Tem Indicações de Livros Sobre Guerra? - Variedades

Vai ter indicações de livros sobre guerra? Vai ter sim! Sobre guerra no geral e segunda guerra mundial!


 Indicações de Livros Sobre Guerra


Vejo muito por ai, nos grupos literários da vida, pessoas pedindo indicações de livros sobre guerra no geral e também sobre a segunda guerra mundial, então decidir fazer uma seleção dos livros que eu li e amei sobre o tema, com o bônus de uns que eu pretendo ler - e de quebra descobrir quem leu e o que tem para dizer.

Vale lembrar que muitos deles não tem o foco na guerra em si ou os personagens principais participando ativamente dele, o que eu até gosto. É muito mais rico você ler sobre as experiências das pessoas que vivenciam o medo da guerra, do que os campos de batalha em si - por isso, também, optei por guerras reais e não fictícias, como é o caso de As Crônicas de Gelo e Fogo e O Senhor dos Anéis.


Indicações de Livros Sobre Guerra


  • O Menino do Pijama Listrado - John Boyne
Tocante, sensível. Tão ingênuo que dói os ossos. O Menino do Pijama Listrado conta a história pelos olhos de Bruno, um menino alemão de nove anos cujo pai trabalha no exército do Fúria e, certo dia, precisa abandonar toda sua vida (e seus melhores amigos para a vida toda) em Berlim para seguir o pai que, a trabalho, se muda para uma casa em Haja Vista, próxima a uma fazenda onde as pessoas ficam de pijamas listrados o dia inteiro. Com o instinto de explorador natural, Bruno começa a explorar a fazenda vizinha e conhece um garoto da sua idade, que logo se torna seu novo melhor amigo para a vida toda, Shmuel.

A narrativa tem um toque bem infantil, já que é contado pelo ponto de vista de Bruno, e é tão sincera que chega a assustar. A infantilidade é presente mesmo nos nomes que ele não entende, por isso, o Führer vira Fúria e Auschwitz se torna Haja-Vista.




 Indicações de Livros Sobre Guerra

  • A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak
Na minha concepção, um dos livros que trazem a guerra da forma mais crua que eu já li. Liesel é uma garotinha de 10 anos que parte com a mãe e o irmão mais novo para uma pequena cidade alemã, fugindo dos nazistas. Seu irmão morre no trem e é em seu enterro que a Morte tem seu primeiro contato com a ladra de livros - é também a primeira vez que ela rouba um livro, mesmo sem saber ler. A história toda é narrada pelo ponto de vista da Morte, o que torna tudo tão incrível, e traça uma linha pelas várias vezes em que ela se encontrou com Liesel e o que ela estava vivendo em cada um desses momentos. Enquanto Liesel aprende a ler, escrever, amar os livros, os novos pais, Max e até Rudy, a Morte conta sua trajetória de forma próxima e rica.

O filme baseado no livro A Menina que Roubava Livros saiu no começo do ano passado - e eu fui ver com a Duda! - e, da minha parte, achei de uma fidelidade e delicadeza sem tamanho. Sempre duvidei de sua execução, porque a história segue um ritmo sem muita ação para o cinema. Mas eu só vi beleza naquela tela, estou completa e irrevogavelmente apaixonada pela adaptação.


  • A Cidade do Sol - Khaled Hosseine
Foi como uma explosão de sentimentos. Mariam, uma garota de quinze anos, perde a mãe - a quem sempre culpou pelo afastamento do pai - e desamparada, parte em busca do pai. Mas Mariam é fruto de uma relação extraconjugal dele e, para impedir que ela perturbe sua vida, o pai acaba casando-a com Rashid, um homem duro com 3 vezes a sua idade. Ela acha que finalmente encontrou alguém que possa amá-la como ela sempre quis. Quinze anos mais tarde conhecemos Laila, a filha de um professor universitário que aprendeu que poderia ser o que quisesse na vida. Até que o exército talibã domina seu país e bombardeia sua rua. Como a única sobrevivente de sua família, os caminhos de Mariam e Laila cruzam-se de forma inesperada e o laço que nasce pode ser descrito como o de mãe e filha.


A Cidade do Sol é um dos livros que mais me abalou e mostra como a vida das pessoas no Afeganistão foi afetada com a tomada pelo exército talibã - em especial a das mulheres - e como eles vivem e seguem a vida em meio aos destroços e perdas da guerra. É difícil até mesmo falar sobre sem me emocionar.


Para ler a resenha de A Cidade do Sol é só clicar.



 Indicações de Livros Sobre Guerra

  • O Caçador de Pipas - Khaled Hosseine
O livro segue a mesma premissa básica do anterior: o efeito da guerra sobre os nativos afegãos. Porém, esse trata pelo ponto de vista de um homem, Amir, flagelado pelo sentimento de culpa por anos. O livro começa com ele ainda criança e seu melhor amigo, Hassan. Hassan é filho do empregado da casa e Amir é filho de um homem muito exigente, que presa pela honestidade do filho. A relação de Amir e Hassan é complicada, uma vez que o filho do empregado é completamente sincero em seus sentimentos, mas Amir luta com a inveja e o ressentimento que sente, já que o pai parece gostar muito mais de Hassan do que dele.

