Resenha: Uma noite com Audrey Hepburn - Queria Estar Lendo

Resenha: Uma noite com Audrey Hepburn

Resenha: Uma noite com Audrey Hepburn

Uma noite com Audrey Hepburn foi escrito por Lucy Holliday e publicado pela editora Harper Collins. É o primeiro volume de uma trilogia e conta a história de Libby Lomax, uma mulher de 29 anos que se vê um pouco perdida na vida. Sempre esteve (contra sua vontade) no mundo das produções para TV e cinema à sombra da irmã que era quem realmente nasceu para isso.
Sinopse: A atriz Libby Lomax encontrou seu refúgio no mundo dos filmes clássicos, nos quais as deusas imortais favoritas da tela parecem oferecer muito mais romance do que a vida real. Depois de um dia terrível no set de filmagens, onde ela passou a maior vergonha de todos os tempos na frente do elenco inteiro e, pior, do astro sexy e notório bad boy Dillon OHara, tudo o que Libby consegue fazer é se jogar no sofá e assistir a Bonequinha de luxo pela milionésima vez. De repente, ela se surpreende ao ver a estrela do cinema, Audrey Hepburn, sentada bem ao seu lado, em seu vestidinho preto, clássicos óculos escuros e cigarrilha vintage, cheia de conselhos para dar. Mas será que Libby realmente é capaz de transformar sua vida de fracasso em um incrível blockbuster? Talvez, com um pouquinho da ajuda mágica de Audrey, ela até consiga.
A vida de Libby é um completo "me deixei levar, e agora?". Ela não sabe muito bem no que é boa, não teve tempo entre um teste e outro e uma figuração e outra para ter uma carreira diferente da de atriz. Ela é uma eterna figurante. Sua agente, a mãe dela, também não se esforça muito para mudar a situação. A atenção é sempre voltada para sua irmã, Cass, que é uma perfeita Barbie e extremamente fútil, a coitada não sabe de absolutamente mais nada que acontece além da sua bolha de celebridade. Libby acaba sendo a secretária de Cass em muitos momentos buscando vestidos pra premiações, esmaltes, compras e apesar de ser muito maltratada pela mãe e irmã, ela as ama e tem carinho por elas.

Já o pai de Libby é um completo panaca. Ele é um escritor e está há 20 anos escrevendo um livro que conta sobre a vida de algumas estrelas de cinema como Audrey Hepburn e nunca teve tempo para Libby na infância, muito menos agora.  A única coisa boa que ele fez para Libby foi apresentá-la aos clássicos do cinema, ela vê e revê os filmes como se fosse a primeira vez, é uma válvula de escape.


Resenha: Uma noite com Audrey Hepburn

Rodeada por gente fútil e babaca, Libby não tem uma vida muito fácil. Apesar disso leva tudo com muita leveza e vê graça em si mesma. Para salvar um pouco o ciclo de relacionamentos de Libby, temos Olly, o melhor amigo dela, um cozinheiro explêndido e como bom amigo está lá pra tudo que ela precisar. A irmã de Olly, Nora, também é muito amiga de Libby, porém mora em outra cidade e é médica, então não tem muito tempo e pouco aparece no livro, o que achei bem ruim. Realmente, na vida adulta as vezes não temos muito tempo para falar a todo momento, mas ela mal fala com Nora, achei a amizade pouco desenvolvida.
- Foi ele? Foi Dillon O'Hara? Porque eu juro por Deus, Libby, vou esmagar o crânio dele com... com a maior panela Le Creuset que eu tenho!
O livro começa quando Libby conhece Olly e Nora e logo no capítulo seguinte "pula" para o set de filmagens, anos depois, no qual ela é figurante e tem um papel horroroso. Não achei muito necessário o capítulo inicial, apesar de deixar bem claro como foi a infância e adolescência da Libby, poderia ter sido mostrado durante a história e teria o mesmo impacto. Foi um capítulo um pouco solto na história, assustei quando teve esse "pulo" no tempo.

Libby está tendo um dia particularmente ruim, descobriu que seu novo papel na série que é figurante é péssimo. O set de filmagens está uma loucura, a série terá o astro Dillon O'Hara no elenco e todos estão agitados. Libby não liga muito para isso, ela é um pouco "peixe fora d'água" naquele set, entende do mundo das celebridades mas não é do tipo que se deslumbra ou se importa. Como uma clássica londrina, Libby está furiosa por não começar logo as filmagens pela atraso do astro queridinho e já cria uma antipatia antes mesmo de conhecê-lo.
- Estamos todos esperando que o Senhor Babaca-Mor decida se valemos o tempo dele ou não. Estou falando de Dillon O'Hara - acrescento, para esclarescer a parte do "Senhor Babaca-Mor".
Como se não bastasse as chatices diárias, Libby acaba colocando fogo na fantasia do seu personagem por acidente, o que causa sua demissão. Ela não se abala muito, apesar de se preocupar ela tem coisas mais importantes e melhores para se apegar. Ela está mudando para um novo apartamento, só dela, e terá sua sonhada liberdade. Acontece que o apartamento não é como ela se lembrava, o dono reduziu ele pela metade! Nesse momento, pensei seriamente que nada podia piorar, mas sempre tem como, né? Depois de um dia de cão, ela só quer ver seu filme favorito em paz e coloca A Bonequinha de Luxo, eis que sua atriz favorita surge na sua sala, em carne e osso. Libby sempre sonhou em ter Audrey Hepburn como melhor amiga e conselheira, agora ela tem. 

