#Dia Internacional da Mulher

Dia Internacional da Mulher

É hoje, ladies. Não só hoje, como todo dia, na verdade. Todo dia é o dia internacional da mulher, porque nós, mulheres, batalhamos por isso. Também merecemos uma data sozinha, especial, quase como um aniversário, do tipo "olha, vocês já são muito fodásticas e batalhadoras" então vamos nos reunir num dia específico pra gritar isso ao mundo!

Porque a deusa sabe que precisamos, e muito, continuar gritando isso ao mundo. Precisamos continuar mostrando nossa força e independência e devemos continuar gritando que:



Pra isso, nós do blog Só Mais Um resolvemos fazer um TOP 10 com as nossas personagens favoritas/inspirações pra vida/ídolas/heroínas/mulheres que queremos ser quando crescermos. As personagens da Denise começaram com a cor verde, da Eduarda em vermelho e da Bianca em azul. Have fun!

1 - Éowyn (Senhor dos Anéis): num mundo governado por homens, que chance uma nobre mulher teria de lutar por aqueles que ama? Éowyn é uma mulher de sangue nobre, cujo dever regia na proteção do povo. Por proteção, eu digo, ficar em casa se escondendo junto as outras mulheres enquanto os homens iam a guerra. Não, Éowyn não queria isso, não aceitaria isso. Ela é uma das minhas musas pelo poder de sua determinação e pela coragem em esconder-se debaixo de uma armadura para ir a guerra, para lutar pelo que acredita ser o certo, para não se importar com o que os homens dizem e mostrar que pode batalhar. O espectro do anel, uma das criaturas mais mortíferas e poderosas, criatura essa que o próprio Gandalf não conseguiu derrubar, caiu pelas mãos de uma mulher. Quer cena mais memorável que a derrota do senhor dos Nazgûl pelas mãos dela? "You fool. No man can kill me!" ele disse. "I am no man." ela respondeu. YOU TELL 'EM, BABE!

2 - Lagertha (Vikings): Vikings é uma série com personagens femininos muito fortes. A sociedade viking, em si, tratava as mulheres com muita igualdade: elas tinham direito a terras, podiam se divorciar, 50% da "shield wall" era composta por elas, elas tinham o direito sobre os filhos em casos de divórcio, etc. Lagertha se prova como uma verdadeira viking e uma mulher forte no maior estilo clichê, embora não deixe de lado sua feminilidade. Ela luta, bebe e não deixa que ninguém lhe diga o que fazer, ao mesmo tempo é uma mãe e esposa dedicada, guerreira implacável e mulher admirável.

3 - Saxa (Spartacus): Saxa estava presa como escrava quando Spartacus e Agron a libertaram. Quase uma selvagem, sempre demonstrou sua sexualidade sem medo e fazia gosto em usar de violência. Com o passar do tempo foi se tornando mais sociável, mas nunca perdeu sua identidade. Ela acabou se apaixonando pelo Gannicus e viveu um romance com ele, à maneira deles. O que eu mais amo nela, no entanto, não é o modo badass de ser, a sexualidade bem resolvida ou o jeito como ela pulava nos romanos e cravava seus punhais - ela lutava com punhais, pqp - nos malditos. Não, o que eu mais amo e admiro na Saxa é a forma como ela é livre; livre pra ser quem ela quiser ser, livre pra amar quem ela quiser amar, livre pra morrer como ela escolher morrer.


Éowyn, Lagertha, Saxa
Éowyn, Lagertha e Saxa.

4 - Princesa Leia (Star Wars): em meio a uma guerra intergalática, onde rebelião e império duelam pelo poder, onde há Jedis, Siths e caçadores de recompensa perigosos, uma única mulher se destaca como a poderosa presença feminina numa das maiores e mais bem sucedidas trilogias de todos os tempos. Leia, princesa ranzinza poderosa vinda de uma galáxia muito, muito distante, inspiração de força e de "não baixar a cabeça para ninguém". Ela viu o planeta ser destruído, perdeu todos que amava, e continuou lutando para destruir o império. Ela quase perdeu o homem que amava, viu ele ser levado para longe, e fez o impossível para salvá-lo (quem é a donzela em perigo agora, Solo?). Ela é a rainha do sass e das discussões bobas e uma presença política que sabe dar uns belos socos na cara quando precisa. Minha deusa!

5 - Scarlett O'Hara (E o Vento Levou): Katie Scarlett O'Hara é a protagonista do livro (e filme homônimo) E O Vento Levou, de Margaret Mitchell. Ela era uma típica souther belle de 16 anos quando a guerra civil americana estourou. Scarlett sobreviveu ao cerco de Atlanta, fugiu dos invasores inimigos, reergueu a fazenda da família, cuidou das irmãs, do filho, do pai, de Melanie, Beau e dos criados; fez tudo que estava ao seu alcance - e além - para garantir que sua família jamais passasse fome ou sofresse novamente. E tudo isso enquanto ouvia a cidade inteira falar mal dela apenas por ser pouco convencional na época. Se Scarlett não é um símbolo da força feminina, sinto dizer que não sei o que deve ser.

6 - Beth Greene (The Walking Dead): Beth é doce, gentil, se importa com os outros. Em um mundo onde os mortos tentam devorar os vivos, Beth Greene ainda canta. Porque isso importa. Porque todos tem trabalho para fazer. Você não acha que isso é lindo? Beth é forte, ela não é como Michonne ou Maggie, mas ela não é apenas outra garota morta. O mundo como ela conhecia caiu, ela perdeu a família dela, mas ela continua viva. Porque Beth Greene made it. De uma garotinha que tentou cometer suicídio, até alguém que salvou três vida no hospital, ela continua a mesma no que diz respeito a uma coisa: Beth Greene acredita que ainda há boas pessoas, ela tem esperança, mesmo em tempos onde amar alguém é extremamente perigoso, ela se permite acreditar, ela se permite sentir. Porque a dor faz parte do pacote quando se ama alguém. E ela é forte o bastante para isso. We will miss you so bad when you are gone, Beth Greene.

