Resenha [filme]: Mad Max - Fury Road

Vou começar essa resenha ordenando que você vá assistir esse filme. Sério, vai agora. Vai amanhã. Vai no fim de semana, mas VAI. Eu não estou de brincadeira ou exagerando quando digo que Mad Max: Fury Road foi a melhor estreia do ano até agora.


O filme do ano, sim. Desculpa, Vingadores, mas depois que o surto passou eu percebi os vários erros no filme, AGORA MAD MAX? MAD MAX TÁ O SUPRASSUMO DA PERFEIÇÃO CINEMATOGRÁFICA! É assim, senhoras e senhores, que se faz um filme de ação. Com muito apocalipse, gente louca e mulheres fodásticas. Sério, mulheres fodásticas.

QUINZE PERSONAGENS FEMININAS PARA DOIS LEAD MALES. Tem noção de como isso é revolucionário?!





Pois bem, caso você não tenha assistido a trilogia original - aquela bem antiga, de quando o Mel Gibson ainda era novo e de quando os efeitos especiais eram aquela coisa maravilhosa e praticamente inexistente - não se preocupe; Fury Road não tem nada a ver com os filmes. É meio difícil explicar o que é esse novo filme, mas pense num universo alternativo. Não é um reboot, não é um remake, não é uma continuação. É só... Algo.

Explicar o filme vai ser de uma dificuldade que só pelos deuses, porque é tão frenético, tão OMG EU NÃO CONSIGO RESPIRAR PORQUE SE EU RESPIRAR A CENA VAI PASSAR E EU VOU PERDER, que resumir a história vai se mostrar um belo desafio. Mas vamos lá!

Vou focar na Imperatriz Furiosa porque é ela que realmente importa, ok? Ok.

Ela foge com a "Máquina de Guerra", um caminhão tanque gigantesco que pertence ao líder de uma sociedade apocalíptica bizarra, para salvar a si mesma e algumas garotas do domínio desse líder. As "esposas" dele são  o que ele considera suas preciosidades, e eis que começa uma caçada para recuperá-las. Isso tudo em meio a cenas de ação desesperadoras e perseguições em meio a um deserto árido fodido.

Do outro lado da moeda, temos Max - que não conta o seu nome e isso é muito maneiro - tentando fugir de alguns escavadores e de algo perturbador no seu passado. Ele é capturado e levado para o mesmo lugar onde vive a Furiosa; entre trancos e barrancos, ele acaba pendurado na frente de um carro em meio a perseguição pela Máquina de Guerra. Dai para frente, você precisa assistir para saber o que acontece.

PENSA num filme de ação com ação, AÇÃO MESMO, do começo ao fim. Pensa em cenas bem orquestradas, porque é uma sequência de carros tombando, carros pegando fogo, caminhões batendo em motos, pessoas voando pelo ar, muita areia e de repente BUM ESTAMOS DENTRO DE UMA TEMPESTADE DE AREIA VIOLENTA, COM TUFÕES E TORNADOS E RAIOS E MUITO FOGO E MAIS PESSOAS VOANDO! ASJKGNADUGBAOAGSASBUO isso é Mad Max.

Tá no título, né? Tu não espera um filme calmo vindo da mente do senhor George Miller. Não dá pra se esperar algo menos do que espetacular, porque o universo de Mad Max é fantástico. O apocalipse é bizarro, mas as razões dele são surrealmente reais. O fato de todas as pessoas terem enlouquecido faz super sentido; eu ficaria maluca se vivesse naquele mundo árido.





Tom Hardy e Charlize Theron estão espetaculares. Eu adorei que o Tom teve poucas falas e muito mais expressão corporal e comunicação com olhares do que qualquer outra coisa. O Max nunca foi exatamente o cara que fala muito, mesmo na trilogia original, e mantiveram isso de maneira exemplar. Ele arrasou em todas as cenas.

E A CHARLIZE! Ela interpreta a Furiosa, que, senhoras e senhores, entrou pro meu top de personagens femininas mais fodásticas de todos os tempos. QUE. MULHER. MARAVILHOSA!

  


Eu amo como fica claro que o Max sabe que a Furiosa é melhor do que ele em tudo. E como ele respeita isso.

Não, não é só por ela bater e socar e chutar e saber peitar uma briga que ela é maravilhosa. É por ela ser generosa e corajosa e por ser uma verdadeira protetora das meninas que está ajudando a resgatar; é pela Furiosa manter esperança num mundo em que esperança obviamente é uma tolice - um dos diálogos dela com o Max foi sensacional, onde ele fala "tentar consertar alguma coisa que está quebrada só vai quebrar você também" ou algo assim, no sentido de ter fé num lugar como aquele te deixa louco. Mas ela não fica, e é isso que deixa a personagem tão forte!

Não só a Furiosa, mas as "esposas" também. Cada uma com seu trejeito, cada uma com uma personalidade, mas mulheres bem representadas e nada esteriotipadas, porque é isso que eu quero ver em filmes de ação! EMPODEIRAMENTO FEMININO, PORRA!






Detalhe que foi a mulher do George que converteu ele para o lado feminista. Li numa entrevista que ele comentou que a mulher dele pediu por mulheres bem representadas no filme, e ele decidiu que realmente, era o melhor a se fazer. APRENDA COM O MESTRE, JOSS, SEU FEIO!

Tô calma.

Então, é isso. Muita ação, muita correria. Pelo que eu consegui contar, umas 6 sequências de ação, de uns vinte minutos cada, que vão tirar o seu fôlego e te deixar NO CHÃO DO CINEMA. Um protagonista que é precioso demais para esse mundo - a puppy face do Tom Hardy é demais para mim. Uma protagonista que samba em tudo que tem direito. Mulheres fodásticas, apocalipse fodástico, tudo fodástico.

Já está no carro? Já comprou o ingresso? Bom para você.

"O mundo pertence aos loucos."

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. "APRENDA COM O MESTRE, JOSS, SEU FEIO!"

    ISSO MESMO JOSS

    EU PRECISO VER ESSE FILME URGENTEMENTE!!!!

    AI MEU CORE.

    Resenha maravilhosa!

    Bj.

    ResponderExcluir
  2. Denise, vc é ótima! Kkk
    Vou te confessar uma coisa, eu nun tinha ouvido falar nesse filme, e quando vi o trailer no cinema, fiquei com MEDO cara sério! Achei muito tenso e bizarro kkk Mas agora q fiquei sabendo um pouco mais da história e a predominância das mulheres e talz, até dou uma chance! Haha
    E sobre os vingadores 2, eles erraram em alguma coisa naquele filme, n sei explicar, mas n foi aquela coisa q o primeiro foi =/
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!