Resenha: Tudo e Todas as Coisas


O mais recente lançamento da editora Novo Conceito é uma história simples, e absolutamente inesquecível e marcante exatamente por isso. Madeline é alérgica ao mundo, e por isso viveu longe dele desde pequena. Quando o mundo lhe oferece uma chance de se arriscar e conhecer o que é viver, no entanto, tudo e todas as coisas dele parecerão a melhor escolha que ela tem para tomar.

A rotina de Madeline se resume ao que consome o seu tempo dentro de casa, e para ela está tudo bem assim: livros, aulas online, jogos com a mãe e conversas com a sua enfermeira particular. Isso é tudo que ela conhece do mundo, porque o seu mundo existe dentro daquelas paredes. O Lá Fora é a sua morte, mesmo tão atraente e indescritível. 

Quanto mais eu tento deixar o mundo do lado de fora, ele parece cada vez mais determinado a entrar.

Madeline não é o tipo de garota que deseja se arriscar; ela conhece os riscos bem demais. Quando a casa ao lado recebe novos moradores, no entanto, o mundo vira de cabeça para baixo. Um dos filhos da família disfuncional desperta o interesse da garota, trazendo com ele tanta vida e tantas experiências que colore a existência de Madeline com as infinitas possibilidades que existem lá fora. Vale a pena viver entre quatro paredes, quando o infinito está logo ao seu alcance?

- Você não está viva se não tiver arrependimentos.

A narrativa da Nicola é tocante. Simples e bem precisa, muitas vezes curta, mas nunca exagerada ou fora de contexto. Ela te conta a história da Madeline através dos olhos da própria, te fazendo enxergar junto à protagonista o mundo se colorindo com todas as coisas dele. Madeline é uma menina sonhadora, apaixonada pela literatura e pelo que os livros tinham a oferecer; mas, como diria o sábio Dumbledore, você não pode viver sonhando e se esquecer de viver. Essa frase define perfeitamente o que foi o desenvolvimento da história, especialmente quando a Madeline começa a perceber que todos aqueles dezoito anos enclausurada para a sua própria sobrevivência só a impediram de conhecer a vida. A superproteção da mãe é um fato bastante importante para o psicológico da Maddy, especialmente por todos os sacrifícios e por todo o medo que a mãe carrega. A família já sofreu perdas demais; se Madeline sair, se Maddy for egoísta, o que isso vai causar na mulher que dedicou a sua vida a protegê-la?

O mundo é grande demais e não há muito tempo para vê-lo.

Oliver, ou Olly, é o garoto da casa ao lado. O menino que está sempre vestido de preto, com um olhar indecifrável, marcado pelos problemas familiares e pela própria solidão. Ele é um rapaz cheio de vida e cheio de histórias, e é um ponto-chave para despertar Madeline. O que nasce entre eles é confuso, mas adorável. É inexplicável, mas muito forte. Através da janela, primeiro, só com olhares e sorrisos. Madeline observando a rotina dele, ele a dela, e ambos se entendendo a partir disso. Depois, mensagens de texto e trocas de conversas no computador. Por fim, o que estoura na certeza de que Madeline está incrivelmente apaixonada por Olly, e talvez vice-versa.

A diferença entre saber e ver pessoalmente é a diferença entre sonhar que se está voando e voar de verdade.

Mas ela é uma garota doente. O mundo é a sua alergia. Como ela pode amar alguém que pertence ao mundo? Nicola trata essa doença e o medo dela com bastante delicadeza, e a narrativa e a trama crescem de acordo com o andamento das decisões da Maddy. Ela passa de uma sombra para a própria luz. O mundo se torna seu e ela se torna do mundo, e está tudo bem para ela se isso a colocar frente a frente com a morte. Alguns riscos valem a pena.

- Tudo é um risco. Não fazer nada é um risco. A decisão é sua.


A edição da Novo Conceito está um arraso. O livro tem uma diagramação viva, com alguns desenhos feitos pela Maddy, capítulos curtos, os e-mails trocados entre ela e o Olly. São pequenos detalhes que compõe a obra e a tornam tão bela quanto o seu conteúdo. A narrativa é de fácil entendimento e o desfecho do livro com certeza vai te fazer chorar. De felicidade ou de tristeza? Cabe a você decidir.

O tempo passa em ambas as direções - para a frente e para trás - e o que acontece aqui e agora muda o que passou e o que ainda virá.

Fiquei totalmente encantada por tudo nesse livro. Tudo e Todas as Coisas é muito sobre encontrar motivos para seguir em frente, pequenos pontos de luz na vida, independente de ela estar afundada na escuridão. Madeline é um exemplo de superação, de conquista e de coragem. Ela é uma recém-jovem adulta que ama o que há do outro lado da janela, podendo isso ser apenas Olly ou apenas todas as coisas que existem no mundo.




Título: Everything, Everything
Autora: Nicola Yoon
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance, YA
Nota: 5

Saiba mais: Skoob | Buscapé | Saraiva 

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

1 comentários:

  1. Oiiiii

    Estou pirando por esse livro, todas as resenhas que tenho lido dele, até agora, foram absolutamente positivas!

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!