Resenha: Guerra Civil


Porque hoje estreia Guerra Civil no cinema e nada melhor para comemorar do que chorando e resenhando a novelização dessa dor!

É difícil fazer essa resenha porque eu quero mais é surtar e correr em círculos, já que a Guerra Civil do universo Marvel é um marco gigantesco e foi bem adaptado nesse livro. Uma leitura interessante e sucinta para quem quer conhecer a história sobre o registro dos heróis, mas, principalmente, a quebra entre a aliança e a amizade entre o Homem de Ferro e o Capitão América. Uma guerra entre aqueles que deveriam evitar esse tipo de coisa.

Sinopse: A épica história que provoca a separação do Universo Marvel! Homem de Ferro e Capitão América: dois membros essenciais para os Vingadores, a maior equipe de super-heróis do mundo. Quando uma trágica batalha deixa um buraco na cidade de Stamford, matando centenas de pessoas, o governo americano exige que todos os super-heróis revelem sua identidade e registrem seus poderes. Para Tony Stark o Homem de Ferro é um passo lamentável, porém necessário, o que o leva a apoiar a lei. Para o Capitão América, é uma intolerável agressão à liberdade cívica. Assim começa a Guerra Civil. 

Guerra Civil é bem simples de se entender, mas muito difícil de se controlar emocionalmente. Um grupo de heróis tenta prender um grupo de supervilões. Um dos supervilões tem poderes atômicos e explode, reduzindo tudo e todos ao seu redor a uma pilha de cinzas - esse "todos" engloba uma escola e dezenas de casas e civis inocentes. O governo fica descontrolado e resolve criar uma medida drástica: os heróis e vilões devem ser registrados. O anonimato se torna uma característica criminosa, e todos que não obedecerem serão considerados criminosos. Tony Stark apoia o registro. Steve Rogers não. E começa a guerra civil.


Tantos heróis. Centenas deles, e sabe-se lá quantos vilões. Tony já mantinha dossiês sobre a maioria deles, mas agora se via compulsivamente atualizando as informações. Tem muito poder aqui.


A narrativa traz toda a tensão e o tema sombrio dos quadrinhos. É uma história tensa por se tratar de dois grupos de super-heróis se enfrentando por ideais diferentes. É um tema sombrio pelo mesmo motivo acima citado. Capitão América é o homem da liberdade, ele veste a bandeira americana no corpo, ele lutou contra nazistas e contra um regime que acreditava na ditadura e na submissão. Ele é um soldado disposto a tudo para proteger os inocentes, disposto a sacrificar tudo para garantir o direito de liberdade das pessoas - e isso inclui os heróis também. A lei de registro é uma invasão, um ultraje aos homens e mulheres que escolheram se arriscar contra um mal maior. Eles se escondem debaixo de máscaras porque suas vidas civis também correm risco, e um risco maior ainda, já que são eles que estão colocando a cara a tapa contra os vilões. Uma vez que o governo tire isso, o que resta aos heróis?

- Existe uma diferença entre viver livremente e receber ordens de um governo opressor. Governo que, para manter seu poder, espalha o medo entre seu próprio povo.

Tony Stark acredita na ordem. Ele acredita no que é melhor para o "ali e agora". Depois do terrível incidente envolvendo os heróis novatos e o supervilão explosivo, Stark acredita que registrar os combatentes do crime significa ter maior controle sobre as pessoas que estão lá fora criando riscos para a civilização. Ele é movido completamente pelo medo de novos acidentes, cego para a obviedade de que esse registro será o causador deles. Stark não vê os perigos que a revelação das identidades secretas traz porque ele já revelou a sua. Acima de tudo, não há como negar, o Homem de Ferro é muito egoísta. SIM, ele é um herói, sim, ele é o meu favorito, sim, eu entendo os ideais dele, todos muito bem construídos. Mas ele é cego pela própria realidade, se esquecendo de que as centenas de heróis lá fora - e mesmo os vilões - são completamente diferentes dele. Ele não consegue enxergar os pontos do Capitão América porque sua sede de controle, a necessidade exaustiva de fazer as coisas funcionarem do jeito que ele acredita ser certo, o transforma em um homem frio, do tipo que toma decisões pesadas para o "bem maior".



