Fangirl: O tempo e o vento & Anita e Garibaldi



Todo meu amor por esses filmes,  ♥

O fangirl de hoje é sobre dois filmes que me fizeram surtar. Muito. Pensem em gritos, palavras desconexas e sons que só podem ser definidos como "som de baleia morrendo". Pensaram? Pois essa era eu quando descobri esses filmes. Na verdade está mais para relembrar, pois eu já havia "ouvido notícias" sobre eles, mas tê-los agora tão perto, bem, digamos que eu reagi como a fangirl que sou.


Eu não sei se consigo falar racionalmente sobre isso, seriamente. É a segunda vez que tento escrever esse post, a primeira tentativa eu resolvi guardar para meu post de 20 de setembro, porque estava exalando gauchismo, ehehe. Vocês precisam entender, antes de mais nada, que isso tudo funciona como uma bola de neve. Um filme leva a outro, que me lembra uma minissérie, que faz pensar em um livro, que recorda um projeto de faculdade, que culmina com a Eduarda assistindo uma minissérie em italiano e sem legenda as cinco horas da madrugada de uma sexta-feira. Não sei lidar com isso, não sei.


Antes de falar sobre os filmes só preciso esclarecer uma coisinha, pro caso de você não ter notado: eu sou completamente fascinada por toda e qualquer coisa que envolva a história do Rio Grande do Sul. Não esperem muito de mim além de surtos e uma tentativa de informar vocês, o que eu acho que não conseguirei.


O Tempo e o Vento é baseado na obra homônima do escritor Érico Veríssimo, que conta cento e cinquenta anos da história da família Terra Cambará e de seus principais opositores, os Amaral. O filme, no entanto, se restringe a contar a primeira parte da trilogia, ou seja, O Continente. O Tempo e o Vento já foi adaptado duas vezes para a televisão, sendo a versão de 1985 a mais famosa, com Tarcísio Meira como Cap. Rodrigo e Glória Pires como Ana Terra, dentre outros.


No filme de Jayme Monjardim quem interpreta o tão amado Capitão Rodrigo Cambará é Thiago Lacerda, que terá ao seu lado, como a jovem Bibiana, Marjoerie Estiano. E é aqui que eu preciso parar e surtar um pouco, porque eu amo muito esses dois. Thiago Lacerda é paixão do tipo antiga que só cresceu mais e mais e teve seu ápice com ele interpretando Giuseppe Garibaldi em A Casa da Sete Mulheres. Não existem palavras pra definir o quanto eu amo essa minissérie, e o quanto ele está *insira surtos fangirl e palavras que descrevam a perfeição* como Garibaldi.


E vocês sabem o que é terrivelmente mágico? Em uma jogada de marketing que me fez querer chorar, eles decidiram lançar o filme no dia 20 de setembro, que é o dia em que se deu início a Revolução Farroupilha (também chamada de Guerra dos Farrapos), e hoje é considerado feriado estadual como Dia do Gaúcho.


Por outro lado Anita e Garibaldi, como o próprio título já deixa bem claro, conta a história de Ana Maria de Jesus Ribeiro, que entrou para a história como Anita Garibaldi, e seu companheiro, o revolucionário Giuseppe Garibaldi.  E esse é o momento que eu não me responsabilizo por nada mais do que será dito por motivos de: um filme sobre Anita e Garibaldi. Eu vou morrer!


Se a Revolução Farroupilha é meu episódio favorito na história do meu Rio Grande, Giuseppe e Anita são meus personagens preferidos nela. Porque não tem como não amar uma mulher corajosa e destemida, que lutou ao lado do homem que amava por ideais como liberdade e igualdade. Ela que mesmo dona de poucos conhecimentos (pois até hoje se discute seu grau de alfabetismo) apoiou causas como a abolição da escravidão, e foi uma mulher à frente do seu tempo. Garibaldi dispensa apresentações, todos sabem de suas lutas na América e Europa, sendo um dos responsáveis pela unificação italiana.


Interpretando estes heróis temos Ana Paula Arósio no papel de Anita, que embora eu goste muito não sei se era a atriz mais indicada para o papel. Gabriel Braga Nunes, no ar como Professor Aristóbulo em Saramandaia, interpreta Giuseppe Garibaldi, esse sim caindo como uma luva para o papel ao que indicam as imagens liberadas. O filme foi gravado no ano de 2005, mas só será lançado este ano. Quanto a data de lançamento não tenho informações oficiais, as que possuo são desencontradas, falava-se inicialmente no mês de julho, mas agora tudo indica que será no mês de setembro, a exemplo de O Tempo e o Vento, provavelmente por questão de marketing junto ao simbolismo do mesmo para os gaúchos.


Pelo que vi até então o filme vai trazer uma abordagem diferente daquela conhecida pelo grande público graças à minissérie global A Casa das Sete Mulheres, tanto no quesito histórico quanto no cenográfico. Fazendo uma pausa rapidamente para tratar sobre a minissérie, nunca irei me recuperar do que eles conseguiram fazer ao contar a história de Anita e Giuseppe, mesmo que eles tenham inserido muito mais de Manuela do que de fato existiu.  Então, para matar minha saudade e fechar o post com chave de ouro, lhes deixo com uma imagem que me causa os mais contraditórios sentimentos, nunca sei se choro ou sorrio com ela. Talvez os dois.



P.S.: Como um bônus, deixo a notícia de que Leticia Sabatella também irá dar vida a Anita no cinema, na produção Anita: Mother of War, mas não temos maiores informações sobre a mesma.

Share this:

, , , , , , , , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. Oi,
    Nossa com tanta empolgação que fiquei com vontade de vê o filme :D
    Bjs!

    Viciados Pela Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Iris, querida, se esse post serviu para te fazer querer ver os posts eu fico extremamente feliz! Ainda estou PIRANDO sobre eles, é muito amor!

      Att.,
      Eduarda Henker
      http://blogsomaisum.blogspot.com.br

      Excluir
  2. Na minissérie de 1985 a Glória Pires é ANA TERRA. A Bibiana é a Louise Cardoso. abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOSSA, devidamente corrigido. Não tenho nem ideia de como me passei com essa, obrigada por avisar!

      Att.,
      Eduarda.

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!