Resenha: Preciosa [Mês das Mulheres]

Resenha: Preciosa

Como começar a descrever o livro da Sapphire? Essa resenha de Preciosa me deixou pensando por bastante tempo, especialmente em uma realidade que é tão distante da minha.

Sinopse: A adolescente do Harlem Clareece Precious Jones é obesa, analfabeta e está grávida pela segunda vez de seu pai. Vítima de constantes abusos físicos e psicológicos por parte da mãe. Seu encontro com uma professora batalhadora a apresentará a um mundo novo, onde poderá expressar seus sentimentos e recuperar sua voz e dignidade.

Não há muito mais que dizer sobre a história além do que está na sinopse. Precious é uma adolescente negra, pobre, gorda e analfabeta, abusada física e emocionalmente pelo pai e pela mãe desde muito jovem. Depois de ser forçada a abandonar a escola por causa de sua segunda gravidez e ser convidada para participar de um centro de aprendizagem alternativo, ela vai contar com a ajuda de Rain, uma professora engajada e batalhadora, para mudar a vida para si e para o filho. 

Quando li Preciosa, estava no comecinho da faculdade, e ainda vivia naquela bolha de "não sei exatamente o que acontece no mundo fora a minha própria vida" e fiquei extremamente chocada com ele.

Como isso pode eu não sei. Como mamãe e papai me conhecem há dezesseis anos e me odeiam. Como um estranho me conhece e me ama.

A história é intensa, não do tipo que te deixar na beira da cadeira sem saber o que vem a seguir, mas tenso do tipo em que todos os seus músculos se retesam e você não quer virar a página simplesmente porque sabe que tem coisa muito pior por vir.

Na cabeça do resto do mundo, Precious é só mais uma estatística: mais uma garota ignorada pelo sistema educacional e social, mais uma garota negligenciada pelos pais, mais uma garota sem oportunidades devido a classe social e a cor da pele, mais uma garota estuprada, mais uma mãe adolescente, mais uma garota com HIV. Precious é um pontinho em diversas estatísticas, mas Sapphire deu a ela vida e voz.

Eu digo que estou me afogando no rio. Ela não me olha como louca, mas diz "Se você só sentar ai, o rio vai subir e te afogar. Escrever pode ser o bote que vai te levar ao outro lado."

Narrando o livro em primeira pessoa, ela não poupa erros na escrita, que emulam a forma como a própria protagonista escreve. O texto, escrito como se fosse uma conversa casual entre ela e o leitor, causa arrepios pelas escolhas. As palavras erradas, as palavras chulas, todas incomodam no começo. Até que isso se torne um novo personagem na história, porque ela reflete inteiramente a Precious e as vivências dela.

Como algo é uma memória se você nunca esquece?

A forma como ela escreve retrata a falta de incentivo e atenção por parte do ensino educacional, reflete sua desistência; as palavras que ela escolhe usar refletem o ambiente no qual vive, as pessoas com a qual convive. É de extrema importância para a história.

Ao longo do livro, conforme ela encontra segurança e apoio, a escrita evolui e isso representa a evolução pela qual ela está passando. Porque ela também não vai aceitar ser só uma estatística, Precious é inteligente e cheia de potencial, alguém que só precisava encontrar apoio para se desenvolver.

O livro apresenta uma realidade tão diferente da minha que achei que seria fácil me desprender dele, ver a história como uma história. Mas a verdade é que Precious tem sonhos como eu tinha na sua idade e como tantas outras pessoas também tiveram. Ela queria uma vida de sucesso, ser uma celebridade, queria vestidos caros e joias e um namorado bonitão. Ela queria provar para todas as pessoas que pensavam e faziam tão pouco dela, que ela era importante, que ela tinha um lugar e deixaria uma marca.

Cada folha de grama tem um anjo que se curva e sussurra: cresça, cresça.

Meu coração se partiu junto ao dela com todos esses sonhos desfeitos, com toda a realidade cruel, com todo o mundo real.

