Resenha: A Princesa Branca - Queria Estar Lendo

Resenha: A Princesa Branca

Resenha: A Princesa Branca

A Princesa Branca é o quinto volume da série histórica da autora Philippa Gregory. Lançado aqui pela Editora Record - que cedeu o exemplar para resenha - é uma obra densa sobre a vida da princesa Elizabeth York.
Sinopse: Quando Henrique Tudor conquista a coroa da Inglaterra na Batalha de Bosworth, ele sabe que terá de se casar com a princesa da casa inimiga, Elizabeth de York. Essa é a única maneira de unificar um reino que, há quase duas décadas, está dividido pela guerra. Sua noiva, porém, ainda é apaixonada pelo homem que foi seu grande inimigo, Ricardo III, e a mãe dela, assim como grande parte da Inglaterra, sonha com a volta triunfante de um herdeiro desaparecido da Casa de York. Além dos limites da Inglaterra, um dos maiores temores do rei – perder a coroa que roubou de Ricardo III – pode estar ganhando forças. Um homem misterioso está reunindo um grande exército. Ele alega ser irmão da nova rainha e o verdadeiro herdeiro do trono. Mas será que ele é mesmo o filho perdido da Rainha Branca, ou apenas um impostor? Quando os avanços do seu suposto irmão começam a assombrar o reino, a rainha Elizabeth se vê diante de um grande dilema: Tudor ou York, quem ela irá defender? Ficará a rainha ao lado de seu marido, a quem está aprendendo a amar, ou do jovem que afirma ser seu querido irmão desaparecido?
Na trama, acompanhamos Elizabeth. Filha de Elizabeth e Eduardo, herdeira da casa York, ela foi prometida em casamento para Henrique Tudor durante a Guerra dos Primos, ela vê seus sonhos e esperanças desmoronarem com a queda do seu amado Ricardo. Agora, casada com Henrique, precisa ajudar a manter a estabilidade em um governo conquistado a sangue e traições, e garantir que sua aliança permaneça com os vitoriosos. Que seu nome não seja sua ruína.

Solicitei esse livro porque, apesar de não ter lido nenhum outro da Philippa, sou fascinada por essa era de grandes reis e rainhas da Inglaterra e, principalmente, porque eu e a Bianca adoramos falar a respeito da Guerra dos Primos e desse legado deixado pelas grandes casas. A série The White Queen ganhou nosso coração, e a The White Princess roubou minha alma. Imaginei que o livro que deu origem a ela faria jus ao poder e ao impacto que a adaptação me trouxe; infelizmente, não foi o caso.



A Princesa Branca tem seus méritos, isso é verdade. A narrativa da Philippa é fascinante e, apesar de muito densa e extensa, prende facilmente. São tramas políticas bem desenvolvidas, personagens multifacetados (com exceção de alguns que são apenas um porre) e um cenário deslumbrante e muito realista. Você se sente imerso naquela realidade. Apesar da parte fictícia da narrativa, muito da História está ali; eu amo quando uma ficção histórica respeita a identidade dos personagens e sua jornada, mas acrescenta detalhes que deixam o passado com um quê de misterioso.
- Gostaria de que todos fôssemos ninguém de lugar nenhum. Se pudesse escolher, eu me chamaria Ninguém e jamais pisaria na corte.
Foi o caso dessa obra. No quesito desenvolvimento e apresentação dos conflitos, da guerra, da tensão em volta do governo de Henrique e da instabilidade, principalmente, que ele enfrentou ao subir ao trono - um trono conquistado pelo sangue e pela espada, não herdado - tudo isso foi lindamente conduzido pela narrativa fascinante da Philippa.

Elizabeth, no entanto, foi minha maior decepção. A adaptação da BBC fez bem em mudar sua personalidade e postura porque aqui eu só encontrei uma garota birrenta, insegura e extremamente mal desenvolvida. Não houve muitas mudanças na postura dela; não houve revolta ou conflitos compreensíveis.

Elizabeth só estava ali e não sabia de nada. Só vivia à sombra do marido e da mãe e não fazia qualquer coisa para mudar isso. Só aceitava seu papel de mãe e de esposa, nunca de rainha. Ver a filha de uma mulher tão forte e poderosa se tornar uma sombra esquecida, com poucos momentos de poder, me deixou muito decepcionada. Eu esperava muito do arco dela e recebi nada em troca.


Resenha: A Princesa Branca

Toda a trama envolvendo o possível impostor - que alega ser seu irmão mais novo, Ricardo York, a quem o trono pertenceria por direito - foi muito fracamente trabalhada. Não houve tensão, conflito, aquela incerteza deliciosa que encontrei na adaptação. Só estava ali e... era isto.

Henrique foi outro que pelo amor da minha santa amada, que irritante! Imaturo ao extremo, o rei que deveria ser um líder e ao mesmo tempo um peão nas mãos da mãe e da esposa foi nada mais do que um cara chato que adorava dar piti por qualquer coisa. A cada escândalo que ele fazia eu só sabia revirar os olhos e passar a página. Nada nele fazia sentido. Nem mesmo suas inseguranças e medos a respeito dos possíveis pretendentes ao trono se erguendo contra seu governo.

