Resenha: A Armadilha do Paraíso

  • 09:00
  • 12 de fev. de 2019
  • Resenha: A Armadilha do Paraíso

    A Armadilha do Paraíso é o primeiro livro da trilogia centrada no passado de Han Solo. Mantém um ritmo bom, equilibrando o humor característico do personagem - que a autora sobre trazer tão bem para dentro da história - com as novidades em suas aventuras.
    Sinopse: Depois de uma infância de maus tratos e abandono, o jovem Han Solo finalmente foge das garras de um grupo de contrabandistas para seguir seu sonho de se tornar um grande piloto. Mas a realidade de exploração e injustiça nem sempre é fácil de ser deixada para trás, e seu novo emprego em Ylesia, um retiro para peregrinos religiosos, revela não ser o paraíso que os sacerdotes anunciam. Han precisará de toda a sua malícia e a sua astúcia para sobreviver às armadilhas em seu caminho, sejam as de contrabandistas inescrupulosos ou as de falsos profetas e seus interesses escusos. Nesta clássica e aclamada trilogia, A. C. Crispin conta a história da origem de um dos mais cativantes personagens de STAR WARS, da infância de Han Solo a bordo de uma nave até o momento em que seu destino se cruza com o dos últimos Jedi da galáxia.

    Han está com problemas - mas quando isso não acontece? Depois de anos de servidão a um cruel caçador de recompensas, o garoto consegue fugir para fazer o que mais desejava: desbravar a galáxia. Não é tão fácil quanto parece, especialmente quando não se tem um tostão no bolso e poucas expectativas de sucesso graças à chance de ser recapturado pelo caçador de recompensa. Em um planeta distante, sob uma falsa identidade, Han resolve testar a sorte - melhor, resolve fazer a própria sorte.


    Resenha: A Armadilha do Paraíso

    Han Solo foi, é e sempre será o grande amor da minha vida. Eu sou apaixonada por ele desde os meus quatro anos de idade; adoro seus trejeitos, o sarcasmo, a coragem e a rebeldia. Amo sua independência e seu humor único, o fato de esconder os sentimentos atrás dele. Han Solo é um grande herói e anti-herói, o tipo de cara que faz tudo por dinheiro, que não liga para honra mas que segue um código moral - ele que inventou o código, mas tá ali. Ele tem um grande coração e muita força de espírito, e eu acho que o maior mérito desse livro foi ter conseguido passar tudo isso durante a leitura.
    - Você é um metido, isso sim. Metido, presunçoso... arrogante... insuportável.- Ah, por favor, continue! Eu adoro quando as mulheres me elogiam, é música para meus ouvidos.

    Escrever um personagem como o Han pode dar muito certo ou falhar miseravelmente. A.C. Crispin acertou em cheio; a autora traz toda a libertinagem, os trejeitos e a pose de mau moço ao mesmo tempo em que mostra a fragilidade, os medos e os anseios de um garoto que pouco conheceu sobre gentileza, mas que sabe como encontrá-la e como oferecê-la.


    Resenha: A Armadilha do Paraíso

    A Armadilha do Paraíso é um livro monótono, com pequenas explosões de adrenalina durante seu decorrer, mas não é enfadonho. A história se desenrola em um ritmo bom, do jeito certo. É uma trama cheia de nomes e acontecimentos, que lida com fé e com mentiras, com traições e amizades. O passado desse personagem icônico e querido vem carregado de tantas aventuras quanto o que já se conhece sobre ele.
    E não há Plano B... Acho que terei que faturar meus créditos do jeito honesto.

    Bria, a personagem feminina que divide bons momentos com Han, foi bem desenvolvida dentro da história. De escrava assustada a garota corajosa, ela tem cenas espetaculares junto ao nosso (futuro) contrabandista favorito, e guarda segredos tal como ele o faz. Afinal de contas, Han Solo é um mentiroso de carteirinha. Para sobreviver, ele se esconde atrás de uma mentira e, para subir de nível na vida, aceita riscos que nenhuma pessoa sensata pensaria em aceitar.


    Resenha: A Armadilha do Paraíso

    Pequenas participações especiais e easter eggs podem ser facilmente encontrados pelos fãs da franquia. Preciso citar Alderaan e a rápida aparição de dois personagens muito queridos daquele planeta porque meu coração disparou durante a leitura!
    No extremo final de sua fantasia, Han se imaginava bem-sucedido, respeitado, o melhor piloto da galáxia, com uma nave própria, um monte de amigos legais e créditos de sobra. E... uma família. É, uma família para chamar de sua.

    O fim promete uma faceta que poucos conhecem sobre o contrabandista; uma ligação com o Império e com um sonho antigo. A Armadilha do Paraíso é o tipo de livro que encerra uma aventura e deixa a porta entreaberta para muitas outras. E estamos falando de Han Solo. Toda aventura é muito bem-vinda!



    Título original: The Paradise Snare
    Autora: A.C. Crispin
    Editora: Aleph
    Gênero: Ficção Científica
    Nota: 4
    Skoob

    GOSTOU DO LIVRO E QUER AJUDAR A MANTER O BLOG? ENTÃO COMPRE PELO NOSSO LINK!

    1. Oi! Eu acho o personagens nos filmes ótimos e achei bem interessante saber que conseguiram preservar suas boas características na história escrita. Gostei da dica. Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
    2. Oi, Nizz!
      se você, que é maior stan do Han Solo que conheço, aprova o livro, quem sou eu pra discordar? hahhahahha
      Ainda não li nenhum livro das histórias do universo Star Wars, mas esse aí eu fiquei bem interessada.
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    3. Oi Denise,
      Comecei a desbravar os livros de Star Wars a pouco e to dando preferencia para os canônicos.
      Confesso que o Han não é meu personagem preferido da saga, mas acho ele um personagem riquissimo e um livro sobre as origens dele deve ser bem promissor.
      E convenhamos, livro de SW precisa de easter eggs, ne?
      Enfim, quero ler, mas no momento não é prioridade.
      Abraço,
      Alê
      www.alemdacontracapa.blogspot.com

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.