Resenha: A Seleção


Que garota nunca sonhou em conhecer um príncipe, se apaixonar por ele, e deixar de ser uma simples plebeia para virar uma doce princesa? Aposto que todas nós já sonhamos com isso em algum momento de nossas vidas, algumas talvez até mantenham esse sonho vivo dentro de si, mesmo que escondido em algum lugar bem lá no fundo de nossos pensamentos e corações. 

Sinopse: Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço.
E é a partir dessa premissa que Kiera Cass criou o livro A Seleção, uma distopia envolvendo príncipes e palácios, bem como pobreza e rebeliões. Diferente dos contos de fadas onde o final feliz é garantido e as injustiças sofridas pela pobre donzela são todas reparadas assim, o livro de Kiera nos apresenta uma história onde apenas o final feliz do casal não é o suficiente. Queremos mudanças, precisamos delas.

O Reino de Illéa se encontra onde antes era o Estado Americano da China, e antes disso os Estados Unidos da America, e sua sociedade é toda dividida em castas. As castas são diferenciadas por números, sendo a Um pertencente à Família Real e Oito a que diz respeito a mendigos e indigentes.  Se uma pessoa pertence à determinada casta ela deve agir dentro das regularidades de tal casta, tendo assim suas opções altamente limitadas. E quanto mais alto for o número da sua casta, mais pobre e sem chances você é. 



É com essa breve explicação que lhes apresento America Singer, nossa protagonista, uma jovem determinada e irreverente. America é uma cinco, e, portanto, não tem muitas chances na vida, sua família é relativamente grande e ela precisa ajudar a por dinheiro em casa. A casta cinco é a dos artistas, e embora ela e sua família sejam talentosas, existem épocas no ano onde a escassez predomina e a fome passa a ser uma constante.

Mas tudo isso pode mudar quando ela é escolhida para A Seleção. A Seleção nada mais é que uma espécie de concurso onde o prêmio final é a mão do Príncipe de Illéa, Maxon. Essa é a grande chance da vida de America, talvez até mesmo a única, e ela precisava aproveitá-la o máximo que puder. O problema é que a ruiva tem outra coisa em mente, ou melhor, outro alguém.  America não quer ganhar a disputa e ter Maxon para si, e muito menos a coroa!, pois seu coração já possui um dono que o fez em pedacinhos.


Conforme o tempo vai passando e a convivência com Maxon aumentando, porém, ela acaba descobrindo que talvez haja sim espaço para ele em seu coração. Um espaço maior do que ela previa, até. Mas Aspen, aquele a quem ela julga amar, retorna e tudo ganha um ar ainda mais dramático. America ama Aspen, ela tem certeza disso, ele sempre foi uma constante em sua vida e alguém em quem ela sabia que poderia confiar. Mas ela também gostava de Maxon, e ele mexia com ela de um modo que nem mesmo Aspen fazia.



Como alguém pode esperar que ela escolha entre os dois, quando ambos são tão diferentes e principalmente quando ela pode acabar estragando tudo para os três?

E em meio a tudo isso America ainda precisa lidar com todo o processo da Seleção e o que ela implica, o que não facilita nem um pouco sua vida. E tudo pode ficar ainda pior com os ataques dos rebeldes ao palácio, que estão ficando cada vez mais graves. America tem pouco tempo para fazer sua escolha antes que as coisas piorem ainda mais, mas qual escolha ela deve fazer?

—  Sendo  essas  as  circunstâncias,  nunca  tive  a  oportunidade  de me apaixonar. E você?  — Tive — respondi na lata.  Logo  que  as  palavras  saíram  de minha  boca,  quis  pegá-las  de  volta. Era um assunto particular, não era da conta dele. — Então você  teve muita sorte — havia um pouco de ciúme em sua voz.

A Seleção é um livro incrível e que me lembrou em muitos aspectos Jogos Vorazes, em certos pontos os personagens se repetem e podemos ver uma história sobre a outra. Os elementos estão todos lá, basta você enxergar. Mas isso não tira em momento algum o crédito do livro ou o mérito da autora, bem pelo contrário, pois podemos ver duas histórias com elementos semelhantes serem contadas de formas extremamente diferentes. Kiera mascarou a tirania e a deturpação da sua sociedade com Príncipes, palácios e muito romance.

