Resenha: A Arte de Correr na Chuva

  • 13:22
  • 24.8.12
  • Resenha: A Arte de Correr na Chuva

    Já faz algum tempo que eu li A Arte de Correr na Chuva, do Garth Stein, mas ele sempre me surpreende quando penso sobre. O livro, lançado por aqui pela editora Paralela, não fez muito barulho e é difícil encontrar muita coisa sobre ele na internet. O que, pra mim, é uma pena.

    Sinopse: A história de uma família contada sob a visão do dócil e sábio Enzo, um cachorro com alma humana. Enzo foi criado assistindo a programas no canal "National Geographic" e aprendeu que todo cachorro que morre, se estiver preparado, reencarna como ser humano. Em um flashback de sua vida, Enzo relembra momentos de ternura, amor, injustiça e traição que presenciou na vida de seu dono, Denny. Ele aprendeu a administrar a vida como numa corrida de carros, onde nem sempre a velocidade é a melhor estratégia. E agora tudo o que deseja é colocar este aprendizado em prática.

    A arte de correr na chuva conta a história de um cãozinho chamado Enzo que, ainda pequeno, é adotado pelo piloto de stock car, Denny Swift, o melhor corredor em pista molhada (daí o nome do livro). A partir daí, acompanhamos toda a vida de Enzo desde seus últimos segundos até os primeiros, em uma retrospectiva de tudo que ele passou e tudo que viu, que o fizeram crescer como alma e se preparar para voltar ao mundo como um humano.

    Como deve ser difícil ser uma pessoa. Anular constantemente os próprios desejos. Preocupar-se em fazer a coisa certa, em vez de fazer o que é mais conveniente.

    O que mais me interessa no livro é que ele é contado pelo ponto de vista do Enzo enquanto ele descreve sua vida de cachorro. E, com uma simplicidade e inocência tamanha, uma lealdade descabida, percebemos o quanto ele está pronto para evoluir em um plano astral.

    Confesso que quando terminei de ler não dei a devida atenção. Mas tenho o costume de pensar muito a respeito do que li depois, e então comecei a perceber os toques de espiritualidade e filosofia de um cão que foi criado assistindo ao canal National Geographic. Além disso, como ele incube um tom de lealdade e ingenuidade do livro.

    No fim, acabei me pegando pensando se aquilo era o que os cães realmente sentiam e pensavam, se era daquela maneira que uma alma evoluía. Uma boa reflexão e uma leitura muito fácil.

    Porque a lembrança é o tempo se dobrando sobre si mesmo. Lembrar é se desligar do presente.

    Não gosto muito de criticar a escrita de um autor, porque pra mim isso é marca. Quem escreve sabe que depois de um tempo acabamos nos apegando a uma maneira de escrever, um tipo especifico, uma zona onde nos sentimos mais confortáveis; e é por isso que evito criticar a escrita. Mas até hoje só existiu um autor que me decepcionou nesse quesito, e não foi Garth Stein. Ele escreve de maneira leve e solta, com desenvoltura e você não se sente engolido por palavras e expressões que não entende. É gostoso ler A Arte de Correr na Chuva.

    E, para quem ficou com um pé atrás achando que o livro é daqueles que focam em espiritualidade e reencarnação, está enganado. A Arte de Correr na Chuva foca na vida de um cão, em sua lealdade e fiel amizade ao dono e é interessante poder imaginar como eles se sentem em relação a nós – uma visão diferente da de Marley e Eu.

    É um livro lindo e que merece atenção.

    Seu carro vai para onde vão seus olhos. É apenas uma outra maneira de dizer que o que você deseja já está a sua frente.

    Mais do que super recomendado!


    Atualização, 11/07/2019: Agora que o filme está próximo, e eu já tive cerca de 10 anos para conviver com essa história, sinto que é preciso discutir um dos arcos. Na época, me pareceu só mais um artifício da história, mas hoje ele é parte de toda uma discussão que eu faço frequentemente. 

    Um dos arcos finais do livro traz a falsa denúncia de estupro, alimentando uma narrativa que é bem diferente da realidade. Por se tratar de um ponto que eu levanto e critico frequentemente, não é algo que posso deixar passar. É fato que a história poderia ter se desenvolvido da mesma forma com o uso de qualquer outro subterfúgio que não uma falsa denúncia de estupro. E isso, por si só, me decepcionou bastante.

    No total de sua obra, A Arte de Correr na Chuva é um livro delicado, com um tema sensível e tocante. Mas que peca em dado momento por apelar a uma situação tão problemática e que, na sociedade em que vivemos, é frequentemente o motivo de descredito das vítimas de abuso sexual.

    Titulo Original: The Art of Racing in the Rain
    Autor: Garth Stein
    Tradutor: Antonio Paulo de Lima
    Editora: Paralela
    Gênero: Romance
    Nota: 5 +
    SKOOB


    1. Daiana Mara28.8.12

      Esse é um dos livros mais lindos que eu já li. Eu achei interessante foram as descrições de técnicas de corrida para os acontecimentos que vão se desenrolando no livro (como essa frase que você citou por último). Livro realmente muito bom.

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.