Resenha: O Menino do Pijama Listrado

Bruno é um garoto comum de nove anos que adora brincar com os amigos e explorar. Seu pai tem um emprego muito importante junto do Fúria, sua casa tem empregados, ele ama a mãe e tem que suportar a irmã mais velha, Gretel, com seu quarto cheio de bonecas apavorantes.

Sinopse: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os Judeus. Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. "O Menino do Pijama Listrado" é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

Mas a vida de Bruno muda completamente quando o Fúria da um emprego importante para os eu pai, que faz a maior injustiça do mundo com o pequeno: ele precisa se mudar e deixar para trás seus melhores amigos para a vida toda! Bruno odeia a mudança, mas não pode evitá-la e é assim que eles se mudam para a casa de Haja Vista, ao lado de uma fazenda onde, oras essa, as pessoas vivem de pijamas listrados o dia inteiro!

Como um bom explorador que é, Bruno logo se aventura ao longo da cerca que delimita as fronteiras da fazenda e acaba por fazer um novo melhor amigo para a vida toda: Shmuel.


"A infância é medida por sons, aromas e visões, antes que o tempo obscuro da razão se expanda."Temos que procurar fazer o melhor de uma situação ruim.
O menino do pijama listrado é, com certeza, o livro mais atordoante que já li.

Situado em uma Alemanha nazista do século passado, o relato infantil e a ingenuidade de Bruno me fizeram chorar com o final do livro, me levando ao ponto de não conseguir ver o filme pois já sabia o final da história - era triste demais revivê-la. 

John Boyne consegue transmitir toda a infantilidade, imaginação e sentimentos de uma criança de nove anos, completamente alheia ao mundo a sua volta neste livro. O fato dele trocar o nome dos locais (por não entender seus nomes reais) como Fúria no lugar de Füher e Haja-Vita ou invés de Aushwitz, passa tamanha inocência que é difícil lembrar que a história é uma obra de ficção. 

Descobri o nome do livro do nada, em um comunidade do orkut que mediava, comprei apenas por comprar e depois percebi que havia sido uma de minhas melhores compras, inconscientemente. Assim como em "O caçador de pipas", onde a frase Por você eu faria mil vezes me deixa emocionada, em "O menino do pijama listrado", a frase que me deixa mais fascinada com Bruno e seu senso de amizade eternar e lealdade, é quando ele diz a seu mais novo amigo, Shmuel: 'Você é o meu melhor amigo para a vida toda, Shmuel.


"Não torne as coisas piores, pensando que dói mais do que você realmente está sentido.
Acredito que a escrita calma e leve - apesar do conteúdo - de Boyne foi o que melhor contribuiu para transmitir tamanha inocência e sensibilidade, mostrando aos leitores o mundo através dos olhos de Bruno: um mundo onde a maldade não existia, onde a amizade não tinha limites e onde todos eram iguais, mesmo com todas as suas diferenças.

Boyne nos oferece as portas para um mundo maravilhoso, que não possui qualquer noção das monstruosidades que o ser humano é capaz porque, afinal de contas, é o mundo perfeito que apenas uma criança, em toda sua ingenuidade e beleza de alma, poderia nos levar.

E qualquer um pode abrir essas porta e se aventurar pelo mundo de Bruno, pela bagatela de um coração partido.

"- E se eu também tivesse um par de pijamas listrados, aí eu poderia passar para o seu  lado e fazer uma visita,  sem que ninguém percebesse.- Acha mesmo? Faria isso? - É claro. Seria uma grande aventura.  Nossa última aventura."  
Título Original: The Boy in the Striped Pyjamas
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Jovem Adulto - Drama
Nota: 5


Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

6 comentários:

  1. Vc usou o termo certo: "atorodoante". Esse livro é fantástico, lindo, incrivelmente triste e tocante! Vale a pena! Adorei a resenha...

    Bjs

    www.universodosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me deixou tão atordoada que eu não consegui ver o filme, sabia que ia chorar e não ter mais fim e meus pais iam me achar louca HAHAHAHA
      Vale muito a pena mesmo!

      Obrigada pelo comentário *-*

      xoxo,
      Bianca.

      Excluir
  2. Oi,

    A cada resenha que leio desse livro mais vontade tenho de ler esse livro!

    Bjs!

    Viciados Pela Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Iris, você totalmente deveria ler! Eu sei que ele já rolou por muitos blogs e que muita gente lê porque ele teve seu tempo em que era "moda" ler ele. Mas vale a pena, mesmo. É tocante e emocionante! Se eu fosse você, corria logo pra ler. Ele é bem curtinho, também.

      Obrigada pelo comentário!

      xoxo,
      Bianca.

      Excluir
  3. O filme é tão bom que o livro deve ser mesmo, ainda mais sendo o assunto da Segunda Guerra Mundial.
    Ótima resenha e ótimos quotes, amei o blog.
    Seguindo aqui viu? ahaha

    (diariodeumledor.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  4. Este é um dos raros exemplos em que o filme foi uma feliz adaptação do livro. Eu amo o John Boyne e ele é super carinhoso com os fãs, além de ser um escritor fora de série. Este livro ficou na minha mente por meses e sempre que olho pra ele na estante, me dá uma nostalgia profunda. Adorei sua resenha. Aliás, estou amando seu blog!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!