Os personagens são encantadores e eu desafio vocês a lerem esse livro e não se apaixonarem por Maxon, é impossível! O Príncipe é o personagem mais carismático e adorável que encontrei nos últimos tempos, tornando quase impossível a minha fidelidade a Aspen. E este, por sua vez, é de uma lealdade à America que chega a machucar um pouco meu coração. Por mais incrível que Maxon seja não consigo deixar Aspen de lado, oh céus, estou pior que a própria America!


Enfim, indico o livro a todos que forem fãs de um bom romance e que desejam cair de amores por uma história envolvente e muito bem contada. A leitura é leve e rápida, com direito a borboletas no estômago em algumas passagens do livro. Cinco estrelas para A Seleção.

Você pode conferir, também, a resenha de A Elite.

Título: A Seleção - The Selection
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Gênero: Distopia
Nota: 5


Saiba mais em: Skoob | Saraiva | Submarino

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

10 comentários:

  1. Oláa Eduarda!

    Gostei muito da sua resenha *o*
    Já li A Seleção e A Elite e gostei bastante de ambas, mas mas livro favorito é A Elite porque mexeu muito com a minha emoção HAIEHAUIE
    E acho que uma das poucas que - ou a unica - que não se apaixonou totalmente por Maxon, tive uma queda por ele no primeiro livro, mas não passou disso '-' sou normal? UIAHEIUAHIUE
    Enfim, também tenho que dizer que o blog de vocês está lindo demais, simples porém com ótimos conteúdos, bem escrito, bem feito, bem caprichado! Meus parabéns a todas :3

    Beijos
    Nathália
    Nova resenha em Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, sobre o Maxon... aguarde minha resenha de A Elite que está por vir, tenho uma opinião bem mais formada sobre ele lá. Ah, e acompanhe o blog pois depois da resenha de A Elite teremos algumas "brincaderas" envolvendo Team Aspen e Team Maxon. Obrigada pelo coment, :).

      Att,
      Eduarda Henker
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br

      Excluir
  2. Kkkkk Adorei Eduarda!
    Oh, céus! Estou pior que a América! kkkk
    Ficou ótima a resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por ter gostado da resenha, e obrigada mais ainda por ter deixado seu comentário. Adoro saber se as pessoas concordam ou não com o que eu digo, ehehe. E quanto a estar pior que a America, é verdade! Ou melhor, ERA. Agora tenho um "team" definido, mas isso só posso contar daqui uns dias, tu vai ter de acompanhar o blog pra saber, ehehe. :)

      Att,
      Eduarda Henker
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br

      Excluir
  3. Eu amei o Maxon e o Aspen nesse livro. Quando comecei a ler, achei que ninguém bateria o Aspen. Daí conhecemos o Príncipe. E fiquei na dúvida. Depois de A Elite, no entanto, fiquei com uma bandeira mais definida. Aiai...!

    Beijo! Adorei a resenha. Também fiz uma sobre este livro, dá uma olhada lá no blog ♥

    Raquel Moritz
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel, tudo bem?
      Obrigada por ter comentado!

      Então, eu fiz a mesma coisa. Amei o Aspen e achei que ninguém poderia ser melhor, e depois que conheci o Maxon me apaixonei por ele. Mas sempre fiquei perdida entre os dois. Depois de A Elite, porém, sou Team Aspen pra toda a vida! <3

      Att,
      Eduarda Henker
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br

      Excluir
  4. Nossa que resenha maravilhosa! Nossa que conflito amoroso a América sofre não concorda: amar um e gostar de outro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário!

      E sim, America realmente vivia um grande conflito, pena a Kiera não ter sabido trabalhar bem ele (como tu pode notar nas resenhas dos próximos livros).

      Att.,
      Eduarda Henker

      Excluir
  5. Suas resenhas são INCRÍVEIS!Já comprei ''Seleção'' e ''Elite''. Estou me coçando pra ler, e morrendo esperando chegar haha. Parabéns! Amei sua resenha. Bem descritiva, mas sem soltar spoilers! ótima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo elogio e pelo comentário! :)

      Att.,
      Eduarda Henker

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!