Controle remoto: Spartacus


É claro que vocês já ouviram falar dessa série por aqui. Ela só é a coisa que nós 4 mais amamos.

Spartacus foi uma série baseada na história de Spatacus, um gladiador trácio responsável pela mais célebre revolta escrava da Roma antiga, a "Guerra dos Escravos" ou "Terceira Guerra Servil". A série romantizou o mito e durou 3 temporadas, contando ainda com uma mini-série prequel, Gods of the Arena. Os efeitos especiais foram baseados nos CGs de 300 e, embora tenham sido precários nos primeiros episódios, a série não falhou com seu roteiro e atuação, transformando-se rapidamente no carro chefe da Starz.

Criada por Steve S. DeKnight, a série trouxe Andy Whitfiel no papel do célebre escravo em sua primeira temporada, intitulada Blood and Sand e que conta com 13 episódios. Porém, após seu falecimento devido a um linfoma não-hodgkiniano - acho que ninguém aqui irá superar realmente isso - foi substituído nas duas temporadas finais, Vengeance e War of the Damned, por Liam McIntyre.

Sua primeira temporada foi exibida em 2010, com uma interrupção de 2 anos devido a doença de Andy, que acabou gerando a prequel enquanto esperavam a recuperação do ator. A prequel foi ao ar em 2011, seguida por Vengeance em 2012 e War of the Damned em 2013.

Andy Whitfiel
Na série, Spartacus era um líder do exército trácio que, ao ver-se traído pelos romanos, volta para casa para ajudar sua vila e salvar sua esposa. Considerado um traidor, Spartacus (que não é seu nome verdadeiro) e Sura, sua esposa, são capturados pelo exército romano e separados. Sura é vendida como escrava e Spartacus é enviado para Cápua, para morrer na arena. Contudo, o traidor consegue escapar do que seria uma morte iminente e acaba sendo comprado por Quintus Batiatus (John Hannah), um lanista local que busca crescer dentro da política romana e acredita que, comprando o trácio, cairá nas graças de Claudius Glaber (Graig Parker), o pretor traído.

Liam McInthyre
A série é regada por sexo, sangue e traição, retratando uma sociedade onde o dinheiro dominava e a inteligência feminina era subestimada. Spartacus também conta com Manu Bennett como Crixus, campeão da Casa Batiatus e o Gaulês Invicto até a chegada de Spartacus ao ludos, e Lucy Lawless (a eterna Xena) como Lucretia, esposa de Quintus Batiatus - que, diga-se de passagem, formam o casal perfeito.

Eu não botava muita fé, para ser sincera. Acabei recorrendo a ela quando não existiam mais filmes e séries sobre o rei Arthur para que eu assistisse. Quando eu comecei a assistir a prequel já estava completa e eu devorei as duas temporadas. Torci fervorosamente para que Andy se recuperasse, o que infelizmente não aconteceu, e chorei junto dos milhares de fãs de Spartacus quando o perdemos.

Spartacus e Marcus Crassus (War of the Damned)

Relutei em aceitar o Liam no papel, odiei os primeiros episódios de Vengeance por pura birra, até que em um belo dia, em uma certa cena, Liam se transforma em Andy e eu quero me bater por ter demorado tanto a aceitá-lo. Ele jamais poderia substituir Andy, mas fez um trabalho incrível e honrou sua memória. Sofri em silêncio com a série por dois anos quando, cansada de chorar só, insisti para que a Eduarda assistisse a série para acompanhar a última temporada comigo (na época eu nem sabia que era a última).

Agron, Spartacus e Crixus (War of the Damned)

O único aviso que dei era para ficar longe do Agron (Dan Feuerriegel) porque aquela fofura germânica me pertencia. E é claro que foi o ÚNICO aviso que ela não deu bola e ignorou completamente, como você pode perceber aqui. Depois de viciar uma, o vírus de Spartacus se espalhou e ela convenceu a Denise a assistir a série e logo a Natália já estava metida no negócio e, o resultado, foi 4 almas desesperadas no dia 10 de maio, assistindo a um live stream sem entender metade do que eles estavam falando, só para não perder nem um segundo do último episódio da série.

Dustin Clare como Gannicus, em Gods of the Arena

DeKnight explicou que, desde o início Spartacus fora feita para durar apenas 3 temporadas e, claro, quem entende de história sabe o final, embora a prequel, que nos apresenta a Gannicus, ter sido planejada desde o começo. A semana que antecedeu o último episódio foi de puro nervosismo: umas torciam pela sobrevivência do casal amor da série, nosso Nagron; outras estavam convencidas do fim deles. Todas estavam desesperadas sem saber lidar com as mortes que poderiam ocorrer e, algumas (como eu), divididas entre amar e odiar romanos.

O final não poderia ter sido mais perfeito, mesmo para quem sabia o que viria a seguir, e a ressaca que a série deixou na gente dura até hoje em certas pessoas. Oi Eduarda *acena*.

Para quem esperava qualquer coisa como 300, Gladiador ou mesmo Spartacus, o filme de Stanley Kubrik, quebra a cara. A série é original, única e capaz de nos revoltar e fazer nos apaixonarmos em questão de segundos. É mais do que recomendada, mas se você não gostar, por favor, fuja para as montanhas. Eu sou uma fã xiita.


Brincadeiras a parte, Spartacus proporciona feels para todos os públicos. Gosta de romance? Ela tem. Gosta de romance, mas tem que ser trágico? Tem. Gosta de ação? Tá cheio. De conspiração? Traição? Sangue? Lutas? Frases incríveis? Atuações de deixar morrendo? Tem, tem, tem, tem. Tem de tudo! Assista e venha se tornar uma Rebel com a gente! Escolha suas armas, escolha seu lado na guerra e não hesite.

Share this:

, , , , , , , ,

COMENTÁRIOS

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!