Resenha: How to Hang a Witch (Como enforcar uma bruxa)

  • 09:00
  • 24 de nov. de 2020
  • Resenha: How to Hang a Witch

    How to Hang a Witch - Como Enforcar uma Bruxa, em tradução literal - é um YA de terror sobrenatural escrito por Adriana Mather, ainda sem publicação no Brasil. Nele, a autora se inspira na sua história familiar para criar Sam, descendente de Cotton Mather, o homem considerado responsável pelo pânico que iniciou a caça as bruxas em Salem, em 1692.

    Sinopse: Salem, Massachusetts, é o local dos infames julgamentos de bruxa e o novo lar de Samantha Mather. Recentemente transplantada de Nova York, Sam e sua madrasta não são exatamente recebidas de braços abertos. Sam é descendente de Cotton Mather, um dos homens responsáveis por aqueles julgamentos - e quase imediatamente ela se torna inimiga de um grupo de garotas que se chama de Descendentes. E adivinha de quem elas são descentes? Como se lidar com isso não fosse o suficiente, Sam também precisa lidar com fantasma bem real. Um belo e zangado fantasma que quer que Sam pare de tocar em suas coisas. Mas logo Sam descobre que é o centro de uma maldição secular que afeta todos com laços com os julgamentos. Ela precisa se entender com o fantasma e encontrar uma forma de trabalhar com as Descendentes para acabar com um ciclo perigo que vem acontecendo desde que a primeira bruxa foi enforcada. Se tem uma cidade que deveria ter aprendido a sua lição, é Salem. Mas a história pode estar prestes a se repetir.

    Faz alguns anos que eu quero ler How to Hang a Witch e tem uns dois natais que eu ganhei ele de presente da Eduarda - que é apaixonada pela história. Esse ano o livro acabou sendo sorteado no app de TBR do Skoob e pensei: por que não?

    Assim que comecei a leitura já percebi o grande potencial de me conquistar: toda a atmosfera mistura muito bem a fantasia e a realidade. Adriana Mather conseguiu me fazer enxergar Salem e construiu uma mitologia que soa bem plausível. Além disso, os personagens me conquistaram.

    A relação da Sam com a Vivian me pegou um pouco de surpresa. No começo eu achei bem interessante como ela parecia apegada a madrasta e pensei que finalmente eu teria uma história onde a madrasta era um figura materna mesmo. Mas a condição do pai, em coma, colocou um peso enorme na relação das duas e foi interessante ver os sentimentos da Sam sobre isso.

    Resenha: How to Hang a Witch

    Também rolei no chão shippando Sam e Elijah - o fantasma rabugento. A principio a história de Elijah parece bem distante da de Sam, mas aos poucos vamos entendendo ela melhor. É ele quem ajuda a garota a desvendar os mistérios da maldição e que vira e mexe dá uns cortes excelentes na Sam.

    Outra parte legal da relação deles é que não existe aquela ideia de "vamos fazer o impossível acontecer" porque Elijah está muito ciente de que é um fantasma e que essa condição não vai mudar. Portanto, um relacionamento com Sam é muito complicado. E isso foi algo que não vejo com tanta frequência quando falamos em romance sobrenatural.

    Mas ele não foi o meu único ship, porque além do Elijah tem o Jaxon, o vizinho bem intencionado e bonzinho que me deixou o livro inteiro perguntando "eu gosto dele, mas será que posso CONFIAR nele?". Gostei de como a relação dele e da Sam era leve e fácil, e como ele era divertido e estava sempre do lado dela, mesmo quando ela tentava afastá-lo.

    Resenha: How to Hang a Witch

    Aliás, um grande ponto de interrogação nesse livro é o ponto da confiança. Me perguntei muito sobre quem eu podia confiar ou não. Especialmente com relação as Descendentes: Susannah, Alice, Mary, Lizzie e John. Os cinco simplesmente odeiam Sam - muito mais do que por seu antepassado - mas são a chave que ela precisa para entender e quebrar a maldição da sua família.

    Embora soubesse que podia confiar neles em algum nível, estava sempre com a pulga atrás da orelha. Constantemente tentando descobrir as coisas antes que o livro me revelasse. E, embora eu tenha descoberto o vilão cedo, foi muito divertido tentar amarrar todas as pontas para tudo fazer sentido.

    Resenha: How to Hang a Witch

    De forma geral, gostei muito do livro. A única coisa que me incomodou foi a relutância desesperada de Sam em relação a terapia. Eu entendo que ela negava a necessidade porque as coisas, de fato, estavam acontecendo como ela dizia que estavam. Mas a forma como ela se opunha, mesmo quando falavam que seria bom para ela lidar com os sentimentos em relação ao coma do pai - o que é totalmente sensato - parecia bem virado para o lado de "terapia é para gente louca" e não gostei muito. 

    Me incomodou um pouco. Por isso acabei tirando meia estrela, por esses comentários.

    No mais, How to Hang a Witch foi uma história cheia de mistério, empolgante, com um mundo bem construído e que não dá vontade de largar. Uma pena não ter vindo para o Brasil, mas super recomendo para quem lê em inglês!

    Título original: How to hang a witch
    Autora: Adriana Mather
    Editora: Knopf Books for Young Readers
    Gênero: YA | Sobrenatural | Fantasia Urbana
    Nota: 4,5 +

    how to hang a witch

    1. Com certeza vou ler! Não tinha ouvido falar, mas já amei a sinopse, parece um livro que me prenderia bastante!

      Blog Tagarelando Livros

      ResponderExcluir
    2. Adorei o título do livro e achei ele bem diferente do que imaginei que seria. Mas to de cara mesmo com a Adriana a cara da Kaya Scodelario ali kkk
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    3. Oi Bianca! Eu não conhecia, mas já gostei pelo título! Gosto de livros que nos fazer ter desconfiança o tempo todo, acho que iria curtir!

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
    4. Oii, adorei a resenha, gostei bastante do enredo.

      Beijos
      https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.