Resenha: Destrua-me

A resenha de hoje vai tratar sobre um conto, narrado pelo ponto de vista de um personagem muitíssimo intenso e arruinador de vidas. Trata-se de Destrua-me, escrito por Tahereh Mafi, uma narrativa que se passa entre os acontecimentos de Estilhaça-me e Liberta-me.

SinopseUma história contada do ponto de vista de Warner, o cruel líder do Setor 45.

Li o conto em poucas horas. É um texto curtinho, só 70 páginas... E essas 70 páginas me trouxeram tantas emoções e sentimentos conflitantes que eu nem sei como estou escrevendo isso aqui sem inserir gifs de surto.

Vejam bem: sempre fui apaixonada por vilões. Quando li Estilhaça-me, a coisa não foi diferente. Embora Adam Kent seja um personagem decente, Warner é Warner e fim de papo. A partir do momento em que ele apareceu no livro soube que ia sofrer amando-o; e foi exatamente isso que aconteceu.



Em Estilhaça-me, conhecemos um líder cruel e perigoso; em Destrua-me, entendemos que o personagem é muito mais do que isso. A narrativa segue os pensamentos perturbados de Warner, enquanto ele tenta lidar com sua paixão por Juliette, a protagonista da trama, e os problemas em ser filho de um governante muitíssimo ameaçador – o pai dele é um cretino, e quando você acha que não dá pra odiar mais ele, o cara vai lá e me sai com isso:

“— Você já me desapontou de tantas maneiras — ele diz com a voz aparentemente suave. — Por favor, não faça isso novamente.”.

E dá-lhe Warner aguentando toda essa carga emocional. Ele é odiado por todos os seus soldados, o pai o despreza e zomba dele o tempo todo e o amor de sua vida lhe deu m tiro no ombro.

“Quase esqueço que ela ainda me odeia, apesar de eu ter me apaixonado tão intensamente por ela. E me apaixonei. Perdidamente.”.

Warner é complexo, acho que é por isso que eu gosto tanto dele. Você mergulha nos pensamentos do personagem e vê que ele tenta lidar com tudo da maneira com que foi ensinado, com força e crueldade, ao mesmo tempo em que aprende a entender esse novo e arrebatador sentimento – que é o amor dele pela Juliette. Ele a quer ao seu lado, ele fez de tudo para mostrar para ela o quanto ela era poderosa, ainda que admita para si mesmo que algumas tentativas não tenham sido convencionais (como a simulação com o bebê em perigo – leia Estilhaça-me e entenderá); ele deseja que ela corresponda aos seus sentimentos. E ISSO MACHUCA PORQUE POBRE WARNER SOFREDOR.


“A vida que tenho agora é a única que importa. O sufoco, o luxo, as noites mal dormidas, e os corpos dos mortos.Sempre me ensinaram a me concentrar no poder e na dor, em ganhar e infligir. Não lamento nada. Aceito tudo. É o único modo que encontrei de continuar vivendo nesse corpo maltratado.”.

A narrativa de Tahereh Mafi, como sempre, é arrebatadora. Flui rápido e de maneira incrível, e desafio você a não se apaixonar pelo Warner depois de ler isso. Gostei de ler sobre ele descobrindo o passado da Juliette; quando Warner encontra o diário onde ela escrevia sobre seus pensamentos e seus medos durante sua prisão no manicômio. Achei lindamente emocionante, porque você o vê sofrendo por ela, sofrendo por não poder ter feito algo por ela; sofrendo por entendê-la.

“Não consigo parar de ler seu diário.Meu coração sofre, de certo modo, mas não consigo deixar de virar as páginas. Sinto como se estivesse batendo num muro invisível, como se meu rosto estivesse envolto em plástico e eu não pudesse respirar, não pudesse ver, nem ouvir qualquer som a não ser as batidas do meu próprio coração pulsando nos meus ouvidos.”.

Título: Destrua-me - Destroy Me
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Nota: 

* O conto está disponível grátis no site da editora Novo Conceito, e você pode baixá-lo em formato ebook

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

3 comentários:

  1. Caraca!!! Primeiramente que já li Liberta-me e com certeza amo mais ainda esse personagem, mas a verdade é que ele me assustava e amedrontava muito no primeiro livro. Reli Estilhaça-me para ver se descobria qual era o fascínio que ele tinha, já que eu não conseguia entender o pq disso, terminei a história ainda o odiando. Na cena do bebe eu senti nojo da atitude dele, mas ao ler Destroy-me minha ideia sobre ele começou a mudar e Liberta-me foi crucial para me fazer perceber isso. Ele é um personagem forte e determinado, sem medo e escrúpulos eu simplesmente o adora agora rs. Adorei a resenha e obrigada pela visita lá no blog!

    http://blogliterata.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li Liberta-me inteiro, mas tô morrendo pra terminar! É que ler em ebook é um pouco chato pra mim, então eu demoro muito D: MAS SIM, imagino que eu vá me apaixonar ainda mais pelo Warner çç
      Eu tenho fascínio por vilões, não importa o que eles façam - a não ser que ele seja o Sebastian Verlac, de Instrumentos Mortais, eu consigo odiá-lo u_u UHUHSAUHASUHAS.
      A Tahereh acertou em cheio criando o Warner, e eu torço pra ele ficar com a Juliette no final, porque por mais legal que o Adam seja, acho Warniette um casal muito mais fodástico :D
      Obrigada pelo comentário, flor!

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir
  2. Amei a sua resenha Denise, eu já te falei (eu acho) que eu já li Estilhaça-me e simplesmente amei *-*
    Eu vou procurar o E-book (pelo que eu fiquei sabendo, o livro só foi liberado em e-book, correto?) e me apaixonar cada vez mais ♥
    Beijos, Nathalia.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!