Por incrível que pareça eu sou Team Captain.
A narrativa trabalhou bastante esse embate de titãs, especialmente as consequências que isso traz para os outros heróis. Sue Storm, do Quarteto Fantástico, tem grandiosos pontos de vista na história. Sua participação é muito mais emotiva e magoada, mas também poderosa. A virada do jogo envolvendo seu time na Guerra Civil é um ponto importante da trama, especialmente pelas consequências que isso traz - e fico me perguntando se não vão dar o plot dela para a Viúva Negra no filme. Seria genial.

Sue se deu conta do que aquilo se tornara: uma batalha irreconciliável entre Homem de Ferro e Capitão América, cada um deles absolutamente convencido de que sua causa era justa. Nada podia detê-los, nem deuses, nem vilões, nem mesmo seus amigos heróis.


Homem Aranha é outro pilar importante da história. Existe a Guerra Civil antes e depois da sua troca de time também. Peter Parker é movido pela emoção na maior parte das vezes; é um dos heróis mais poderosos da Marvel, e por isso um dos mais desejados ao lado de Stark. Tony tem o apoio dele, mas conforme a trama avança e decisões perigosas são tomadas, mais ele começa a perder o lado humano de Peter.

- Todos os meta-humanos teriam que se registrar e passar por um treinamento para ter permissão de praticar seus... seus dons em público. Também dá ao governo poderes extremamente amplos de coerção.


Não vou me ater a detalhes, mas um determinado acontecimento é o choque que a história precisava para crescer e então estourar em seu final perturbador. Uma guerra civil pela liberdade. Se o filme seguir à risca o que acontece na trama, pode preparar o coração para um final devastador, e o início de uma fase sombria para o universo MCU no cinema.

Título: Civil War
Autora: Stuart Moore
Editora: Novo Século
Gênero: Heróis
Nota: 5

Saiba mais: Skoob | Buscapé | Extra |  Saraiva

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

8 comentários:

  1. JÁ TÔ DESESPERADA PRECISANDO DESSE LIVRO E DO FILME!

    Eu li a HQ, mas o livro parece tão bom!

    Estou sentindo que sairei do filme chorando!

    Amei a resenha!

    Beijos,

    Gi

    Surtando com palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MENINA EU GRITEI TAAAAAAAAAANTO CONTRA A MINHA MÃO E STUCKY E MEU DEUS AQUELE FILME É UMA BENÇÃO PRO MUNDO!
      Vamos morrer juntas.

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir
  2. Oi Denise,
    To bem ansiosa para ler e assistir o filme.
    Sei que vou conseguir assistir primeiro, mas entristece saber que o filme não deve passar nem metade das coisas que você ressaltou na resenha. Principalmente o final.
    O jeito é aproveitar mesmo haha
    Ótima resenha!

    tenha um ótimo final de semana. =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nana!
      KAJSFNUOAKSBGABOUABGOUASUA O FILME <3 eu fiz uma resenha dele, vai sair na sexta aqui no blog. Foi o segundo melhor filme da Marvel até agora. Santa composição e roteiro, Batman!
      Olha, depois de ler a HQ, o livro e ver o filme, posso te garantir que ambos valem muito a pena. É um pouco diferente da guerra civil original, mas tão bom quanto!

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir
  3. Oi Denise!
    Que linda essa edição!!
    Mas não é uma história que eu tenha vontade de ler... Quero só ver o filme mesmo.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sora!
      ASSISTE, ASSISTE O FILME KJASHNFOUSABASBGUSABGA é tão tão bom eu quase morri de tanto gritar internamente e chorar. Que obra prima!

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir
  4. Não li o livro, apenas a HQ. Vale a pena? É muito diferente?
    E o filme, já asistiu? O filme é excepcional!!! Espero que Infinity Wars consiga bater

    Segue uma resenha bem divertida!

    https://fodapracaralho.wordpress.com/2016/05/02/capitao-america-guerra-civil-o-melhor-do-ano/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! JÁ VI O FILME SIM, a resenha sai na sexta ASKJFBSAUIOGBGAOUBGA sai do cinema querendo dar meia volta e entrar na sessão de novo! Irmãos Russo sejam abençoados.
      O livro segue direitinho a linha da HQ. As falas são bem parecidas, se não iguais. É legal por causa da parte descritiva das cenas :D
      Irmãos Russo no comando de Infinity War é igual deus no céu \o/
      Vou passar lá pra ver tua resenha depois!

      Beijos,
      Denise Flaibam.

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!