A autora começou um triângulo amoroso nesse volume, que espero que se desenvolva melhor nos próximos porque nesse início ele só tem um lado! Eu particularmente não gosto do Dillon, não engulo as desculpas que ele dá e se fosse a Libby já teria mandado ele pastar e se quisesse mesmo ter um relacionamento, que prove.  Apesar de não gostar dele, dá pra entender o porquê Libby gosta e em alguns momentos me peguei torcendo para os dois ficarem juntos. O que eu acho um ponto positivo da escrita já que sacrifiquei o meu julgamento como leitora pela felicidade de uma personagem que gosto.


Resenha: Uma noite com Audrey Hepburn

O livro é recheado de clichês, mas são bons clichês, não é forçado. Apesar de uma vida bem ruim, Libby resolve sempre ver o melhor lado da situação e deixa o livro bem leve e divertido, ela não é o tipo de personagem que fica se lamentando da vida horrorosa que tem. A autora fez diversas referências a cultura pop, coisa que eu amo nos livros e ver a Audrey nesse mundo novo com internet e twitter é muito divertido. 
- Oh, Libby, se eu achava que o Gmail era divertido, ele nem se compara ao Twitter!  E é tão fácil depois que você pega o jeito. Acabei de criar uma conta para mim, - está vendo?
Um detalhe carinhoso é que a divisão dentro dos capítulos combina com a máscara da capa e os capítulos tem em seu início o famoso sofá Chesterfield de Audrey Hepburn com ela e Libby sentadas. Adoro livro com pequenas ilustrações dentro, torna a leitura menos cansativa e são ótimos pontos para parar.

Se está precisando de um livro leve e divertido ou simplesmente ama bons clichês e bons chick-lits, recomendo a leitura. Se nunca leu um livro do gênero, recomendo começar com esse, é muito rápido de ler, dinâmico e não dá vontade de largar o livro. Meu coração não queria deixar Libby e Audrey!

Título original: A night in with Audrey Hepburn
Autora: Lucy Holliday
Editora: Harper Collins
Gênero: Ficção Americana | Chick-lit
Nota: 4
Skoob

GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELOS NOSSOS LINKS!

Amazon

Share this:

, , , , , , ,

COMENTÁRIOS

12 comentários:

  1. eu que adoro a Audrey só pela capa/titulo esse livro ja me ganhou! adorei conhecer mais da historia e fiquei mt curiosa pra ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii
      Também adoro a Audrey! Foi o que me levou a ler o livro. Espero que goste da leitura
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, Raquel

    Eu particularmente adoro quando há referências a cultura pop nas histórias e neste livro caiu como uma luva, né? Eu particularmente não leria porque não aprecio muito o gênero, mas daria uma boa adaptação na Netflix (tem cara de história da plataforma hahahah) e eu assistiria, porque na tela acho que funcionaria pra mim.
    Outra coisa que não curto são os famigerados triângulos amorosos, sejam eles bom ou mau trabalhados. Espero que essa parte seja melhor desenvolvida no próximo e te agrade mais.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Siiim, amo referências!Netflix, anota a dica dessa menina, vamos fazer isso acontecer haha
      Eu até gosto de triângulos amorosos, mas quando bem trabalhados, ai fico dividida junto com a personagem, em um capítulo quero que ela fique com um, no outro já mudei de ideia hahaha
      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Raquel, eu estou até agora esperando meu exemplar chegar, mas assim que eu tiver em mãos quero ler, fiquei animada por ter bons clichês!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii
      MEU DEUS, ainda? Sou muito ansiosa, já teria morrido depois de ligar para a transportadora 500 vezes. Depois conta o que achou!
      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Raquel!
    Eu comprei os dois primeiros livros dessa trilogia e estou bem ansiosa. Sua resenha só aumentou minha expectativa.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Era pra eu ter comprado só os dois primeiros também que era o que estava no carrinho, mas não aguentei e comprei os três. Fico feliz, espero que goste também
      Beijos!

      Excluir
  5. Nossa são livros bem curtinhos que podem ser terminados em horas caso não tenha nenhum compromisso e pelo que você disse, muito gostoso de se ler. Ainda não conhecia a Libby, mas fiquei super curiosa para saber o andamento da história.

    Blog Covil Dourado | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii
      Olha, se eu tivesse tranquila de férias era realmente o livro todo em uma sentadinha pra ler. Também estou curiosa, louca pro próximo já
      Beijos!

      Excluir
  6. Oie
    Logo que este livro lançou corri para comprar, mas a leitura não fluiu. Não sei o que aconteceu. Mas lendo sua resenha agora me deu vontade de retomar a leitura. Eu amo esta capa.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii
      Nossa, fiquei envolvida logo no começo! A capa é linda, né? Se voltar a ler, conta pra gente.
      Beijos

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!