Controle remoto: Hemlock Grove


Eu tinha curiosidade pra ver essa série desde a sua estreia. Lobisomens, ciganos e o que pareciam ser vampiros? QUERO! Enrolei e enrolei, finalmente assinei a Netflix, enrolei mais um pouco, a série acabou, peguei spoilers hercúleos, mas nem me importei - até porque o spoiler principal eu acabei descobrindo que entendia errado, então fiquei feliz - e, finalmente, maratonei Hemlock Grove. Me arrependi? Nem um pouco. Foi ruim? Algumas partes. Vale a pena? Confere aqui comigo.

Não dá pra explicar essa série direito, então vamos ao básico: dois adolescentes se apaixonam.



HAHA, mentira, mas nem tanto. Peter é novo na cidade, Roman é herdeiro do nome que basicamente comanda toda Hemlock Grove. Peter é um lobisomem, Roman é alguma coisa não-humana que demora uma temporada inteira pra te explicar. A família do Peter é cigana, e ele vive com a mãe em um trailer na floresta. Roman mora em uma mansão solitária com a mãe controladora e matriarca-rainha-da-porra-toda e com a irmã deformada por algum motivo que também demora a ser explicado. Ataques de algum animal bizarro começam a acontecer na cidade, e Peter e Roman começam a investigar. Some isso a vários flashbacks bizarros, diálogos estranhos, criaturas esquisitas, relacionamentos conturbados e um ship que nunca zarpa e pronto, tá aí Hemlock Grove.



Sabe quando a série é tão esquisita e ruim que é boa? Foi o que eu senti assistindo HG. Demorou quase uma temporada pra que eu entendesse o plot principal, aí começou a segunda com mistérios mais bizarros e eu fiquei "mas eu tava entendendo tão bem!" e ai acabou do jeito mais WHAT THE FRICK FRACK FUCK possível. E a terceira temporada foi... Bem... Ladeira abaixo? Mas terminou tragicamente bem.

Falando dos personagens, os destaques vão para Olivia e Roman Godfrey e para o Peter.



Olivia é a matriarca controladora, dona de si, comandante da empresa bioquímica milionária, anteriormente liderada pelo seu marido. Olivia é mãe do Roman e da Shelley. Olivia é alguma coisa não-humana, que você meio que suspeita desde o começo, mas acaba se surpreendendo. Não, não é vampira. Olivia é uma vilã caricata extremamente carismática, magnificamente criada por um roteiro sombrio e misterioso. Famke Janssen é a atriz responsável por dar vida à Olivia e MINHA NOSSA COMO A MULHER É FANTÁSTICA! A Olivia é monstruosa e humana, cheia de falhas e cheia de rancor. Ela está em busca do poder, sempre, e não se importa com o que exista em seu caminho - ela tem um tiquinho de amor pelos filhos, mas só um tiquinho. Quase nada. Ela é a melhor coisa da série, ouso dizer. Do início ao fim, não se perdeu, não descaracterizou, não fugiu dos ideais. Ela é uma vilã cruel e uma mulher machucada pela vida, um monstro com humanidade. E teve o melhor final de todos!

Roman... Nhé. Todo mundo surtava tanto por esse personagem que eu esperei um Hannibal Lecter, mas ganhei um Roman. O que não é um elogio. Seus melhores momentos foram as interações com a Olivia e com o Peter, mas no geral ele é só um chato. Carismático, mais por causa do ator do que pelo roteiro, mas entediante. Não entendi a jornada dele, não entendi seus surtos psicóticos, ele fez muita coisa babaca sem sentido e sem perdão, mas o final dele foi BOM. Achei digno, achei merecido. Foi um final meio "não sabemos o que fazer aqui, então fizemos isso". Mas foi satisfatório. Vários momentos foram jogados na tela meio sem significado, como o "estou me achando no meu mundo" do Roman. Ele nunca se achou sozinho, só quando estava com o Peter, por isso a química entre eles foi tão forte. Apesar de não ter gostado do Roman, amei Romancek.




AGORA SENTA QUE LÁ VEM A DENISE SURTAR PELO PETER! AKJASUOGBAOGBAO


    

Meu bebê, ninguém sai. Sofredor, cigano malandro, problemático e perturbado. Ok, o roteiro descaracterizou o Peter lá na terceira temporada, mas ainda era o meu precious bae. A primeira temporada é a melhor dele, a segunda tem uns momentos ótimos; toda a origem cigana do Peter é uma coisa fascinante, e a série conseguiu trabalhar bem isso. Ao lado da prima, chamada Destiny, Peter tem seus melhores momentos.



