Resenha: Frida e Trótski - A história de uma paixão secreta - Queria Estar Lendo

Resenha: Frida e Trótski - A história de uma paixão secreta

Resenha: Frida e Trótski - A história de uma paixão secreta

Frida e Tróstski - A história de uma paixão secreta é um romance histórico não biográfico escrito por Gérard de Cortanze, e publicado aqui no Brasil pela editora Planeta - que carinhosamente nos cedeu um exemplar para resenha. Com capítulos curtos e rápidos, a história provoca um mergulho na cultura mexicana e na vida de uma das mais reconhecidas pintoras desta era.
Sinopse: Quando o coração de uma das pintoras mais cultuadas de todos os tempos encontra o de um grande revolucionário 1937. Perseguidos pelo fascismo e pelas forças stalinistas, Leon Trótski e sua esposa, Natalia Sedova, fogem para o México, onde pedem asilo. Frida Kahlo e Diego Rivera oferecem abrigo aos dois russos, que são então acolhidos não apenas na célebre Casa Azul, mas também no agitado círculo de amigos intelectuais e artistas do casal mexicano. Depois de anos repletos de perigos e conflitos com o governo de seu país, os Trótski enxergam na hospitalidade de Frida e Diego um raio de esperança, a quase certeza de dias melhores. No entanto, a paz de Leon parece ameaçada pelos encantos e pela extravagância de Frida, mulher brilhante, sensual, livre e em constante ebulição, colocando o escritor em um conflito interno entre o dever e o desejo. A Cidade do México, sempre tão colorida e caótica, equilibrada entre a magia e a loucura, é palco da história desses dois amantes, dispostos a aproveitar cada encontro como se fosse o último. Mas a morte espreita a cada esquina, e os perseguidores do revolucionário russo estão prestes a encontrá-lo. Nessas circunstâncias, o amor pode ser uma urgência, mas a luta, um imperativo.
O livro tem início no ano de 1937, quando Trótski e sua esposa Natalia desembarcam no porto de Tampico e começam uma nova vida na Cidade do México como foragidos políticos. É ainda no porto que o casal conhece Frida Kahlo, responsável junto a seu marido Diego Rivera pelo abrigo dos soviéticos. A história se desenvolve por dois pontos de vista, o de Frida e Trótski, alternando o olhar dos dois amantes e amigos.

Os dois casais são personagens principais da trama, ainda que Natalia se distancie e tenha sua voz na maioria das vezes apagada. Cortanze mistura uma intimidade e troca familiar com uma trama política inerente a seus protagonistas, sendo Trótski a figura que era e as questões ideológicas de Rivera e Frida. Sem esquecer o mais importante elemento dessa história: o México e sua cultura.

A alma mexicana está impregnada nas páginas do livro e em seus personagens, nas descrições da cidade, das paisagens e nas intermináveis receitas tão especiais à Frida e espalhadas pela história. O amor por seu país e sua cultura é ponto fundamental na trajetória da pintora, no seu modo de vestir e nas suas representações artísticas. Até mesmo Trótski, vindo da fria e implacável União Soviética, acabou se rendendo às paixões despertas pelo calor Mexicano.

Se o México é calor, cores e alegria, Frida é tudo isso e muito mais. Representada em toda sua energia e paixões, com uma sexualidade aflorada e entregue a seus sentimentos. Frida ainda que protagonista é enigmática, esconde dentro de si uma mistura de dor e alegria, de vida e morte e deixa o leitor sem ser capaz de entender completamente suas ações e sentimentos, ficando sempre relegado a posição de mero espectador, nunca nem perto de realmente desvendar os segredos de bastidores.


Resenha: Frida e Trótski - A história de uma paixão secreta

Em alguns pontos, principalmente no começo da leitura, Frida é quase uma mistura de Manic Pixie Dream Girl com elementos exóticos e um apelo sexual. E embora isso tenha incomodado, assimilei o fato e aceitei a Frida-personagem sendo vendida. O fato de não ter muito conhecimento prévio sobre a pintora ajudou a abraçar a figura criada por Cortanze.

Trazendo o contraponto da história, Trótski apresenta um lado mais distante e restrito, apaixonado por sua ideologia e pelas mulheres, é verdade, mas de algum modo mais inacessível ao leitor. Não é possível compreender o personagem sem cair em idealizações ou quebrar todas elas, o que pode ser um ponto mais complicado para os leitores que melhor conhecem o grande líder político que ele foi. Diego, por sua vez, é tão repugnante que apenas reforça meu asco já existente por sua pessoa. Não consigo e não pretendo me ater a ele como personagem, artista ou ativista político, e muito menos como homem e marido.

Quanto aos aspectos gráficos o livro é de uma beleza ímpar, tendo a capa me conquistado logo de primeira. A qualidade do papel e a diagramação ajudam muito a leitura, assim como os capítulos curtos. Encontrei um ou dois errinhos de escrita, mas nada recorrente ou que possa atrapalhar. Um aspecto que pode dificultar, no entanto, são os inúmeros nomes citados sem maiores explicações. Aqueles que não conhecem a história que cerca estes personagens podem sentir-se um pouco perdidos quanto a isso, mas não chega de fato a prejudicar a leitura, apenas a torna um pouco menos proveitosa e esclarecedora do que poderia ser.

Ler Frida e Trótski é mergulhar por um tempo que não volta mais, é se afundar nos sentimentos de uma pintora que sempre viveu tudo com intensidade, e se apaixonar por um México que talvez nunca conheceremos.

Título original: Les Amants de Coyoacan
Autor: Gérard de Cortanze
Editora: Planeta
Tradução: André Telles
Gênero: Romance | Ficção 
Nota: 4
Skoob

GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELO NOSSO LINK!

Amazon | Submarino | Americanas

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

7 comentários:

  1. Oi Eduarda, tudo bem? Eu não gosto muito de histórias que envolvam traição conjugal e sendo esse o ponto central da história corro o risco de não aproveitar tanto a leitura, apesar do interesse em conhecer esse México tão glamouroso, colorido e cheio de vida. Ainda não decidi se leio ou não, mas parece ser um livro muito interessante.
    Adorei a resenha, clara e explicativa.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que bacana esse livro, fiquei mega interessado em conferir!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  3. Olá, Eduarda.
    Eu gosto do livro mostrar a cultura mexicana, que é algo que pouco vejo nos livros. Mas isso da traição eu acho que me incomodaria muito. Ainda mais por o casal estar ajudando eles e ele retribui assim. Acho que é um livro que eu não leria.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oiii Eduarda

    Ah me apaixonei por essa vibe mexicana do livro, nunca li nada ambientado nesse país e amo a cultura do México . Não sei nada sobre a Frida então, pra mim, talvez também será fácil encontrar com esse personagem criado aqui. Vou anotar a dica com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Eduarda!
    A cultura mexicana é muito linda! Mas acho que esse livro não faria muito meu estilo ><
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Não conheço muito sobre a relação dos dois, apenas o que vi no filme com a Salma Hayek, mas gostei bastante do que vi.
    Não sou muito de ler biografias ou histórias de pessoas famosas (apesar de ver muitos filmes do gênero), mas esse parece ser legal =D
    Ah, a capa realmente chama a atenção, é lindíssima, essas cores e letras, lembra bastante o México XD

    ResponderExcluir
  7. eu gosto muito da frida, ja vi uma biografia dela que citava esse envolvimento, com certeza teria curiosidade em ler esse livro

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!