Resenha [FILME]: Doutor Estranho


E lá vamos nós falar sobre mais uma super-produção da Marvel Studios, senhoras e senhores! Como boa conhecedora de quadrinhos, pela primeira vez na vida me deparei com um filme do qual eu não conhecia a história de origem. Sim, eu não sei bulhufas sobre Doutor Estranho; mas isso não me impediu de pesquisar um pouco, me revoltar um pouco e curtir o filme de montão no fim de tudo. Vem conferir comigo o porquê!

Doutor Estranho acompanha uma revolução na vida de Stephen Strange. Depois de sofrer um grave acidente, o renomado cirurgião busca uma cura em uma remota cidade no Nepal, onde histórias sobre monges místicos realizando milagres chegaram até ele. Lá, Stephen conhece a Anciã, e ela lhe mostra toda a magia e o oculto dos multiversos ao seu redor. Uma ameaça paira sobre os santuários, e para ajudá-los, Strange precisa se tornar algo mais... Algo além do imaginável.


Foi um resumo bem ruim, mas, de novo, eu não sei absolutamente nada sobre esse personagem. Tudo o que eu conheci a respeito dele veio de uma breve pesquisa na época de anúncio do filme, e agora o filme em si. O que eu sei é que 1) ele não é um homem branco e 2) ele foi interpretado por um homem branco. A Marvel quando quer dar mancada, dá em dose dupla, porque o whitewashing recaiu sobre o papel do Ancião também - antes um personagem oriental, agora uma mulher branca. Ô Marvel, tu acertou tanto com Pantera Negra, ó o vacilo!

Não vi reclamações a respeito deles, no entanto. Agora, na época que anunciaram o Michael B. Jordan no papel do Tocha Humana...


Mas enfim, post de revolta eu farei em outro momento. Essa é a resenha do filme. E o filme, em si, está impecável.

Doutor Estranho abre uma nova visão sobre o universo dos quadrinhos, trazendo o misticismo e a magia que tivemos brevemente com a Feiticeira Escarlate até agora. Ela ainda era fruto de uma experiência com uma Joia do Infinito, no entanto, enquanto Stephen Strange é pura e simplesmente mágico. O trunfo desse filme é se utilizar dessa nova visão para realmente mexer com o visual; é um caleidoscópio de cores e movimento e de formas e ação absurdo de tão bom. Em 3D, principalmente, você se sente imerso nesses mundos infinitos, nas viagens pelo tempo e espaço, pelas maluquices psicodélicas que Strange vive enquanto está aprendendo a ministrar a magia.





O vilão nos é apresentado logo no início; os magos lidam com a magia de defesa, e Kaecilius quer mais. Não é sede de poder, o dele é sede de liberdade. Ele quer alcançar coisas que lhe são proibidas, quer entender e fazer com que outras pessoas entendam tudo o que há por aí - e, para isso, ele segue para o poder obscuro.

Eu gostei muito dos embates entre ele e o Strange, especialmente por ser uma abordagem diferente de herói/vilão. Nenhum deles é uma dessas coisas, não até o fim da película. Strange queria a cura, Kaecilius, a liberdade e o conhecimento. Um diálogo entre os dois em determinado momento do filme é absurdamente sensacional pelo roteiro colocá-los nessa posição de estou-lutando-com-você-porque-a-situação-pede-e-não-porque-eu-quero.






Os secundários, como Mordo e Wong, também tiveram momentos espetaculares. Wong se tornou meu personagem favorito dentro da história! Ele e a Capa da Levitação. Sim, a capa é um personagem e é muito carismática. A doutora Palmer, interpretada pela Rachel McAdams, apareceu como uma personagem feminina forte e decidida e com presença em cena bastante importante. Eu achei que ela estaria ali como suporte do Strange e interesse amoroso, mas passa longe de ser apenas isso. Graças à deusa!

Apesar do whitewash por parte do casting, Benedict Cumberbatch interpretou Strange com maestria, como esperado. Ele dá um tom de humor afiado diferente daquele sarcástico pastelão comum ao público (Tony, saudades) para logo depois aprofundar a amargura e o desespero por uma solução. No fim, Benedict compõe um herói ainda inédito ao universo Marvel no cinema e que com certeza vai se encaixar bem (ou vai gerar muita treta) nos Vingadores.

Mas eu tô aqui mesmo é pra falar do Mads. MADS MIKKELSEN, o amor da minha vida. Responsável por dar vida a Kaecilius, e já familiarizado com o papel de vilão sombrio e motivado, Mads tira de letra.

