Resenha: Herdeira do Fogo #MLI2015


Herdeira do Fogo é o terceiro volume da série Trono de Vidro, pelo qual eu já dediquei o meu amor eterno dezenas de vezes. Comecei essa resenha antes de terminar o livro porque são 508 páginas de muito desenvolvimento, muita coisa nova e muito plot twist inesperado, então eu precisei me centrar para saber exatamente o que comentar conforme as páginas iam passando.

Sinopse: 
Celaena ressurge das cinzas ainda mais forte e letal. E parte em uma jornada em busca de uma obscura verdade: uma informação sobre sua herança e seus antepassados que pode mudar sua vida e o futuro de dois reinos para sempre. Enquanto isso, forças sinistras começam a despontar no horizonte e têm planos malignos para dominar o seu mundo. Agora, depende de Celaena encontrar coragem para enfrentar tais perigos, além de seus próprios demônios, e fazer a escolha mais difícil da sua vida.
Preciso dizer que adicionei este parágrafo logo depois de acabar o livro porque o final. Eu não me chocava com uma história tão fortemente assim desde o Casamento Vermelho em Tormenta das Espadas, do George R.R. Martin. Juro para vocês, estou sem palavras.


Começando um pouco depois de onde Coroa da Meia-Noite terminou, estamos acompanhando Celaena nas terras distantes do reino de Adarlan, onde ela foi enviada para matar os líderes da rebelião inimiga. Mas ela não vai, porque Celaena fez uma promessa à Nehemia - e, se ela puder cumprir essa promessa e ajudar o seu povo a ser livre, ela vai tentar. Para isso, precisa ir atrás da sua própria origem feérica, para descobrir sobre os amuletos que podem enfraquecer o tirano rei de Adarlan. Enquanto isso, acompanhamos vários outros pontos de vista, como Dorian, que está lidando com a própria e instável magia, Chaol, investigando um suspeito general que chegou nas terras reais, e uma nova personagem; uma Bruxa de Ferro. 

Entre rebeldes e impérios, Herdeira de Fogo nos presenteia com uma narrativa rica em detalhes e em novas informações. Trono de Vidro foi um livro ótimo, mas, no quesito "exploração de mundo", foi pequeno. Coroa da Meia-Noite melhorou um pouco isso, mostrando mais da Celaena e deixando mais em aberto o passado trágico dela e dos feéricos; eis que chega o terceiro livro para arrasar com tudo. Porque Celaena é a rainha feérica perdida, e ela está de volta em sua terra natal.

Conhecemos uma Bruxa de Ferro, e foi uma das surpresas mais maravilhosas desta narrativa. Manon é a herdeira Bico de Ferro, líder das Treze, e é uma personagem insensível, horrenda e incrível. Nós não sabemos exatamente o que as bruxas estão planejando, só sabemos que elas estão à favor do império, e que o rei vai presentear-lhes com algo grandioso para que se fortaleçam ao seu favor. Vou spoilar aqui e falar que o tal "presente" são montarias aladas, criaturas ancestrais muito poderosas - não, não são dragões - e que um deles, em especial, se torna o coadjuvante da história da Manon. A montaria que ela escolhe para ser sua é poderosa de um jeito improvável, e a relação dela e da criatura se torna algo meio que Eragon/Saphira, mais pro lado sombrio. As Bruxas querem retornar à sua casa, no deserto, e o rei de Adarlan prometeu-lhes isso se o ajudarem a derrubar os rebeldes e os feéricos que restaram naquele continente; toda a narrativa da Manon tem foco nesse empoderamento dela, na transformação de uma já líder para uma verdadeira comandante.

A herdeira não se permitiu saborear aquela brisa linda ou se abrir para aquela alegria. Tinha trabalho a fazer; todas tinham. Apesar do que a Crochan tinha dito, ela não nascera com um coração, ou com uma alma. Não precisava deles.

Celaena faz um acordo com a rainha do feéricos; ela lhe apresenta as informações sobre uma coisa para derrubar o rei de Adarlan se Celaena for digna o suficiente de entrar na cidade mística.

Epopeias e poemas e canções tinham sido escritos sobre a rainha feérica, tantos que alguns até mesmo acreditavam que ela era apenas um mito. Mas ali estava o sonho - o pesadelo - em carne e osso.

Para isso, a assassina será treinada por um guerreiro feérico, e ah, meu coração shipper. Rowan é pura seriedade e frieza, bem diferente da seriedade do Chaol. Ele é imortal, tem centenas de anos de vida, já viu e viveu muita coisa, e treinar Celaena para dominar a sua magia é só mais um dia no purgatório dele; eu adorei como a Sarah construiu a relação dos dois. Não é um ship, mas é um ship. No começo, eles são tudo sobre porrada, gritos e desgosto, mas com o passar das páginas, respeito e confiança e entendimento, por ambos terem vivenciado o pior dos dois mundos - especialmente Celaena, que, por ser parte feérica, vivenciou ambos os horrores. Não é a mesma coisa que ela tem com o Chaol, que é mais sobre o amor e a devoção e o carinho, e sobre como ambos possuem um laço fortísismo; com Rowan, Celaena é a parte selvagem dela mesma, é o seu passado revivendo, a força do seu poder, da sua herança mágica.


