Entrevista com a Autora: Huntley Fitzpatrick, de Minha Vida Mora ao Lado

Entrevista com a Autora: Huntley Fitzpatrick, de Minha Vida Mora ao Lado


A primeira entrevista internacional do Queria Estar Lendo não poderia ser melhor do que Huntley Fitzpatrick, autora de Minha Vida Mora ao Lado.

E é com um imenso prazer que eu trago para vocês a postagem de hoje! E não só porque é a primeiríssima entrevista internacional do Queria Estar Lendo, mas também porque é com uma autora que eu admiro muito e cujos livros me encantaram na forma rica e honesta com a qual foram escritos.

A Huntley Fitzpatrick é filha de leitores vorazes e aos 10 anos ganhou uma máquina de escrever do pai, encorajando-a a escrever e ser ousada, desde então ela não parou. É uma mãe de seis que adora interagir com os leitores em sua página do facebook; uma autora de 3 livros publicados em diversos países (Minha Vida Mora ao Lado, What I Thought Was True e The Boy Most Likely Too) e atualmente está começando as pesquisas para o quarto livro -- até agora, tudo que sabemos é que terá uma protagonista meio moleca.

Ela mora na costa de Massachusetts, o que reflete bastante nos livros dela, com cidades costeiras, verão, praias e uma forte relação familiar em família -- o que, não podemos deixar de notar, é uma das melhores coisas!

Entrevista com a Autora: Huntley Fitzpatrick, de Minha Vida Mora ao Lado
Publicação nacional, pela Editora Valentina. Foto do blog Estante Esquematizada

Conheci a escrita dela há pouco tempo, li o livro pouco menos de um ano antes de lançarem aqui no Brasil, mas foi amor a primeira lida! Minha Vida Mora ao Lado é incrível, diferente e mostra essa geração de YAs americanos, que começam a fugir de pontos comuns em pequenos detalhes e foi isso que mais me conquistou.

A intenção foi fazer uma entrevista curtinha, que falasse um pouco sobre Minha Vida Mora ao Lado e também sobre as intenções futuras dela. Algo bem rápido e proveitoso.

A Huntley foi muito amor ao conceder a entrevista e -- momento fangirl -- fiquei nas nuvens quando ela disse ter adorado responder as perguntas!

Entrevista com Huntley Fitzpatrick, de Minha Vida Mora ao Lado.

Entrevista com a Autora: Huntley Fitzpatrick, de Minha Vida Mora ao Lado
Do facebook da autora.
Queria Estar Lendo - Os personagens de Minha Vida Mora ao Lado soam tão reais para mim, com todos os seus problemas e sonhos. Sam e Jase possuem muitos relacionamentos ao longo das páginas e não somente um com o outro. O que a inspirou a escrever relacionamentos tão reais e ricos, quando outros livros focam tanto no romance?
Huntley Fitzpatrick - Obrigada -- e que pergunta maravilhosa. Bem, apesar de como eu teria amado que fosse verdade, as vezes, nenhuma das outras coisas da minha saíram da frente para dar espaço ao romance. Além do mais, não é verdade que quem somos com todas as outras pessoas da nossa vida contribui para quem somos com quem nos apaixonamos? As vezes, quando estou escrevendo romance, eu penso em ver o casal através das lentes de uma câmera, gradualmente aumentando o foco da imagem da vida deles até eles como casal -- e as vezes apenas para eles sozinhos. Isso realmente me ajuda a ver o romance claramente -- ele é a parte central, mas não a única coisa acontecendo.