 

É uma atuação passional e igualmente contida e toda e qualquer cena dele foi brilhante. A química junto com o Benedict deu muito certo, rendendo momentos engraçados - oi, é a Marvel - e arcos dramáticos ao mesmo tempo. E as cenas de ação! A perseguição em Londres, onde o mundo se torna um gira-gira de lego infinito, MELHOR CENA DE TODAS!

Doutor Estranho é um ótimo filme para ver com a família, sozinho ou com os amigos, porque é mais um sucesso da Marvel. Ela entrega o prometido e surpreende com a ousadia em mudar o tom, fugindo do comum para algo místico e desconhecido. As duas cenas pós-créditos já puxam um importante seguimento do universo MCU no cinema, além de dar cabo para a próxima película do Senhor Doutor.

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

16 comentários:

  1. Olá, Denise.
    Também gostei bastante da adaptação. Foi um excelente início para esse novo cenário da Marvel, sendo bem mais voltado para o lado místico.
    Sem dúvidas, essa nova nuance do universo tem tudo para dar muito certo.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de novembro. Serão dois vencedores, dividindo 3 livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcos!
      Eu estou muito ansiosa pra ver como a Marvel vai juntar o lado científico e "real" com essa parte mística. Vai render bons conflitos com os vingadores!
      Eles já estão trabalhando isso em Agents of SHIELD também, o que é incrível.

      Beijos,
      Denise.

      Excluir
  2. Oi, Denise!
    Conheço bem pouco da história porque é da época do meu pai e ele me contou um pouco, mas confesso que prefiro ir assim sem conhecer muito. Só pelo trailer eu já fiquei encantada com os efeitos e a história do filme, fora que o Benedict dá um show, apesar de toda essa polêmica sobre as mudanças que eles fizeram no personagem :/
    Quero muito conferir como ficou, mas só pelos gifs já deu pra ver que vale pagar mais pra ver em 3D.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciana!
      Assistir sem saber muito da história ajudou com as surpresas, viu? Eu não dava nada pro Doutor Estranho, mas ele me ganhou com a personalidade e a presença em cena como herói!
      O Benedict realmente caiu bem no papel, mas ainda fico com esse pé atrás porque whitewash me deixa desconfortável. Espero que isso passe com o tempo, e que a Marvel não dê mais mancadas assim.
      Em 3D é incrível! O IMAX te coloca dentro desse universo louco, foi uma experiência fantástica.

      Beijos,
      Denise.

      Excluir
  3. Já quero assistir!! Amei sua postagem
    Estou seguindo seu blog, se puder seguir de volta, agradeço.

    ✯ Blog Diamante Turquesa ✯ ✯ Instagram ✯ ✯ Siga o blog clicando aqui ✯

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Muito obrigada por seguir a gente.
      O filme é ótimo mesmo, vale a pena conferir!

      Beijos,
      Denise.

      Excluir
  4. Oi Denise! Tudo bem?

    Eu acho que Doutor estranho não é o mais popular da Marvel, por isso a gente não sabe tanto dele rsrsrs Eu adorei o filme, só achei o vilão fraco, claro que a atuação do ator está ótimo mesmo, concordo com vc! Mas achei a história pouco desenvolvida. No resto eu amei! <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi! Tudo bom e contigo?
      Tecnicamente nenhum dos heróis que a Marvel usa no cinema eram populares na época em que foram lançados. Homem de Ferro era de uma geração B, por exemplo, já que os populares dos quadrinhos como o Homem-Aranha, Quarteto Fantástico e X-Men não eram de direito da Marvel quando começaram os filmes. Isso sem falar nos Guardiões da Galáxia né, esses nem eu conhecia UHASUHUHASUHAS
      O interessante é exatamente como a Marvel pega esses who's e transforma em figuras grandiosas no cinema <3
      Acho que pra um filme de origem o vilão principal e o "surpresa" foram bem introduzidos. Infelizmente é um desperdício com o Mads, porque ele tem cacife pra pegar vilão grandioso tipo o Loki, mas fazer o que né? Valeu a pena a diversão porque Mads é meu orgulho <3
      Tirando alguns detalhes, é um filme pra amar mesmo, concordo contigo!

      Beijos,
      Denise.

      Excluir
  5. OOOOOOOOOOOI

    nossa, eu tô super a fim de ver esse filme! Apesar de não conhecer o hq e tal, tô de coração super aberto pra essa história *-* E a Marvel arrasa, né?