Um acontecimento terrível leva Amir a fazer algo do qual ele se arrepende para sempre e, depois que o exército chega ao Afeganistão e ele e o pai fogem para os EUA, Amir acha que nunca terá uma chance de se redimir. Até que, já adulto, recebe a carta de um antigo amigo e finalmente está pronto e com coragem para buscar a redenção de seus pecados.

Muita gente não gosta do Amir, mas eu sinceramente, amo. Ele é um personagem completamente identificável se você for honesto consigo mesmo. Claro que eu não concordo com todas as ações dele, mas os sentimentos dele, a forma com a qual ele se culpa por sentir daquela forma, mas ainda assim não consegue deixar de sentir... Você pode até dizer "há corda queridinho, o mundo não gira sobre o seu umbigo", mas você sabe que vai sempre analisar as situações pelo seu ponto de vista e como isso afeta você, exatamente como ele faz. Achei incrível, lindo mesmo, uma história poderosa sobre redenção, amor, paciência, família e o poder do ser humano de buscar fazer de seus erros, acertos.



 Indicações de Livros Sobre Guerra


  • E o Vento Levou - Margaret Mitchell
Esse é a história que me sinto no dever de espalhar para o mundo: que fantástica ela é. Contando a história de Scarlett O'Hara, a filha mais velha de um fazendeiro sulista e uma típica souther belle, é um livro sobre o fim de uma era e como você supera e embarca na nova. E o Vento Levou começa narrando dias antes da guerra civil americana estourar até alguns anos após o fim dela, seguindo a vida da heroína Scarlett O'Hara. Uma garota mimada, infantil e ensinada que as mulheres não deveriam fazer nada além de serem bonitas, se casarem e terem muitos filhos. Scarlett tem um gênio forte, é bastante inteligente e manipuladora. Egocêntrica, ela adora toda a atenção dos rapazes e segue caminhos conturbados para conseguir o que ela quer. Acho que o romance dela com Rhett é um dos melhores que eu já encontrei, uma vez que ele a vê exatamente como ela é e isso a frustra ao mesmo tempo em que a liberta, pois ela não precisa agir como uma garota tola perto dele.

E o Vento Levou me conquistou pela sua coerência, pelos personagens ricamente desenvolvidos e profundos, pessoas completas sem tirar nem por. Com todos os seus defeitos, Scarlett é fácil uma das minhas heroínas preferidas, especialmente por ela crescer como fazemos nós, pessoas de verdade, e se manter tão fiel a sua personalidade.

Para ler mais sobre a história, veja o TBT que eu fiz sobre E o Vento Levou - O Filme ou a resenha do livro vencedor do prêmio Pulitzer, E o Vento Levou.

E esses foram só os melhores que eu já li, mas se você tiver interesse e cavar um pouco mais a internet vai encontrar desde clássicos como Guerra e Paz, do Tolstoi (que eu estou morrendo para ler e de olho na edição em capa dura que custa mais do que eu tenho o poder de me permitir pagar) até os menos conhecidos como Uma Constelação de Fenômenos Vitais que, de acordo com a sinopse, mostra as consequências da guerra civil na Lituania na vida de algumas crianças. E se você tem interesse em história antiga, também encontra livros como os de Bernard Cronwell com As Guerras Saxônicas e mesmo a Roma Antiga com a duologia Spartacus, O Gladiador e O Rebelde.

Enfim, o tema não é novo e muito menos escasso, só basta a curiosidade para pesquisar e encontrar títulos ótimos!

Share this:

, ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. Que indicações maravilhosas!

    Desses, eu só li 'A menina que roubava livros', que eu amo por sinal.

    Verei se consigo ler os outros.

    Beijão,

    Gi.

    ResponderExcluir
  2. Bibs!
    Boas indicações.
    Já li dois dos livros indicados e vou em busca dos outros.
    Adoro livros ambientados nas guerras, sempre tem muito a nos ensinar.
    “A vida é maravilhosa se não se tem medo dela.”(Charles Chaplin)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  3. Amei, amei e amei as indicações!!
    Desses eu só li o caçador de pipas, muito tocante!!

    Já assisti o filme do menino do pijama listrado, chorei muito e to reunindo coragem para ler o livro.

    Quero ler todos! Não sabia do que se tratava eo vento levou, apesar de já ter ouvido muito falar sobre.

    ResponderExcluir
  4. Oie Bianca! Tudo bem?

    Que post lindo! Ótimas indicações, adorei todos!! Pra mim falta ler o Cidade do Sol, minha mãe já leu e pelo menos já tenho na estante! Parece ser lindo.
    E o Vento Levou eu também tenho, mas me falta coragem porque parece ser uma escrita bem mais pesada. Vou deixar para o futuro!

    Tenho uma indicação pra ti, que gosta de livros sobre guerras: Queda de Gigantes, do querido e excelente Ken Follet. É uma trilogia, o primeiro livro se passa na primeira guerra mundial e acredito que os outros se tratem de outras guerras. Tenho dois dos três e pretendo ler também, em breve!! São enormes, mas lindos e confio na escrita dele! Vide Os Pilares da Terra <3

    Beijo!!
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!