Aliás, o fato de ele ser tão intenso, misterioso e bem trabalhado criam toda uma dinâmica única com os personagens que mais aparecem em cena ao seu lado. Os ships do Peter não funcionaram em nada pra mim - Letha pombo e Miranda mais pombo ainda - mas O RESTO FOI LINDO! A mãe dele é a melhor pessoa, e os dois funcionam muito bem juntos. A Destiny é linda e rainha e maravilhosa - e a terceira temporada também perdeu ela no roteiro - e ela e o Peter formam um brotp perfeito. E Romancek, claro.



Bônus para o Peter ter a cena de transformação em lobisomem mais legal que eu já vi até hoje. E EU AMO LOBISOMENS, ENTÃO JÁ VI MUITAS!

A relação entre o Peter e o Roman é uma balança de "eu confio em você, mas te mataria se precisasse.". Os dois funcionam muito bem em cena, e tem amor ali. TEM AMOR ALI! Eu gostei, principalmente na primeira temporada, como nada entre os dois soava forçado - diferente da Lethazzzz. A Letha, aliás, foi falha do roteiro. Ela tinha potencial para ser uma ótima personagem! Como tudo gira em torno de Romancek, ela só estava ali pra ser, sei lá, uma ponte que não se sustentava sozinha. Voltando a Romancek, na segunda temporada tem uma quebra na confiança entre os dois, e a série remenda isso meio complicadamente. Mas TEVE UMA CENA QUE EU ERGUI AS MÃOS PARA O CÉU PORQUE NEM ACREDITAVA QUE TINHA ACONTECIDO.

Aí tem as paradas bizarras, tipo a Shelley, irmã do Roman. Não entendi. O monstro gigante da terceira temporada? Entendi menos ainda. O que diabos fazem na empresa Godfrey? Sei lá, confuso. Por que tentaram fazer Peter e Roman héteros? NÃO FAZ SENTIDO. O que aconteceu com o roteiro da segunda para a terceira temporada? Ninguém sabe.




Mas Denise, então a série é muito boa? Ah, se você não se importa em ficar confuso, é sim. A produção é muito bem feita, a relação entre os protagonistas é apaixonante e tem uns momentos de tensão maravilhosos. A primeira temporada foi a melhor, sem dúvidas. O mistério envolvendo o monstro atacando a cidade, os ataques e a revelação no fim, foi tudo bem bom. A terceira temporada foi nonsense total, saiu dos trilhos e pegou fogo, não entendi nada, nada fez sentido, mas o último episódio, em si, foi legal. Inesperadamente bom, contrário ao que todo mundo estava me dizendo!

Vale a pena? Vale sim. Tá completa na Netflix, o Peter é lindo e precioso, a Destiny é ótima, os lobisomens são legais, a raça do Roman também. Alguns dramas são nhé, outros são bons. No geral, se tiver tempo e quiser passar por momentos de AWN e também por outros de WHAT THE FUCK, vai de Hemlock.

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. "[...] dois adolescentes se apaixonam."

    BERROS ETERNOS! Resumiu tudo direitinho!

    Essa série é tão estranha que chega a ser boa :p
    Concordo em gênero, número e grau co messa resenha, até com o pombos citados (hehe).

    O bom dessa resenha maravilhosa é que não preciso mais fazer uma lá no meu blog /assobia/

    Ps.: Saudades dessa série ):

    Beijos,
    Gi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E NÃO É VERDADE? Ok que meu mundo caiu quando descobri que eles estavam se passando por ADOLESCENTES e não por universitários, mas é o mesmo princípio!

      Essa série é muito bizarraaaa, cara, mas sim, é boa! Já deu uma saudade aqui também </3

      Obrigada pelo comentário, Gi!

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir
  2. UHAUHAUAHUA Denise do céu, ninguém fez uma resenha tão sincera dessa série como você. Quando lançou eu tive lá um breve interesse que logo passou *na vdd nem lembrava da existencia da série*, e eu gosto de sofrer, de xingar os personagens e saber que aquele ódio todo vai me render uma bela gastrite um dia, mas o que é uma série sem surtos, né? Gostei mesmo da premissa, vou deixar na geladeira, quem sabe um dia UHAHUAHU mega adorei sua resenha!!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! ASUHASUHASUHASUHASUHASUHUHAS Obrigada!

      Definiu a vida de uma seriadora em poucas palavras! Passar ódio e raiva e ficar espumando enquanto clica pra começar o próximo episódio, é isso, basicamente. Hemlock teve vários momentos assim, mas é boa, bem boa mesmo. Quando puder, assiste sim porque a primeira temporada é sensacional, e daí você não para até o fim :P

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!