7 - Luna Lovegood (Harry Potter): tida como a "lunática" por causa de sua imaginação avoada e seus conhecimentos distintos e peculiares, Luna podia, muito bem, se deixar abater pelos comentários maldosos e pela opinião das pessoas ao seu redor. Mas ela está 100% nem ai e essa é a característica mais marcante em uma personagem com a construção de personalidade que ela tem. A capacidade de não se importar com que os outros pensam e construir sua imaginação e felicidade em cima daquilo que realmente importa: o que faz bem para ela. Luna me ajudou a superar maus momentos e ela é, definitivamente, um dos meus exemplos favoritos de força feminina.



Princesa Leia, Scarlett O'Hara, Beth Greene, Luna Lovegood.
Princesa Leia, Scarlett O'Hara, Beth Greene e Luna Lovegood.
8 - Mariam (A Cidade do Sol)vivendo em um regime opressor e particularmente perigoso para as mulheres, Mariam é uma afegã de 15 anos que, ao perder a mãe, é entregue em casamento pelo pai para um homem de quarenta anos. O que parecia ser a sua chance de finalmente ser amada, acaba se transformando em seu pior pesado e ela passa os próximos quinze anos de sua vida em busca do amor que precisa desesperadamente receber. A Cidade do Sol, de Khaled Hosseine é um dos melhores retratos da força feminina e, entre Mariam e Laila (as protagonistas) vou sempre apontar Mariam como a mais forte. Ela com certeza sobreviveu a tanta coisa quanto a Laila, mas para mim ela foi além. Ela não lutou uma guerra, não empunhava armas e não era a típica "mulher macho" que tanto se usa para representar a força feminina. Mariam foi filha, esposa e mãe dedicada, fez o melhor da sua situação, não entregou os pontos e deu tudo o que tinha por amor e esperança. Uma heroína sem igual.

9 - Hermione Granger (Harry Potter): Hermione é conhecida por sua enorme inteligência e por ser uma notória cdf. Normalmente as pessoas a colocam em listas assim por este motivo, mas não vai ser o caso aqui. Hermione esta na lista porque é uma personagem que foge ao esteriótipo; ela não é uma guerreira embora tenha participado de inúmeras lutas, ela não é "cheia de frescuras" mas tem seus momentos de conversas de garotas, ela não esta sempre presa a um personagem masculino mas tem grandes cenas sofrendo por causa de amor. Hermione transita entre extremos, o que faz dela alguém real, alguém pra se amar e respeitar. Ah, e mais do que tudo: esqueçam Rony Weasley, Hermione Granger é a melhor e mais leal amiga de Harry Potter.

10 - Claire Beauchamp Fraser (Outlander): a fodacidade da Claire já começa quando ela decide que vai para a guerra do jeito que pode, como enfermeira! Quando a Segunda Guerra Mundial termina ela precisa deixar para trás os hospitais de campanha, o sangue, os gritos do soldado e a rotina frenética de medo constantes e restabelecer seu casamento, uma vida calma e talvez até filhos. Mas ela acaba atravessando um misterioso círculo de pedra e indo parar na Escócia do século XVIII. Claire nunca aceitou ordens muito bem, ela não tem medo de falar o que pensa, dar ordens ou tomar as rédeas das situações. Ela tem a cabeça no lugar quando se trata de encontrar um jeito de voltar para casa e usa seus conhecimentos sobre o futuro para tentar ajudar uma nação inteira. Ela não tem medo do trabalho pesado e sujo; isso pode trazer problemas para ela num século onde mulheres não deveriam agir com tanta "ousadia" e desrespeito. Quando a maioria dos homens não viam elas mais do que como donas de casa e mães de famílias. Mas, bem, Claire não leva desaforo pra casa. E é por isso que amamos tanto ela. Mesmo com as decisões ruins, com os riscos e com os escorregões, ela se ergue, pronta para outro desafio. E, a despeito de tudo isso, o que Claire mais fez em sua vida, além de lutar, foi amar. Claire foi esposa, mãe e guerreira.

Mariam, Hermione Granger, Claire Beuchamp Fraser.
Mariam, Hermione Granger e Claire Beuchamp Fraser.

Share this:

, , , , , , , , , , , , , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. "O que Claire mais fez em sua vida, além de lutar, foi amar." Perfeito <3


    Esse post foi sensacional! Mulheres dominam o mundo, só falta essa sociedade patriarcal perceber isso e nos deixar ser do jeito que quisermos! Não importando cor, idade, roupa, peso e etc.

    E, como eu vi em um art hoje no Facebook: Não nos dê rosas; nos dê respeito todo dia.

    Parabéns pelo post maravilhoso.

    E Feliz dia das Mulheres e que cada vez mais consigamos conquistar nosso espaço!

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  2. Oi meninas!! Tudo bem?

    UHASUHASUHAUH Acredita que fizemos um post bem parecido nesse Dia Internacional da Mulher?? Até uma ou outra escolha bateu!!

    Muito legal saber que as colegas blogueiras também tem um excelente gosto literário!! E sabem identificar personagens épicas!! *----*
    Adoro! UHAUHSAHU

    Muito legal o post, e nem estou falando das escolhas que bateram hein? HUASUHASUH

    Beijo meninas!! Feliz Dia pra nós todas, o ano todo!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!