Resenha: Acordar Outra Vez

Resenha: Acordar Outra Vez


Acordar Outra Vez, livro de Joshua Ferris, é lançamento da editora Globo Livros, que cedeu um exemplar para essa resenha. O livro foi, em 2014, finalista do prêmio Booker Prize.

Sinopse: Paul O’Rourke — dentista extraordinário, nova-iorquino com uma relação de amor e ódio com a cidade, ateu declarado, um descontente torcedor do Red Sox e apreciador de um bom mocaccino — é um jovem sem contato com a vida moderna. O mundo milimetricamente organizado de Paul sai dos eixos quando alguém começa a se passar por ele na internet. Paul assiste com horror impotente como um site, uma página no Facebook e uma conta no Twitter são criados em seu nome para promover uma religião antiga e pouco conhecida. No entanto, o que começou como uma violação escandalosa de sua privacidade logo se torna algo muito mais profundo e assustador: a possibilidade de que o “Paul virtual” poderia ser uma versão melhor do que o de carne e osso.

Como conta a sinopse, o livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Paul O'Rourke, um cirurgião dentista que é fã dos Red Sox, ateu fervoroso e averso as novas tecnologias. Paul possui uma clínica em Manhattan e trabalhou duro para chegar onde está, mas agora alguém está se passando por ele na internet através de um site para a sua clínica e uma página no facebook e no twitter.

Além dessa pessoa ser muito melhor em ser o Paul do que ele próprio, ela ainda usa esses canais de comunicação para recrutar pessoas para essa nova religião estranha -- o que deixa Paul ainda mais ultrajado. Já não bastasse se passar por ele na internet, a pessoa ainda relaciona todas as postagens a essa religião estranha!


Resenha: Acordar Outra Vez


O começo do livro foi meio que um choque para mim, porque estive lendo apenas fantasia urbana e romances YA, cuja construção é bastante diferente de um livro adulto com as propostas que o livro do Ferris tem. Mas depois das primeiras páginas foi agradável pegar novamente um livro cujo foco não é apenas em contar uma história linear.

É comum que o autor interrompa a narrativa do presente para explicar algo do passado do protagonista, fazendo com que os leitores possam se situar melhor na história e se aprofundar no conhecimento que tem da personagem principal, contando-nos sobre seu relacionamento com o pai, com as mulheres, sua visão sobre religião, etc.

Esses detalhes transformam a personagem em um protagonista mais real e, preciso dizer, que cara chato! Ele criou uma rotina para si e só sabe reclamar de tudo. Ele para e analisa e própria vida e percebe que não gosta de onde está, que não sabe o que está fazendo da própria vida e que todo o propósito que tinha era girar em torno das mulheres com as quais se relaciona. Ele percebe que sua vida é apenas trabalho e mesmo nas coisas que deveria encontrar prazer, como seu amor pelo Red Sox, viraram rotina e não lhe trazem mais emoção alguma. E a realidade é que ele não se esforça em absolutamente nada, porque não há motivo para isso. Pra que ter um cachorro se você vai amar ele e no fim, invariavelmente, ele vai morrer?


Resenha: Acordar Outra Vez


E a chatice dele não para por aí. A forma como ele fala das pessoas a sua volta, a forma como trata todo mundo e as crenças alheias me incomodou bastante, era quase como se ele se achasse superior a todos eles e sem um motivo pertinente para isso. Uma personagem extremamente arrogante e egocêntrica.

Sempre vou bater palmas para os autores que conseguem criar personagens tão reais que despertem em mim tanto sentimentos positivos quanto negativos. Mas é preciso dizer que o Paul despertou muitos sentimentos negativos. Não queria ter que trabalhar com ele ou se quer passar perto dele.

O livro tem seus momentos engraçados -- especialmente se você curte um humor negro -- e o ritmo da narrativa, ao menos no começo do livro, pode trazer algumas boas risadas. Ele também instiga cada vez mais o leitor a querer descobrir quem é esse Paul que se surgiu na internet, que é muito melhor do que a versão original.


Resenha: Acordar Outra Vez


Apesar de ter achado que o livro ficou um pouco mais longo do que o necessário -- eu sinceramente podia ter passado sem ler alguns trechos, que não acrescentaram muito a história -- a diagramação, bem espaçada, proporcionou uma leitura mais confortável e acabei lendo ele mais rápido do que esperava.

Título original: To Rise Again At a Decent Hour
Autora: Joshua Ferris
Editora: Globo Livros
Gênero: Romance
Nota: 3

Saiba mais: Skoob  |  Saraiva  |  Buscapé

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

3 comentários:

  1. Oi Bibs,

    Não conheço o livro, mas parece interessante. Gosto de humor negro e apesar da chatice do personagem, a construção parece ser muito boa. Gostei da dica.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!
      A chatice do personagem é quase um personagem em si (?) HAHAHAHAHAH Se você gosta desse tipo de humor, vai gostar da leitura sim!

      bjs

      Excluir
  2. Oi, Bibs!
    Concordo muuuuito que é de se admirar quando autores conseguem nos tocar tanto pra amar quanto pra odiar muito um personagem. Pela sua descrição deu pra ver que o Paul é mesmo muito chato, mas eu sei que continuaria apesar da chatice dele só pra descobrir quem era o outro Paul e o porquê da religião estranha.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!