A arma era a última prova de que um reino grandioso existira no norte algum dia.

Um ponto importante e muito incrível que a Sarah trabalhou foi o dessa apresentação dos personagens à magia; Dorian, com seu poder inédito e estranho e sem controle, Celaena, herdeira do fogo, e Chaol, parado entre as duas pessoas que ele mais ama no mundo sem saber como compreendê-las, tentando ajudá-las sem saber como guiá-las naquele desconhecido. As cenas de confusão do Chaol me partiam o coração porque ele é muito querido e solitário e ele tenta, ele tenta muito, mas não é tão simples. Não para o capitão da guarda, um soldado que cresceu acreditando nos horrores da magia, não para um rapaz que de repente precisou mandar a garota que ele ama embora para protegê-la, e assiste enquanto o melhor amigo se afasta por causa das omissões e da mentira.

O capitão tinha demarcado seu lado, e Dorian estava nele. Chaol o chamara de rei.

E ah, aí entra mais um personagem novo! Aedion, general do rei de Adarlan, um dos únicos a sobreviver ao massacre que supostamente deveria ter matado a Celaena. Tudo o que eu posso dizer é que ele é muito incrível e que o arco dele vai surpreender o seu coração; impossível não cair de amores pela paixão dele a uma causa.

Ele não era um nobre em um castelo, tomando vinho. Era metal e suor, sentado naquela taverna imunda, bebendo a cerveja deles. Sendo real ou não, soldados acreditavam que o homem se importava com eles, que os ouvia. Sorriam quando Aedion se lembrava de seus nomes, dos das esposas e das irmãs, e dormiam com a certeza de que ele os via como irmãos.

Herdeira do Fogo é uma obra trabalhada em ação, revelações chocantes e muito desenvolvimento da força das personagens. A Celaena e o poder dela são detalhes de tirar o fôlego. Toda a importância que a Sarah dá aos medos dela e como ela deve aceitá-los para se fortificar, o passado dela e o futuro que está reservado para a personagem, é tudo grandioso e muito bem intrincado nas 518 páginas deste livro.


Eu poderia ficar horas e horas falando sobre os novos personagens, mas ainda acho que é spoiler demais. Eu poderia falar sobre a Sorscha e como ela é tão importante para o Dorian, mas eu também sinto que seria muito spoiler. Eu poderia fazer um TCC sobre a mitologia fantástica dos feéricos, semifeéricos e sobre o que aguarda eles nos próximos volumes da saga; eu poderia ajoelhar diante da Sarah e colocar ela num pedestal porque a narrativa dela é de tirar o fôlego, e tudo que ela construiu cria vida diante dos seus olhos. Eu poderia e devo mandar você ler Trono de Vidro, caso ainda não tenha começado, porque o primeiro livro é bom, mas não te explica a trama complexa e fantástica que a série vai trazendo com o passar dos livros.


Encheria o mundo com aquela luz, com a luz dela - o dom dela. A jovem acenderia a escuridão com tanta força que todos aqueles que estavam perdidos ou feridos ou partidos encontrariam o caminho até lá, um farol para aqueles que ainda viviam no abismo. Não seria preciso um monstro para destruir um monstro, mas luz, luz para guiá-la e afastar a escuridão.

O FINAL DESTE LIVRO. EU TENTEI SER FORTE, EU TENTEI ME CONTROLAR, MAS AQUELA MORTE! A MORTE NO FINAL! EU VI MUITAS COISAS ACONTECENDO, MAS NUNCA AQUILO. NUNCA. AQUILO. COMO A SARAH PÔDE? COMO ELA TEVE CORAGEM? O MEU CORAÇÃO NÃO SE ENCONTRA BEM E EU QUERO MORFINA!


Era a herdeira das cinzas e do fogo, e não se curvaria a ninguém.

E ah, bons deuses, eu vou ficar aqui num cantinho escuro CHORANDO até a Galera Record lançar Queen of Shadows, ou vou ficar o meu f*%$ e comprar em inglês mesmo.


Título original: Heir of Fire
Autora: Sarah J Maas
Editora: Galera Record
Gênero: Fantasia, YA
Nota: 5 + 

Saiba mais: Skoob | Amazon

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

12 comentários:

  1. Eu preciso MUITO ler esses livros.
    Mas minha meta tá gigantesca!!!!
    AI
    MEU
    CORAÇÃO!

    Sua resenha está maravilhosa!!!

    Bjs,

    Gi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MENINA DO CÉU VOCÊ PRECISA P-R-E-C-I-S-A LER ESSE
      É TIPO UM PRECISA DE VAMPIRE ACADEMY, VAI LOGO!
      Obrigada pelo comentário <3

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir
  2. Estou viciada na série, acabei de ler Herdeira, e estou chocada e surpresa.

