Resenha: Tamanho 42 não é gorda - Queria Estar Lendo

Resenha: Tamanho 42 não é gorda

Resenha: Tamanho 42 não é gorda

Tamanho 42 não é gorda é o primeiro volume da série "Os Mistérios de Heather Wells" da Meg Cabot. Heather era uma cantora pop na adolescência, porém, a gravadora a dispensou, em seguida perdeu o namorado, sua mãe fugiu com as suas economias e seu pai está preso. Sem lugar para morar, sem os pais e sem dinheiro, Heather tenta se encontrar no meio dessa confusão toda.
Sinopse: Heather Wells está no fundo do poço: perdeu seu namorado, nenhuma gravadora se interessa por suas músicas, ganhou peso e só entra em roupas tamanho 42, o pai está atrás das grades e a mãe fugiu para Buenos Aires com suas economias - e seu agente! Mas, aos poucos, as coisas parecem que vão se ajustar. Ela consegue um novo emprego como inspetora em uma faculdade de Nova York e está feliz com seu novo manequim. Mesmo sem o glamour e glória dos dias de ídolo teen, tudo parece ter melhorado. Ou será que ela está enganada? De uma hora para outra, uma estudante morre misteriosamente no poço do elevador do campus. Os policiais e a diretoria estão prontos para declarar a morte como acidente, mas Heather conhece os adolescentes, e meninas não brincam com elevadores. Ainda que ninguém esteja muito interessado em ouvir suas suposições - mesmo depois que outras estudantes aparecem mortas de maneiras igualmente corriqueiras e sutilmente sinistras -, Heather decide entrar numa enlouquecida caçada para descobrir a verdade. À primeira vista, a vida de detetive pode parecer uma irresistível aventura, com altas doses de adrenalina, mas a realidade é potencialmente perigosa. Alguns riscos podem ser fatais e nada é capaz de irritar mais um assassino do que uma ex-estrela pop corpulenta enfiando o nariz onde não é chamada...
Este Chick-lit com romance policial é bem divertido, boa parte da diversão graças a personagem principal, Heather. Após o seu rápido sucesso como cantora pop adolescente, parece que nada mais deu certo na sua vida. A gravadora a dispensou após Heather se negar a cantar as composições que davam pra ela, ela, pois queria cantar as próprias músicas. O namorado da época, Jordan, a traiu pouco depois de ser dispensada pela gravadora, que é do pai dele. Sua mãe fugiu para a Argentina com o dinheiro que Heather juntou durante toda a adolescência e seu pai foi preso por sonegação fiscal.

Apesar de tudo isso, Heather segue em frente, da maneira que pode. Conseguiu um emprego como inspetora no alojamento conjunto estudantil da Faculdade de Nova York. Mora a poucos quarteirões do trabalho junto com Cooper, irmão de se ex-namorado, renegado pela família e que a deixa ficar com o apartamento do andar de cima do seu prédio em troca dela fazer a contabilidade do seu negócio. Cooper é um detetive particular, misterioso, gato - porque a Meg é INCAPAZ de fazer homens feios e que não sejam charmosos nas histórias dela - e gentil, ao contrário do resto da família.
- E só para você saber… - ele diz.

- Pois não ? - eu me debruço ansiosa no corrimão da escada. A razão por que me oponho tanto a você investigar tudo isto sozinha, espero, ou melhor, torço para ouvir, é porque não posso suportar a ideia de você correndo perigo. Sabe, eu te amo, Heather. Sempre amei. 

- Acabou o leite. - é o que ele diz, em vez disso. - Se você lembrar, compre um pouco antes de ir para casa, certo?
- Certo - respondo baixinho. 
E então, ele vai embora.
Com trabalho, casa para morar, conseguindo pagar suas contas e reerguer sua vida, parece que tudo vai melhorar, certo? Errado.

Eis que algo acontece no seu trabalho: uma menina morre no poço do elevador. Causa? Surfe de elevador, um esporte bem popular no alojamento em que Heather trabalha. Porém, Heather não concorda com a causa alegada pelos policiais. A menina morta era uma boa aluna, sem infrações e um perfil nada típico de quem faz surfe de elevador. Então, Heather resolve investigar, pois acredita que tenha ocorrido um crime e aí que começam os seus problemas.

Lógico que ninguém do trabalho acredita nela, nem a diretora do alojamento, Rachel - uma mulher fina, elegante, magra e fitness - nem a Magda - uma latina excêntrica que trabalha no refeitório - nem Pete, segurança do prédio.

O livro todo fica em torno deste mistério que Heather cisma em resolver. Isso a faz se aproximar de Cooper, que resolve ajudá-la depois de muita insistência, apesar de também não acreditar muito que tenha sido um assassinato.

Apesar do foco ser a resolução do mistério, a história não fica só nisso, mostrando as recaídas de Heather com Jordan - apesar de gostar do Cooper - as inseguranças dela (e são muitas), os problemas com os pais e o que essa família desestabilizada desencadeou na personalidade de Heather.

A escrita de Meg é bem leve e divertida, o que torna a leitura rápida e fácil. Porém, o livro é um tanto previsível e deixa um pouco a desejar nesse sentido. Um diferencial é o início de cada capítulo, sempre com um trecho das músicas de Heather tanto da fase pop adolescente, quanto de suas novas composições, que são bem engraçadas, diga-se de passagem.

