Resenha: A Geografia de Nós Dois


Sabe aquele livro amorzinho, com uma sinopse simples e despretensiosa? Uma história de amor inusitada, sobre dois corações jovens que encontram esse sentimento no momento mais surpreendente? A Geografia de Nós Dois mostra que, independente de onde esteja, seu coração pode querer estar em outro lugar.
Sinopse: Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram - presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância? Em A Geografia de Nós Dois, Jennifer E. Smith cria tramas cheias de experiências, filosofia e verdade.
Owen e Lucy não esperavam por um blecaute em plena Nova York. Não um blecaute que fosse apagar a cidade inteira; mas aconteceu, e eles ficaram presos no elevador. Aquela é uma noite abafada e simples, e ela muda suas vidas completamente. De um encontro pouco usual para uma madrugada regada a conversas no terraço, os dois jovens se tornam amigos sem saber muito da vida um do outro. Quando é anunciado a eles que Lucy está para se mudar para a Escócia e Owen vai viajar com o pai pelos Estados Unidos, eis que bate aquela dúvida: eles vão voltar a se ver algum dia? Talvez. Mas, até lá, podem mostrar um pouco do mundo um para o outro através de cartões-postais.
Porque é isso que acontece quando se está com alguém assim: o mundo se encolhe e toma a proporção correta. Moldando-se para comportar apenas as duas pessoas, e nada mais.
Jennifer E. Smith tem uma escrita leve, doce e incrivelmente chamativa por esses dois motivos. A história é bastante comum; uma garota e um garoto que se conhecem por acaso e acabam gostando um do outro. Com interferências geográficas, eles tentam fazer esse sentimento continuar vivo - ainda que ambos não saibam exatamente que sentimento é esse.


Owen e Lucy são umas gracinhas. Sonhadores, amedrontados pela vida e pelos caminhos inesperados que residem nela. A partir do momento em que os dois deixam Nova York para trás, toda uma história de superação e encorajamento guia suas tramas paralelas.
E a geografia da situação - a geografia dos dois - estava completa e irremediavelmente errada.
De um lado, Lucy e sua solidão amigável. Ela nunca se importou em ficar sozinha. Os pais viajam muito, os irmãos estão na faculdade, e para Lucy está tudo bem assim. Ela ama a família, ama sua cidade e ama seus sonhos mais inalcançáveis. Quando NY se torna um borrão no seu passado, Lucy é forçada a conviver com realidades muito diferentes da sua, e obriga-se a deixar a zona de conforto de lado para, de fato, viver. Ela tem muito a descobrir pelo mundo, e eu adorei a maneira singela com que a Jennifer desenvolveu a bravura da Lucy. Ela ainda é uma menina tímida, mas disposta a conquistar as novidades que coisas desconhecidas têm a oferecer. Afinal de contas, Owen é tão desconhecido quanto as cidades que ela nunca visitou, e nem por isso Lucy tem medo de pensar nele.


Owen, por outro lado, passou por uma perda drástica em sua vida, e está tentando redescobrir como seguir em frente com a assombração dela. Seu pai é seu maior companheiro e melhor amigo, e a relação entre os dois é meiga e forte e cresce de acordo com o desenvolvimento da trama, com suas viagens pelos EUA em busca de um novo lar. Sem a mãe, Owen não sabe se pode encontrar uma nova casa, mas está disposto a tentar.
Eram como dois asteroides que tinham colidido, ela e Owen, soltando faíscas breves antes de ricochetear cada um para um lado outra vez, um pouco lascados, um pouco machucados e marcados, talvez, mas ainda com quilômetros e quilômetros a percorrer.
O incrível deste livro é como o romance é importante, mas está em segundo pano. A história é muito sobre o crescimento dos protagonistas e da relação que eles têm com as pessoas mais próximas deles - no caso do Owen, o pai, e da Lucy, sua família. Isso influencia a trama e deixa tudo mais rico e emocionante, assim como as trocas singelas de cartões postais que acontecem entre os dois. Com um oceano entre eles, Owen e Lucy fazem o possível para manter um ao outro atualizado sobre suas aventuras, sempre "desejando que o outro estivesse ali". É lindo, é fofo e não promete muito, mas entrega o bastante.

Também era verdade que algumas coisas permanecem como são, e aquela era um exemplo: nove meses antes, ele conheceu uma garota em um elevador, e ela permaneceu em seus pensamentos desde então.
A Geografia de Nós Dois se desenvolve lindamente. Desde o elevador enguiçado até os encontros inesperados que eles conseguem orquestrar no desenrolar da história. Owen e Lucy são dois jovens aprendendo sobre o amor e sobre o mundo, e sobre como a geografia de todo um planeta pode ajudar dois corações a se encontrarem de novo.


Título original: The Geography of You and Me
Autor: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Gênero: YA / Romance
Nota: 5

Saiba mais: Skoob | Buscapé
 Saraiva

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. Ainnnnnn que resenha fofa, você falou de um jeito tão bonito desse livro que é impossível não desejá-lo.... Agora eu QUERO.

    xoxo
    Mila F.
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Que capa mais linda! Esse livro parece ser muito amorzinho, já quero ler! Adorei sua resenha e as fotos, parabéns!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi Denise!
    Adorei o outro livro da autora e esse parece ser outro bem legal, a capa ta linda e pela sinopse é uma leitura super gostosa. Parabens pela resenha!

    Abraço!
    http://leituraforadeserie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Denise!
    Esse livro parece ser mesmo muito fofo! Adoro romances leves assim, quero ler.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!