Resenha: Fome - Uma autobiografia do (meu) corpo

  • 09:00
  • 12 de jun. de 2020
  • Resenha: Fome - Uma autobiografia do (meu) corpo


    Fome - uma autobiografia do (meu) corpo é a segunda não-ficção de Roxane Gay, publicado no Brasil pela editora Globo Livros. Nele, a autora relata os eventos que transformaram seu corpo, as repercussões do que foi feito a ela, a forma como ela conseguiu lidar com seus traumas e como é viver dentro de um corpo que é rejeitado de tantas formas pela sociedade - mulher, negra, gorda.


    Sinopse: Nesta autobiografia escrita com sinceridade impressionante, a autora best-seller Roxane Gay fala sobre como, após sofrer um abuso sexual aos doze anos, passou a utilizar seu próprio corpo como um esconderijo contra os seus piores medos. Ao comer compulsivamente para afastar os olhares alheios, por anos Roxane guardou sua história apenas para si.

    Até conceber este livro. Esta não é uma narrativa bem-sucedida de perda de peso. E este também não é um livro que Roxane gostaria de escrever. Entretanto, é uma história que precisa ser contada, e ela o faz com seu estilo contundente e impetuoso, ainda que dotado de um humor mordaz, características que a tornaram uma das vozes mais marcantes de sua geração. "Fome" é um relato ousado, doloroso e arrebatador.Até conceber este livro. Esta não é uma narrativa bem-sucedida de perda de peso. E este também não é um livro que Roxane gostaria de escrever. Entretanto, é uma história que precisa ser contada, e ela o faz com seu estilo contundente e impetuoso, ainda que dotado de um humor mordaz, características que a tornaram uma das vozes mais marcantes de sua geração. "Fome" é um relato ousado, doloroso e arrebatador.

    Estava esperando para ler Fome desde que comprei o livro, há mais de um ano. Mas sempre me afastava achando que não era a hora certa - é algo que faço muito quando tenho grandes expectativas para um livro. Sempre fico guardando para "o momento certo". Então decidi que esse seria o ano.

    E foi. E eu me surpreendi muito, porque estava certe de que sabia como o livro seria. Só que ele não foi como eu esperava. Fome é uma narrativa direta, emotiva, crua e honesta sobre conviver com os seus traumas e viver em um corpo que você aprendeu a odiar graças a toda a sociedade.

    Roxane Gay narra sua jornada desde o nascimento, Sua relação com o corpo na infância e como tudo mudou aos 12 anos, quando o garoto de quem gostava a estuprou com seus amigos. A autora relata a dor, a vergonha e necessidade de evitar a todos os custos que outra pessoa a machucasse daquela forma. Sua solução foi engordar, uma vez que as mensagens que a sociedade nos envia é a de que mulheres gordas são invisíveis, desprezadas, jamais desejadas.

    Fome relata seus esforços para transformar seu corpo em um local seguro mais uma vez. Em uma fortaleza que jamais seria ferida de novo. No entanto, ao longo de sua jornada, o peso logo deixou de ser uma fortaleza para se tornar uma jaula. Uma limitação social e um rótulo que todos usavam para não enxergar nada além de seu peso.

    É um relato que não esconde seus sentimentos, que não esconde inveja, dor, desejo. É um relato que não está aqui para dizer "pobre de mim que sou gorda" ou, ainda, para mostrar uma "história de sucesso" sobre emagrecimento - inclusive, deus me livre dessas histórias.

    Resenha: Fome - Uma autobiografia do (meu) corpo

    Fome é sobre perspectiva, e é exatamente isso que ele traz. Roxane Gay fala de seus terrores da vida adulta: cadeiras com braços, onde ela talvez não caiba ou, se couber, como irão machucá-la. Degraus em palcos nas suas palestrar. O próprio suor. Dezenas de pequenas coisas do cotidiano que pessoas menores que ela não enxergam como obstáculos.

    Acima de tudo, vejo Fome como caminhar dentro da pele da Roxane por alguns instantes. Não é uma história sobre como ela passou a se amar ou como superou o trauma.

    É uma história sobre como ela convive com tudo isso. Como tudo que ela fez e foi feito a ela a transformou. Moldou suas relações. Guiou suas escolhas. Sobre o racional e o emocional, quando falamos de viver como uma pessoa gorda em uma sociedade gordofóbica. Como uma pessoa negra, em uma sociedade racista. Como uma mulher, em uma sociedade machista e misógina.

    Em resumo, Fome é um relato cru, honesto e emocional sobre a vivência de uma mulher negra, gorda e queer, que encontra obstáculos diariamente por conta do seu corpo. Mas que segue fazendo um trabalho incrível ao falar sobre suas experiências, sobre feminismo e sobre literatura.

    Título original: Hunger
    Autora: Roxane Gay
    Tradutora: Alice Klesck
    Editora: Globo Livros
    Gênero: Não-ficção | Biografia
    Nota: 5

    1. Parece ser uma leitura bem intensa hein... Nunca ia imaginar que era meio que uma auto-biografia. Não faz muito meu estilo de leitura, mas quem sabe não dou uma chance no futuro..
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    2. Nossa não acredito! Esse livro é uma preciosidade.Eu ainda não conhecia esse livro mas já o quero desesperadamente. Eu estou chocada e muito tocada com a história dela.
      Também sou assim, quando quero muito um livro e o consigo eu não consigo ler imediatamente kkkk
      Jardim de Palavras

      ResponderExcluir
    3. Oi Bianca, tudo bem? Eu não sou tão fã de livros dos gêneros, mas eu achei o tema tão bom e parece tão honesto, que me interessou.

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.