Esse é o tipo de história que apesar de deixar um pouco a desejar, te deixa intrigado e te motiva a continuar, tanto para finalizar o livro quanto a série.

Título original: Size 12 is not fat
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Gênero: Chick-lit | Ficção | Romance
Nota: 4
Skoob


GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

Amazon

Share this:

, , ,

COMENTÁRIOS

19 comentários:

  1. Oi, Raquel
    Acho que nunca li nada dessa série da autora mas adoro os livros da Meg, são ótimos. Eu não sabia que existia surfe de elevador, que negócio estranho é esse? Fiquei chocada!
    Enfim, vou anotar a dica.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!!
      Amo a Meg desde pequena, nunca consigo resistir, ainda bem que ela parou de lançar 500 livros por ano, tava ficando mais pobre ainda.
      Então, esse surfe de elevador é uma ideia bem estúpida dos alunos do livro haha basicamente sobe por aquela "janelinha" no teto do elevador e fica em cima dele enquanto ele sobe e desce e pulando de um elevador pro outro. Um tanto quanto burrice.
      Beijos!!

      Excluir
  2. Eu li é gostei demais, preciso ler os outros da série.

    Beijo

    http://lorraneejunior.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Adoro a Heather, continue! Terminei a série faz pouco tempo, outros foram passando na frente e fui adiando, mas valeu a pena começar de novo.
      Beijos

      Excluir
  3. Eu sempre vejo as pessoas falando desse livro e até me interessava, mas não sabia direito sobre o que ele falava, sabe? Agora que lia a sua resenha fiquei bem curiosa, amo histórias que trazem algum tipo de mistério assim ☺ Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Ele é bem divertido, rende boas risadas e uma curiosidade nova a cada livro. Vale bastante a leitura!
      Beijos!

      Excluir
  4. Eu senti, lendo sua resenha, que talvez a história, apesar de leve, talvez não me agrade muito, sei lá porque..
    Mas adorei seus comentários :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Raquel. Eu ainda não tive a oportunidade de ler um livro da Meg Cabot, apesar de super querer há algum tempo. Quando foi lançado esse livro eu fiquei muito curiosa, mas acabei deixando a leitura de outros livros passar na frente e perdi o interesse por esse, mas adorei a tua resenha que reavivou a vontade de ler. Estou cuidando um pouco com os livros que vão pra wishlist, mas acho que esse merece ir pela protagonista divertida, um personagem gatão e por ser de uma autora que ainda não tive a oportunidade de ler.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Não ler livros da Meg é um pecado haha brincadeira, tem gente que não gosta muito, mas vale dar uma chance.
      Coloca na wishlist sim! A série da Rainha da Fofoca dela também é bem legal, li adolescente, mas ela era bem mais adulta e a personagem é bem divertida também (não tanto quanto a Heather, mas é)
      Personagem gato é o que nunca falta nas histórias da Meg, tenho que tomar cuidado pra não me apaixonar por todos porque sou dessas.
      Beijos

      Excluir
  6. Oii Raquel

    ë uma história gostosinha e divertida, mas pra mim não conseguiu me deixar com aquela vontade louca de seguir lendo os outros livros, acho que não foi o melhor da Meg não. Vamos ver se a sequência d asérie melhora.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      O mistério desse não prende tanto, senti falta nesse sentido, é bem previsível. Tem outros da Meg que gosto mais que esse, sem dúvida, mas essa série me conquistou.
      Se decidir dar uma chance, depois conta aqui!
      Beijos

      Excluir
  7. Oi Raquel,
    Eu li esse livro há muitos anos, eu era adolescente, logo que foi lançado aqui no Brasil.
    Lembro que na época gostei muito, mas faz muito tempo e nem conclui a série, confesso. rs
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Te entendo, também li ele adolescente e acabei largando a série, mas agora que já tinha todos lançados, fui dar uma chance e reli os primeiros. Mal lembrava quem era a Heather, foi necessário reler, acabei gostando mais do que da primeira vez, surpreendentemente.
      Beijos!

      Excluir
  8. Oi, Raquel!
    Nunca li nada da Meg, mas me identifico com esse título porque eu visto 42 hahahahahha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      A Meg é muito amor, adoro os livros dela. Sempre mando todo mundo ler, ela tem tantos livros e de tantos estilos que não é possível que nenhum agrade.
      Tô quase nos 42 também, bate aqui o/
      Beijos!

      Excluir
  9. Oi Raquel,
    Nossa, eu sempre quis ler esse livro, mas não sabia que era um chick-lit com romance policial. Agora quero por demais! Deve ser bem legal.
    Eu adoro a escrita da Meg, é bem fácil, divertida e a gente vai lendo...quando vê, já acabou haha.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  10. Oi Raquel!
    Gosto muito da escrita da Meg, mas dela mesmo só li A Mediadora, apesar de ter outros títulos na pendura. Esse é um deles. Não ligo muito para enredos previsiveis se forem engraçados e leves, e esse pareceu. Espero gostar ^^

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Então, esse é o livro pra você mesmo! Espero que goste. Dê umas boas risadas com a Heather e depois me conta.
      Beijos

      Excluir
  11. Olá, Raquel.
    Teve uma época, que o gênero era o meu favorito, que eu fiquei doida por essa série. Mas depois li esse, mudei meu gosto literário e acabei não lendo os outros. Acho que esperava outra coisa por causa do titulo e acabei não gostando tanto.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!