Queria Estar Lendo - Quando o "segredo" acontece no livro a Sam fica perdida entre fazer o certo e fazer o errado por amor. Uma das cenas onde ela confronta a mão é a minha preferida, aliás! Quando você coloca um assunto tão sério no livro, você acaba puxando o leitor da fantasia romântica do casal proibido e o coloca em uma posição séria. Qual era a reação que você espera dos seus leitores nesse momento?
Huntley Fitzpatrick - Não importa o que, não importa como, eu acredito que todos devemos lutar por amor. Se não as regras do nossos pais, ou a opinião da sociedade, então nossos próprios medos, confusões e dúvidas. Se é qualquer tipo de amor real, nós provavelmente teremos que lutar por ele repetidamente. Porque esse é o primeiro amor de Sam -- e acontece quando ela é uma adolescente e está começando  descobrir quem é -- um pouco disso precisa envolver descobrir quem ela é e como isso não significa ser sua mãe ou fazer o que sua mãe diz. Estou realmente feliz que tenha gostado daquela cena. Quanto a reação que eu esperava dos leitores -- em cada cena, eu só espero que as pessoas se identifiquem ou ao menos empatizem. E eu sou terrível sendo superficial, escrevendo ou na vida real.

Queria Estar Lendo - Eu estou vendo muitas resenhas positivas do livro no Brasil, principalmente de pessoas que se identificam tanto com a Sam e os seus sentimentos referentes a família, os amigos, os Garretts e Jase; e o que é ainda mais legal: a maioria nem é mais adolescente. Quando você começou a escrever o livro, você imaginou que teria tantos fãs fora do público jovem adulto?
Huntley Fitzpatrick - Quando eu escrevi o livro, eu não imaginava que ninguém fosse ler -- exceto, talvez, meus filhos. Eu certamente não pensava que seria publicado em lugar nenhum -- muito menos fora do país em que vivo. Eu ainda estou maravilhada que está por ai no mundo, muito menos que toca qualquer pessoa.

Queria Estar Lendo - No Brasil nós acabamos de ter Minha Vida Mora ao lado (My Life Next Door) publicado, mas nos EUA você já publicou 3 livros, incluindo The Boy Most Likely to. A ideia de um livro para Tim e Alice foi algo que surgiu antes ou depois de você terminar o primeiro livro? Podemos esperar mais livros nesse universo (talvez algo com os outros Garretts)?
Huntley Fitzpatrick - Eu estava intrigada com o Tim desde o começo -- por uma variedade de razões -- ele era um personagem com falhas e falhas me interessam. Eu também senti desde o começo que havia mais na Alice do que o exterior de "menina forte". Eu acredito em escrever personagens femininas fortes porque, para mim, elas são as heroínas mais realistas. Eu conheci poucas mulheres fracas na vida. Não foi até que eu terminei Minha Vida Mora ao Lado que eu pensei neles como herói e heroína, no entanto. Uma vez que o fiz, eu mal pude esperar para escrever a história deles.
Quanto a mais livros sobre os Garretts -- é algo que eu amaria fazer -- eu definitivamente tenho ideias para a história de todo mundo, inclusive do sr. e da sra. Garrett se apaixonando. Mas eu tenho muitas histórias e plots na minha cabeça, e eu não posso prever quais irão para as páginas -- ou para as prateleiras. Tudo que eu sei que é, com certeza, preciso continuar escrevendo.

E eu concordo plenamente, ela realmente precisa continuar escrevendo para que eu possa continuar sobrevivendo com histórias tão incríveis!

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

3 comentários:

  1. Olá,
    Esse livro parece ser do jeitinho que eu gosto, do JEITINHO mesmo, sabe? Já quero ler, sem falar que a autora é uma fofa, adorei a entrevista. Adoro esses livros que saem do clichê a apresentam perspectivas novas, mais reais. Já quero.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. NOSSA!!!

    Vocês conseguiram! Suas lindas!

    Parabéns hein!

    Que entrevista maravilhosa!

    Ps.: Ainda tenho que terminar esse livro xD

    Beijão,


    Surtando com palavras

    ResponderExcluir
  3. Lindeza demais, gente. <3
    Estou morrendo de ansiedade para ler os livros dela, parecem ser maravilhosos.

    Ótima entrevista, Bibs. :3

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!