E o modo como ele tratou a Elizabeth foi asqueroso, para dizer o mínimo. Bruto e arisco; e o pior de tudo era como ela se curvava a isso. Como respondia às indignações dele com hesitação e não com igualdade, uma vez que ela também carregava a coroa. Também era soberana. Era o motivo, inclusive, pelo qual Henrique estava sentado naquele trono. Arg.
Ela me ensinou que não há nada no mundo mais poderoso do que uma mulher que sabe o que quer e não se desvia do seu caminho para consegui-lo.
A única personagem que realmente me soou bem dentro da história foi Elizabeth, mãe da nossa protagonista. Sua participação na trama mostrou muito das estratégias e de como ela sabia jogar o jogo de poder. Como estava determinada até o último fio de cabelo a fazer justiça e garantir que a casa York sempre estivesse à sombra da coroa.


Resenha: A Princesa Branca

A edição da Record é muito bonita; eu amo a capa em combinação com as outras da série, diagramação e revisão ficaram muito boas e a tradução também - apesar de que eu nunca vou entender o motivo pra abrasileirar nome (Eduardo, Henrique, Ricardo, etc).

No mais, infelizmente A Princesa Branca foi um "nah" para mim. Mas indico a leitura aos curiosos pela escrita da Philippa - e imagino que os volumes anteriores, mais elogiados pelos resenhistas daqui e de lá de fora, valham mais a pena. Ah, e também fica a dica: assistam a adaptação da BBC. The White Princess é a história que Elizabeth York merecia.

Título original: The White Princess
Autora: Philippa Gregory
Editora: Record
Gênero: Ficção Histórica | Romance
Nota: 2,5
Skoob


GOSTOU DA RESENHA? ENTÃO APOIE O BLOG E COMPRE ATRAVÉS DOS NOSSOS LINKS:

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

10 comentários:

  1. eu amo series de livros históricos assim, faz tempo que to de olho nessa serie de livros da phillipa gregory e doida pra ler!!! adorei conferir essa resenha por aqui e fiquei ainda mais curiosa

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise. Eu adoro livros que tem essa ambientação histórica, mesmo que sejam de ficção, desde que tragam elementos reais. Infelizmente não estou no momento para esse tipo de leitura, mas deixo a dica anotada, com a ressalva de que a protagonista pode não me cativar também.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oiii Denise

    Sinceramente eu prefiro conferir apenas a adaptação da BBC. Primeiro porque acho que eu tb ia me irritar com essa Elizabeth, ódio a mocinhas mimadas e birrentas. Segundo porque o gênero e estilo do livro não é exatamente o tipo de leitura que anda me atraindo. A ambientação é o unico ponto que me deixa curiosa, adoro livros com uma ambientação caprichada, que permitem ao leitor visualizar mesmo tudo.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Denise
    Sendo bem sincera, eu não entendo nada dessas coisas de reis e rainhas. Eu vi alguns filmes que achei bem interessante, mas são tantas histórias e tantos reinados que fica confuso pra mim, por isso não tenho interesse de ler esse livro, me deixa até com vontade de bocejar ao pensar na história. E é uma pena que o livro não seja tudo isso que a gente espera, as expectativas são uma merda.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Denise!
    Achei uma pena vc n ter curtido algumas coisas do livro!
    Qnd eu li o anterior, A rainha branca, adorei tudo no livro achei bem perfeito! E por isso estava cheia de expectativas com esse! Vou botar os pés um pouco mais no chão, rs
    As minisséries eu infelizmente ainda n vi, mas pretendo!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Nizz, mulher, eu acho que comecei a assistir essa adaptação, mas por algum motivo eu larguei.
    Particularmente não me vejo atraída por um livro assim...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Menina do céu!
    Eu li um dos livros dela e nossa, dei uma nota muito baixa. Não consegui gostar nadinha e só de ver que era dela de novo, já não me interessei. E quando vi sua nota, então? Tive certeza que não é pra mim hahaha
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  8. Oi Denise! Eu sou uma curiosa pela escrita da autora e gostei das histórias de reis e rainhas da Inglaterra, só acho que não vou curtir muito essa Elizabeth também rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Oi, Denise

    Eu QUASE solicitei esse, mas como eu tenho um pequeno problema acerca de ler livros de séries fora de ordem, mesmo sendo histórias independentes, acabei mudando minha escolha.
    Uma pena essas ressalvas sobre os personagens, não consigo engolir personagens imaturos em um ambiente tão hostil, onde inteligência e jogo de cintura é algo imperativo, uma pena que não é o caso.
    Não digo que não lerei,mas pelo menos sei o que esperar.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  10. Fico até envergonhada mas não me lembro de ter conhecido essa série, o pior é que esta no quinto volume. Vou me atualizar, pois parece ser legal e gostaria de ler.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!