessoa que gostou de convergente até o final, mesmo tendo chorado muito durante toda a saga :p

      Excluir
  2. Só eu que nunca li essa série?
    Todos amam e eu aqui, perdendo!
    Adorei a dica
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia quando puder, garantia de ótimos surtos *o*
      A escrita da Tahereh é uma coisa inacreditável!
      Obrigada pelo comentário, flor!

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  3. Aaaaahhh eu não li a resenha, fiquei com medo hahahahah eu ganhei a trilogia, estou aguardando Incedeia-me chegar para ter a trilogia completa em casa e poder devora-la, a capa é linda e gente o livro é mesmo perfeito? Eu espero que seja.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHAHAHA sem problemas, eu tenho medo de resenha de livro que não li também, apesar da curiosidade sempre falar mais alto.
      Sim, o livro é perfeito! Garanto! *o* A leitura tem um ritmo excelente e o final é O-M-G <3
      Obrigada pela visita!

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  4. Ainda não li a trilogia, mas quero muito e agora com essas capas maravilhosas dá mais vontade ainda não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, essas capas novas são tão incríveis!
      Lembro de quando essa nova edição saiu lá nos EUA e eu chorei porque no Brasil não tinha mudado; grazadeus NC mudou e mandou as jackets, uma linda aquela editora <3
      Vai adorar a leitura com certeza, é fantástica *-*
      Obrigada pelo comentário, flor!

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  5. Eu jurei que esse livro era de romance. O pessoal do meu grupo no whatsapp já comentaram muito sobre esse livro, mas nunca li e nem sabia que era uma trilogia. Se um dia alguém me emprestar, quem sabe eu leia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem bastante romance, mas o foco principal não é ele.
      A trilogia em si é bastante sobre a evolução da Juliette, de menina perturbada e medrosa pra uma guerreira poderosa, é muito legal :D
      Obrigada pelo comentário :)

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  6. Incendeia-me e otimo livro quero muiiiiiiiiiiiiiiiiiiitttttttttttooooo obter a trilogia acheii linda capa
    e a historia e fantástica bem do tipo que gosto bastante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa trilogia é muito muito vida ar e amor <3 KASFUIABUASUOASGUOA
      Quando ler, você vai surtar!
      Obrigada pela visita!

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  7. "UM DIA EU POSSO ROMPER UM DIA EU POSSO R O M P E R E ME LIBERTAR NADA MAIS VAI SER IGUAL." ESSE COMEÇO, CARAMBA. JÁ DÁ ARREPIOS.
    Ainda não consegui comprar a trilogia! D: Mas todos falam que ela é ótima. Em breve eu compro... ahh, essas capas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIIIIIIIM. Gente, a narrativa dessa mulher é o ó do borogodó, marry me, Tahereh <3
      Essas capas, essa trilogia, esses personagens, TUTO perfeito!
      Obrigada pela visita *---*

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!