    Leitura ótima.

    Porém não consigo ver essa grandeza e nobreza no Chaol, detesto esse personagem, o acho um bundao e nesse livro não cagou e nem saiu da moita.

    Celaeba muito burra se ficar com esse chato de galochas no final, eu até tinha aceitado até ver o Dorian sentar na graxa. COITADO T.T.

    Sacanagem, se a autora fizer com ele no final o mesmo que fez com Nehemia e com a....

    Enfim T.T preciso do próximo livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho o Chaol bundão nem nada do tipo. Ele é, na verdade, um dos personagens mais bem construídos da Sarah. Só porque ele não vai contra tudo e se torna rebelde igual todo mundo não quer dizer que ele é covarde, e só porque ele tem medo ou hesita quanto a trair TUDO em que ele acreditou até agora não faz dele um fraco. O Chaol, assim como todos ali, é forte, é marcante e é incrivelmente bem construído. Não sei se a Celaena fica com ele no final, mas só pelo final dele nesse livro o ship já merecia um endgame; TUDO QUE ELE SACRIFICOU SÓ POR ELA E PELA CHANCE DE DAR A REBELIÃO UMA VITÓRIA AKJFSAUABGABO Melhor pessoa, desculpa.

      E a Celaena ama ele, independente dos lados que escolham. Enquanto com o Rowan é um sentimento mais ancestral, com o Chaol é familiar.

      Não acho que ela vá matar o Dorian antes do volume final da série, ele tem muito pra fazer ainda, especialmente com o fim.

      Obrigada pelo comentário :)

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir
  3. estou para ler o 3 livro mas ainda sim não curto muito o personagem,Chaol, no primeiro livro eu achava que ele e Celaena deveriam ficar juntos só que no 2 livro parece quer os personagens evoluíram muito

    e A MELHOR MUDANÇA FOI DE Dorian, n gostava dele no 1 livro mas no 2 ele se tornou um personagem querido para mim sendo que espero que se desenvolva ainda mais.

    Já Chaol, eu entendo o ponto de vista, ele serve a um "monstro" e jurou lealdade a tal só que ele é passivo demais a situação isso irrita ....ele sempre acaba tomando decisões covardes (minha opinião)

    ResponderExcluir
  4. Comecei a ler o livro recentemente.. Tenho tanta simpatia pelo casal Celaena e Dorian. Você acha que não tem as mínimas chances deles ficarem juntos, né? Mais essa personagem nova, a curandeira, ela será a nova paixão de Dorian? Queria que não fosse kkk.. Adoro o Chaol e a forma como ele cuida de Celaena no segundo livro, mais a maneira como ele não se decide a quem ser fiel e de confiança me dá nos nervos, quanto ao Dorian parece que tudo que Celaena faz, mesmo com medo ele permanece do seu lado dando força e tudo mais, ela ainda sente uma coisa forte por ele, podia haver uma esperança!! Me responde e seja spoiler quanto a dorian ele é a sorscha por exemplo.. Beijos // Ana Luíza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Aqui é a Eduarda e não a Denise - quem fez a resenha -, mas vou responder por ela.

      AVISO DE SPOILERS:

      Também amo o Dorian e shippo muito ele com a Celaena, mas a partir do momento que eles terminam não existe mais volta. Dado os acontecimentos do último livro lançado Dorian vai ter um ship bem interessante, mas vai demorar um pouquinho a aparecer. Não sou muito fã do Chaol e dele com a Celaena, pra mim ele ama a assassina quebrada que ele tirou das minas de sal, e não a força da natureza que ela é (tu vai entender mais disso no decorrer dos livros). E sobre a Celaena, não se preocupe, assim como o Dorian ela vai achar o ship perfeito! Esteja aberta a novas possibilidades, e eu prometo que vai valer a pena! <3

      Obrigada pelo comentário! Não esquece de vir contar depois o que achou!

      Att.,
      Eduarda Henker
      www.queriaestarlendo.com.br

      Excluir
  5. Se vc tiver o livro fisico pf tira a foto da contra-capa.

    ResponderExcluir
  6. Se vc tiver o livro fisico pf tira a foto da contra-capa.

    ResponderExcluir
  7. Sua resenha está maravilhosa!!! Estou lendo neste exato momento, e vim aqui encontrar respostas (spoiler) kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  8. Não quero Celaena com outra pessoa que não seja o Chaol. Desde o primeiro livro shipo eles. Estou na metade de Coroa dá Meia Noite, e tinha esperanças de que a morte de Nehemia fosse forjada para que Celaena aceitasse se unir aos rebeldes de uma vez, por isso não sofri. Mas agora depois dessa resenha quero chorar, e muito 😪😪😪😪

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice!
      Guria, Celaena/Chaol não existe há tanto tempo que eu nem lembrava mais dele como ship, sinto muito :P
      Mas o true love dela é a melhor coisa que aconteceu na história. Rowan é amor demais, mozão supremo. Impossível não amar o que ele e a Celaena tem :D

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!