Resenha: Os Adoráveis


Os Adoráveis é tão grande e teve tantas reviravoltas e tanta história dentro dele que eu nem sei por onde começar essa resenha! A leitura foi uma agradável surpresa, é o que eu digo. Não é o tipo de livro que 'nossa quero reler vinte vezes porque perfeição', mas é divertido, tem uma escrita fantástica e tem personagens bem carismáticos.


Sinopse: Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “Melhor Blog sobre Estilo de Vida” pelo e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos. Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável. Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane. Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossuficiente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso). Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “ex” — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.
Pelos pontos de vista bem diferenciados de Jeane e Michael, acompanhamos a vida desses dois opostos durante seu último ano de Ensino Médio lá na Inglaterra. Logo no começo do livro estamos num bazar e conhecemos a excentricidade e bizarrice de Jeane, que adora ser excêntrica e bizarra. É o estilo de vida dela, porque ela é uma dork. Diferente desde a maneira absurda de se vestir com roupas velhas, cheias de brilhos e paetês, até os cabelos coloridos - no começo do livro, cinzas para combinar com suas roupas antigas. Ah, além disso tudo, ela é famosa. Blogueira do Adorkable, um site que se tornou fenômeno pela blogsfera, ela passa seu tempo escrevendo textos que questionam coisas desde o patriarcado até o porquê de as pessoas usarem calças jeans.

Michael, por outro lado, é tudo o que pode-se esperar de um garoto prodígio exemplar. Ele tem amigos populares, é capitão do time e representante estudantil, tem um currículo maravilhoso, é gato e sabe disso, usa roupas de marca e tem uma família incrível. Onde, no mundo, ele e Jeane formaram um par ideal? Pois é, eles nunca formam, é isso que torna o livro tão legal!


"Talvez eu tenha beijado Jeane porque isso a faria calar a boca. Ou aquela pode ter sido a maneira mais fácil de lhe mostrar que eu não era quem ela pensava que eu era, que realmente podia haver algumas profundezas ocultas em mim, no final das contas. Mas tenho a terrível sensação de que a beijei porque queria."
Jeane é toda personalidade e atitude, e eu gostei ela logo no primeiro momento. Ela é tudo que eu admiro em figuras femininas na ficção, e ela também é tudo que ela admira. Jeane é arisca, não tem medo de debater e de gritar com as pessoas, defende seus ideais até o fim e aceitou esse lado esquisito e transformou-o numa arma contra as normalidades da vida. Ela é uma dork por escolha, porque, conforme conhecemos sua história, nunca teve exatamente o tipo de vida normal. Jeane é, na verdade, cheia de ressentimentos, e esses ressentimentos culminaram na fortificação da personagem. Por ter vivido tão sozinha e por estar tão sozinha, ela foi procurar companhia na internet.

"Isso era o que acontecia com os caras bonitos (não importa o quanto eles fossem feios por dentro): eles automaticamente presumiam que você suspirava e ofegava por eles, e não ficavam satisfeitos até que você gerasse seus bebês."
Michael, por outro lado, é mais aceitação e indignação. Ele não gosta da Jeane, não gosta das suas atitudes - vistas como rudes, até porque ela é bem rude - e não gosta de como ela é esquisita. Quando o namorado dela e a namorada dele começam a se aproximar, no entanto, eis que Jeane e Michael encontram um motivo em comum para tecer uma aproximação também. E isso culmina em um romance adorável.


"Eu não sabia o que dizer, o que nunca acontece, porque eu sempre sei o que dizer, e Michael Lee estava parecendo o coiote do Papa-Léguas naquela fração de segundo quando ele percebe que foi além da borda do penhasco e está prestes a despencar em um terreno rochoso cheio de cactos."
A narrativa da Sarra é muito gostosa de se ler. Quando estamos no ponto de vista da Jeane, tudo é sarcasmo e comentários perspicazes e safadezas ocultas engraçadas. Ela tem um humor peculiar porque a Jeane é peculiar, e a Sarra soube traduzir isso direitinho no jeito como narrava a visão da nossa blogueira famosa. O Michael, por outro lado, é bem mais pé no chão e sensatez, ainda que aja como um adolescente mimado em alguns momentos. Ele é carismático e nota-se que o carinho pela Jeane cresce com o tempo, mas a autora equilibra isso com os momentos explosivos entre eles porque diabos, eles se odeiam também! É muita personalidade oposta pra pouco espaço de compreensão. Ainda que eles se deem bem juntos, eles também se dão muito mal.