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      A Marvel sempre arrasa, é uma linda. Ela promete e cumpre ainda mais quando os filmes chegam! Também não conhecia nada do Doutor Estranho, mas fiquei admirada com a qualidade da história.

      Beijos,
      Denise.

      Excluir
  6. Oi, Denise!
    Estou doidaaaa para assistir Dr. Estranho.
    Fui ao cinema ontem para ver, mas estava passando o Projeto Brasil, dia só de filmes brasileiros, e no fim das contas vi uma comédia super leal. Mas quero Dr. Estranho!
    Benedict Cumberbath é maravilhoso em qualquer papel. Eu tinha certeza que ele seria épico nesse filme.
    Eu não sabia que o personagem não era branco, mas sabia que o Ancião era oriental. Amo filmes de heróis, mas não sei nada das HQs.
    Pelo jeito esse filme tem um visual maravilhosoooooo!
    E esse vilão que sempre faz papel de vilão é mesmo maravilhoso.
    <3

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Teca, tudo bom?
      Eita, espero que tenha conseguido assistir agora! O filme é realmente fantástico, vale super a pena. Os efeitos e o 3D e as atuações, foi tudo ótimo.
      Pois é isso do whitewashing :/ não foi muito comentado porque o pessoal acaba fechando os olhos por ter o Benedict no papel, mas realmente foi uma falha tremenda da Marvel. O dreamcast do fandom era o Oded Fehr, pra você ter uma noção. E o Ancião foi mancada master! Espero que a Marvel não faça mais isso.
      Obrigada pela visita.

      Beijos,
      Denise.

      Excluir
  7. Olá, Denise. Não vi o filme ainda mas conheço bem o Dr Estranho dos quadrinhos e posso afirmar que o personagem original é praticamente idêntico ao Cumberbatch, ou seja, ele sempre foi branco. Por outro lado, o Barão Karl Amadeus Mordo é herdeiro de uma nobre dinastia germânica, o que significa que ele não é negro como no filme. Já o Anciâo, de fato, nos comics é homem e oriental. Mas esses são apenas detalhes, já que a muito deixou-se de procurar nos filmes fidelidade absoluta aos quadrinhos. O que importa é a qualidade final. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Então, pelo que eu entendi das pesquisas e críticas na internet, a etnia dele nunca foi definida nas hq's, mas os traços sempre remeteram a uma cor de pele não-branca e feições não-europeias. Tanto que o dreamcast na época de anúncio do filme por boa parte do fandom era o Oded Fehr, um ator israelense de cor :)
      Mas, de fato, o Benedict encaixou perfeitamente no papel. Em relação a caracterização e atuação, não deixou nada a desejar.
      Inclusão de personagens de cor, quando não são, nunca será um problema. Agora pegar um personagem tipo o Ancião e colocar uma atriz branca - inclusive mudar a origem dele pra celta - aí é bem revoltante. O Strange a gente entende se considerar a falta de informação sobre as origens, mas a Anciã não.
      E acho que é um erro pensar assim, infelizmente. Os filmes refletem a inclusão, e a Marvel ainda tem MUITO a compensar pela falta de representatividade de outras etnias. Num filme com oportunidade para fazer isso, ela deu essa mancada. Pelo menos Pantera Negra tá ai pra salvar, né? <3
      Obrigada pelo comentário.

      Beijos,
      Denise.

      Excluir
  8. whitewashing no doctor strange?
    http://vignette4.wikia.nocookie.net/marveldatabase/images/8/88/Doctor_Strange_Vol_4_4_Deadpool_Variant.jpg/revision/latest?cb=20151208143113

    Se isso não é ser branco, eu não sei o que é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Guilherme, tudo bom?

      Não, ele não é branco. Inclusive, digo e repito: a etnia dele nos quadrinhos nunca foi especificada. Prova disso é o fato de boa parte do fandom ter desejado Oded Fehr (um ator israelense de cor) para o papel de Strange muitos anos antes de ser anunciado um filme. O interessante nessa história seria a Marvel fugir da zona de conforto e do esperado e ter escolhido para o cast um ator POC pelo simples fato de que, aqui, não temos uma etnia clara e seria uma ótima oportunidade para representatividade.
      E, oi, só pra usar a mesma lógica que você está usando, Doctor Strange #12: http://cdn.hitfix.com/assets/11141/Doctor_Strange_12_Preview_3.jpg Se isso não é um personagem de cor, eu não sei o que é ;)

      Abraços.

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!