Resenha: Um Verão para Recomeçar

Resenha: Um Verão para Recomeçar

Um Verão para Recomeçar - recebido em parceria - foi um dos lançamentos da editora Novo Conceito para o mês de abril. Escrito pela Morgan Matson, queridinha aqui do blog, foi minha primeira experiência de leitura da autora - e não poderia ter sido melhor.
Sinopse: Taylor Edwards nunca se sentiu importante, muito menos alguém que se destaca. Além disso, ela tem a estranha mania de fugir quando as coisas ficam meio complicadas. No dia do seu aniversário, Taylor recebe uma terrível notícia: o pai dela está muito doente. Ela até tenta fugir novamente, mas agora sua família precisa de toda ajuda e união possível. Então eles tomam a seguinte decisão: passar o verão juntos na casa do lago. Taylor não vai à casa do lago, onde ela e a família passavam o verão, desde que tinha doze anos, e ela definitivamente nunca planejou voltar. No lago Phoenix, ela reencontra sua ex- melhor amiga, Lucy, e Henry Crosby, sua primeira paixão. De repente, Taylor se vê cercada por lembranças que preferia ter deixado no passado. Apesar do medo e de querer fugir mais do que tudo, a única coisa que resta a ela é ficar com seu pai e enfrentar os dias da melhor maneira possível. Nesse verão em família, vivendo momentos tristes e felizes ao mesmo tempo, Taylor percebe que ela tem uma segunda chance de refazer laços familiares e até, quem sabe, poder viver um grande amor. Um verão para recomeçar é um notável romance sobre esperança, amor e superação.
Taylor Edwards não querida voltar ao lago Phoenix, mas não teve exatamente uma escolha. O pai foi diagnosticado com câncer e, para aproveitar aquele último verão em família, ele decidiu que deveriam voltar à casa de veraneio que costumavam usar. Acontece que Taylor deixou muitas lembranças ruins para trás naquele parque, e voltar para lá vai trazer todas elas de volta - inclusive as pessoas das quais elas fizeram parte. Taylor se determina a não deixar que essas coisas a abalem mais do que já abalaram, e promete a si mesma que manterá o foco no verão e no tempo que lhe resta com seu pai.
Tudo mudara. Ou, para ser mais precisa, tudo iria mudar. Mas nada havia mudado ainda. Por isso as condolências eram artificiais - como se as pessoas estivessem dizendo que sentiam muito pelo incêndio na minha casa, quando ela estava intacta, mas com uma brasa acesa queimando por perto, à espreita.
Esse é o tipo de livro para ler e relaxar. Vai mexer com o seu emocional, tenha certeza disso, mas das melhores maneiras possíveis. Um Verão para Recomeçar é o tipo de história que emociona, faz sorrir e chorar com uma facilidade tremenda. Com uma narrativa sensível, personagens cativantes e um enredo simples, mas tocante, essa obra ganhou meu coração.


Resenha: Um Verão para Recomeçar

Morgan com certeza sabe o que está fazendo. Ela escreve com naturalidade através dos olhos da Taylor, dá vida à toda jornada da protagonista. É um young adult que fala sobre medos, sobre perdas e sobre o caminho da superação; equilibra muito bem as diversas emoções presentes na história, fala sobre os personagens como se eles fizessem parte do mundo real. Não há nada de grandioso nesse livro, e acho que por isso eu amei tanto. É uma história simples, e é o bastante para torná-la especial.
Retribui o sorriso, mas, ao fazer isso, senti imediatamente algo como pavor. Queria congelar esse momento, impedir que o tempo avançasse, afogá-lo nas cinzas de alguma maneira.
Taylor foi uma protagonista adorável. Ela é o tipo de personagem que foge dos problemas, que tem medo em enfrentar coisas que pareçam tão assustadoras e fora da sua zona de conforto. Ela é uma adolescente amedrontada com as possibilidades, basicamente. Uma vez de volta ao lugar que guarda tantas lembranças - tanto boas quanto ruins - Taylor começa a entender que talvez fugir não pode ser sua única opção. Que confrontar as coisas, as pessoas, as situações, isso também faz parte da vida, quer ela queira ou não.



A evolução da protagonista é nítida e amém aos céus por isso; se tem uma coisa que eu amo em livros desse gênero é entender a personagem e acompanhar seu desenvolvimento. Aqui, tive muito disso. Taylor divide seu tempo entre a família, principalmente o pai, e algumas figuras que ela achou que jamais veria novamente - como Lucy, sua ex-melhor amiga, e Henry, seu ex-namorado-crush-primeiro-amor-da-vida. Os motivos para essas separações aparecem com o decorrer da história, e são convincentes dentro da proposta do livro.
Eu me esquecera de que, na companhia dela, havia sempre a possibilidade de algo acontecer.
Sua relação com os personagens secundários foi importante para o desenvolvimento da história. Principalmente a relação com seu pai, Robin. Foi o que mais me fez chorar; os céus sabem como eu chorei com esse livro!
Percebi que os Beatles entenderam errado. O amor não é tudo que precisamos - o amor é tudo que existe.
Saber da condição do pai é uma coisa que abala Taylor mais do que ela consegue entender. O medo da perda está enraizado em seus pensamentos, e isso a segura em relação a muitas coisas, especialmente falar. Ela ama o pai, e pensar no que o futuro reserva breca algumas decisões que Taylor deveria tomar. O medo a faz andar para trás, a fugir de quase tudo, e é o pai que está ali para ajudá-la a enxergar o que tem perdido por se deixar abater por esses temores. Robin foi um personagem excelente; é um pai e um amigo, uma figura presente no melhor e no pior da vida dos filhos. Especialmente com Taylor, os momentos mais marcantes foram certamente os mais emotivos.