Precious aceitava os mal tratos, amava a mãe negligente, ela acreditava que a culpa disso tudo era dela. Era só uma garota, era gorda, era feia, era burra, é claro que esse tipo de coisa ia acontecer com ela! Mas a partir do momento em que ela encontra apoio, ela é capaz de redefinir tudo isso.

Resenha: Preciosa
Sapphire, autora de Preciosa.
É uma jornada incrível, essa escrita pela Sapphire. É um crescimento pessoal e uma consciência de si incrível. Turbulento, doloroso e por vezes nojento -- do tipo que você precisa fechar o livro e tomar um ar, porque a violência que a personagem sofre afeta você também -- é também superação.

O livro é tão curtinho e tão poderoso que não posso deixar de recomendar, o mínimo que você vai tirar dele é empatia. E vamos combinar, o mundo precisa disso.

A tristeza, no entanto, é chegar ao fim sabendo que Precious Jones é exceção, e não regra.

Título original: Push
Autora: Sapphire
Editora: Galera Record
Gênero: Romance
Nota: 4,5

Saiba Mais: Skoob  |  A autora  |  Saraiva  |  Amazon

ps: as quotes não refletem a tradução original, já que peguei do inglês porque não tenho o livro aqui. A tradução original deixa elas ainda mais impactantes.

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

10 comentários:

  1. Oooi! Tudo bem?

    Meu Deus, que história pesada! Por mais que hoje eu tenha uma visão muito mais realista do que acontece pelo mundo e dos absurdos que ainda existem, fiquei chocadíssima com a história! E ela tem HIV ainda? Não sei se teria a força e a coragem de ler esse livro, pelo menos não agora. Tem que ser em uma época que eu esteja bem tranquila e com o emocional em ordem, senão vai ser difícil.

    Beijinhos, te espero lá no http://amendoasefelpices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, mesmo Amanda! Mas é bem incrível, recomendo muito a leitura. É emotiva e bem diferente das fantasias e romances que estamos acostumadas.

      bjs

      Excluir
  2. Olá, Bibs.
    Não conhecia o livro, então fiquei pasmo. Realmente há muita coisa que acontece fora do nosso mundinho e não sabemos.
    O enredo é bem chocante e parece ser um livro para lá de emocionante. Então, com certeza, vou querer conferir a obra.
    Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Com certeza, um livro extremamente emocionante e tocante. Recomendo muito e espero que tenha a oportunidade de ler em breve.

      bjs

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Não conhecia livro, fiquei bastante chocada por constatar isso.
    É impressionante como, por vezes, não somos capazes de imaginar o que se passa fora do nosso entorno. Apesar da controversa, gostei muito da premissa e é um livro que pretendo ler, sim. Já anotei o nome.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna!
      Nem fala. Eu acho ele bem chocante, tanto que está ao lado de O Menino do Pijama Listrado na lista de livros que viraram filmes e eu não consigo assistir. Mas recomendo muito que você ou leia o livro ou veja o filme, é interessantíssimo, destrói muitos estereótipos e trabalha bastante sua empatia.

      bjs

      Excluir
  4. Não sabia do livro!! Já assisti ao filme!! E não tem como quem assiste, não ficar indignado!! A mãe da Precious é muito negligente e aceita tudo que o marido faz!! Ainda bem que ela encontra alguém para ouvi-lá, conversar e ajudá-la!!

    ResponderExcluir
  5. Tenho muito vontade de ler esse livro, assisti o filme e é mega emocionante e essa resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  6. Nossa! Arrepiada desde o começo e agora que tô escrevendo, o arrepio persiste. Que livro forte e olha que nem cheguei a lê-lo! Já foi adicionado na minha lista de leituras. Parabéns pela resenha, me instigou a comprar esse livro ainda mais, já que a sinopse já é um bom incentivo.

    ResponderExcluir
  7. Não conheço o filme e nem o livro!! Uma história comovente, que nos faz olhar para o ser humano com mais amor!! Precious é uma pessoa muito injustiçada, muito triste o que a mãe faz com ela!!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!