Alguns dos traumas e medos da Jeane me foram muito identificáveis, assim como alguns do Michael. O medo de se impor, de se sentir sozinho, de se sentir estranho e não se encaixar em lugar algum, coisas que adolescentes enfrentam e que eu enfrentei também - honestamente, que enfrento até hoje.

"E estar sozinha e ser solitária eram duas coisas diferentes, mas que pareciam ser exatamente a mesma: elas eram horríveis."
A Sarra soube guiar seus personagens para um crescimento a respeito disso, mas senti que o final foi um pouco acelerado demais.

Houve um momento em que a Jeane toma uma decisão que, pelo tamanho do livro e pela maneira com que ela se portou durante ele todo, foi precipitada demais. Tudo bem que os acontecimentos anteriores a tivessem assustado, mas a Jeane que eu conheci não é a mesma que escolheu aquilo. Por sorte, a Sarra deu a volta por cima e trouxe a bizarrice dela de volta nos quarenta e cinco do segundo tempo! E terminou o livro adorkablemente.

"- E é por isso que eu comecei o Adorkable. Adorkable era um blog para todas as coisas estranhas, maravilhosas e realmente aleatórias com as quais eu estava envolvida, mas muito rapidamente o Adorkable se tornou uma declaração de missão, minha convocação à luta."
Título Original: Adorkable
Autora: Sarra Manning
Editora: Novo Conceito
Gênero: Comédia romântica / YA
Nota: 4

Saiba mais: Skoob | Buscapé

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

10 comentários:

  1. Adoraria ler um livro que fala de blogueiros, não me empolguei muito com a sinopse.
    mas parece bom o livro, gostei da sua resenha ^^

    primeirosacertos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sinopse não diz muito sobre a história, te garanto. Eu não dava nada pra história e me surpreendi muuuuito! *-*
      Tente dar uma chance algum dia <3

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  2. Ah, eu nunca leria esse livro se não lesse essa resenha. Eu passaria direto.

    Quando eu puder lerei, pois amo personagens diferentes e rudes XD

    Resenha maravilhosa.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ASUHUHASUHASUHASUHASUHASUHASUHASUH pois é, era o meu sentimento.
      Mas vale muito a pena, juro!

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  3. Não péra, para TUDO.
    Eu tenho esse livro e ainda não li e pela sua resenha é o tipo de leitura que irei gostar. Estou me esculhambando nesse momento porque eu ainda não o li. Uhurrrr que raiva de mim.
    Tenho que corrigir essa grande falha.

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UHASHASUHASUHASUHASUHASUHASUHASUH olha ai, a resenha salvou sua leitura! *o*
      A narrativa é muito legal, Camila, e os personagens são excelentes, com certeza vale a leitura.

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  4. Olá!
    Não conhecia o livro antes e achei bem legal!
    Gosto de livros com histórias como esse e os protagonistas pareceram ser ótimos personagens até mesmo com características reais.
    Bem legal também a protagonista ser blogueira, assim conhecemos um pouco de como funciona um blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca!
      Sim, a autora conseguiu construir típicos adolescentes, mas ao mesmo tempo deu algo mágico pra eles. Especialmente para a protagonista *-----* o blog dela é fantástico, e dá pra se identificar bastante com a personagem.

      Beijos,
      Denise Flaibam.
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

      Excluir
  5. Heey!
    O livro parece ser bem legal, fiquei curioso para conhecer um pouco mais sobre Jeane =)
    Abraços!
    Blog - Desbravando o Infinito

    ResponderExcluir
  6. Denise!
    O livro foi uma as minhas melhores leituras no ano passado, adorei!
    A irreverência da protagonista me causou boas risadas e ainda tenho na memória as bizarrices do livro.
    E sabe o que é melhor? Ganhei até uma caneca do livro que uso com maior amor.
    “A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delícia da companhia. É a inspiração espiritual que vem quando você descobre que alguém acredita e confia em você.”(Ralph Waldo Emerson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!