Resenha: Um Verão para Recomeçar

A família tem lidado com a doença do pai de acordo com as situações nas quais eles se envolvem. Jantares em grupo, passeios pela praia, cinemas ao ar livre, conversas particulares ou em volta da mesa. Situações das quais eles não participavam quando estavam na cidade, quando as coisas eram mais simples, ao mesmo tempo em que eram complicadas. O verão está ali para aproximar todos eles; é uma despedida, mas principalmente um recomeço.
- É que as pessoas só se machucam... se machucam de verdade... quando tentam ficar seguras. É assim que as pessoas se machucam, quando elas dão para trás no último instante porque estão com medo.
Gostei bastante das interações da Taylor com seus irmãos - a caçula, Gelsey, e o mais velho, Warren. Gelsey é uma garotinha animada e cheia de vontades, enquanto Warren está se preparando para a faculdade e tem um Q.I. de deixar qualquer pessoa irritada, especialmente quando ele começa com seus monólogos para explicar a vida e seus causos. Ainda assim, os três se completam. Onde Warren é conhecimento, Taylor é calmaria e Gelsey é sagacidade. Eles estão ali, um por todos e todos por um, especialmente nos momentos mais difíceis.


Resenha: Um Verão para Recomeçar

A parte família envolve união e compreensão, enquanto a parte da amizade e a do romance dentro da história é muito sobre perdão e aceitação. Taylor deixou histórias mal resolvidas para trás, e reencontrar sua antiga melhor amiga e o ex-namorado certamente são grandes desafios para ela. Foi ótimo ver como Taylor lidou com as situações, amadurecendo conforme se entendia dentro delas. Com Lucy, era mais sobre encontrar os erros, apontá-los e se mostrar disposta a deixá-los para trás, começar de novo; com Henry, no entanto, ainda existe aquela chama de sentimento. Aquela sensação de que o potencial ainda está ali, e que ele ainda ocupa o lugar de primeiro amor da sua vida - um amor que não desvaneceu. Foi tão, tão lindinho ler esses dois. Aquele tipo de romance que dá frio na barriga de tão bem escrito.
Enquanto conversávamos, lembrei por que sempre fomos tão bons amigos na infância. Era como ele me ouvia falar, como não ficava simplesmente esperando para contar sua história. Era como ele sempre media as palavras e sempre respondia com ponderações. E, sempre que ele ria, sua risada parecia sincera.
A edição da editora Novo Conceito ficou bem legal; a capa é simples, mas tem carinha de young adult, e a diagramação arrasou. Minha única ressalva fica com a tradução. Achei algumas frases literais demais, faltou uma adaptação de texto. Repetições de palavras também pesaram, principalmente nos diálogos (era muito "disse" e "perguntou" para poucos sinônimos que encaixassem ali).


Resenha: Um Verão para Recomeçar

Um Verão para Recomeçar é o título para quem procura uma história fofa e emocionante, para quem adora um romance juvenil que mexa com as suas emoções. Fãs de Rainbow Rowell, Stephanie Perkins e Jenny Han com certeza vão se encontrar nas obras da Morgan Matson - e, assim como eu, começar por esse pode ser uma ótima pedida!


Título original: Second Chance Summer
Autora: Morgan Matson
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance / YA
Nota: 5

Saiba Mais: Skoob | Amazon | Saraiva

Share this:

, , , , , ,

COMENTÁRIOS

5 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Eu também gosto muito quando há um crescimento do personagem e possamos entender por que ele era daquele jeito. Fica mais crível e próximo da realidade.
    Nossa, pela sua resenha a história parece ser daquelas que vai te marcar. Anotei a dica.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado

    ResponderExcluir
  2. Oi! Já li outras resenhas do livro e morro de vontade de ler. A história parece ser linda e marcante. A capa é belíssima. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  3. Oi Denise,
    Eu estou doida pra ler esse livro, eu apesar de véia, ainda adoros os YAs, justamente por essa abordagem familiar que a maioria deles trás. E acaba meio difícil não se identificar com algumas coisa. Já sei que vou chorar também...sua resenha me deixou mais curiosa ainda. Gostei da capa.

    P.S.: Obrigada pela dica da autora Claudia Lemos, já estou bisoinhando na Amazon pra adicionar algo no Unlimited.

    tenha uma ótima segunda :D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  4. Amei a resenha, já quero ler :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Denise.
    Amei sua resenha. Esse livro será uma das minhas próximas leituras. Ele me lembrou bastante A Ultima Musica do Nicholas Sparks que amei. Eu perdi meu pai o ano passado com Alzheimer e por isso já sinto que essa história vai me emocionar.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!