Controle remoto: The Office

  • 09:00
  • 10.6.19

  • Cheguei na Amazon Prime e um novo horizonte se abriu pra mim, mas a primeira coisa que vi lá no catálogo foi The Office e obviamente corri pra assistir. Há anos que o Tumblr vem me fazendo rir com cenas curtas e gifs aleatórios, então a hype era enorme. Terminei a primeira temporada certa de que não largo até acabar a série.

    The Office é uma série de comédia no estilo "documentário" ambientada em um escritório, onde toda a história gira em torno dessa filmagem acompanhando o dia a dia dos funcionários do lugar. Adaptada da série britânica de mesmo nome, a norte-americana é liderada por ninguém menos que Steve Carrell e apresenta um elenco brilhante com um timing perfeito, um roteiro impecável e as situações mais absurdas que um escritório poderia receber.

    Michael Scott (Carrell) é o melhor pior chefe de todos. Ele carrega tudo de mais horrendo que uma pessoa pode ter, mas a presença cômica e o humor satírico pontual do roteiro o tornam suportável justamente por usar e abusar desses traços imbecis para trabalhar a comédia. A maneira com que ele reage ao ambiente e aos personagens ao seu redor como se fosse o dono do pedaço, seus comentários babacas, tudo isso é justificado porque ele existe para ser aquele chefe insuportável que ninguém merece, mas todo mundo já teve.


    O restante dos funcionários precisa lidar com a presença de Michael à sua maneira, e é aí que entram as personalidades diversificadas e o roteiro refinado para trabalhar com cada uma delas. Dwight (Rainn Wilson) é o puxa-saco ainda mais insuportável que o chefe porque consegue apoiar toda a escrotidão e se mostrar ainda mais escroto e, socorro, como ele é engraçado por isso. O tipo de homem que se acha o dono de tudo mas na real é a chacota de todo momento. 

    Jim (John Krasinski) é o coitado que na verdade não é tão coitado assim; o que sofre, mas revida. Um bom moço, aliás, que tem as melhores encaradas pra câmera sempre que uma situação absurda se desenvolve. Pam (Jenna Fischer) é a secretária do escritório e meu deus como ela aguenta absurdo atrás de absurdo da maioria dos homens (em especial do Michael) (o Jim não, o Jim é perfeito); é um retrato perfeito do que é ser mulher em um ambiente de trabalho tóxico.

    Eu ainda tô bem no comecinho, mas sei que os outros coadjuvantes vão se destacar no decorrer das temporadas - porque a maioria ali ascendeu na carreira artística grandiosamente.

    O roteiro é a peça central e certamente a mais brilhante da história toda porque é GENIAL. As piadas estão escondidas dentro das sátiras e do sarcasmo e se desenvolvem com louvor conforme você entende mais e mais os absurdos que se passam naquele escritório - os momentos do Michael são ridículos de bom justamente por ele ser tão imbecil.

    A primeira temporada tem apenas seis episódios, com duração de 20 minutos cada, então vale a pena conferir se você quiser dar umas boas risadas e passar uma vergonha alheia com o Michael.

    1. Oi Denise! Eu estou evitando começar novas séries, mas se essa garante boas risadas e os episódios são curtinhos, eu vou conferir. Eu não conhecia, mas curti a dica. Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
    2. Oi Denise!
      Eu conheço a série de nome, mas não sabia que se tratava disso! Parece ser divertida! Me interessei, ainda mais pela quantidade de eps e duração deles tbm, hahah. Darei uma olhada!
      Bjs
      http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.