Resenha: Inocência?


O terceiro volume da série O Protetorado da Sombrinha, Inocência?, da sequencia a saga de Alexia Maccon em suas aventuras por uma Europa steampunk e sobrenatural. O romance de Gail Carriger é bem escrito e cheio de humor, mas fica um tanto aquém dos volumes anteriores.


Sinopse: Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Ao abandonar a residência do marido e se mudar de volta para o lar de sua terrível família, Lady Maccon se tornou o escândalo da temporada em Londres. Além disso, a Rainha Vitória dispensa Alexia do Conselho Paralelo, e a única pessoa capaz de ajudar a esclarecer os fatos, Lorde Akeldama, inesperadamente deixa a cidade. Como se não bastasse, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas, indicando – como apenas joaninhas são capazes de fazê-lo – o fato de que todos os vampiros londrinos estão muito interessados em vê-la rigorosamente morta. Enquanto Lorde Maccon concentra seus esforços em ficar cada vez mais ébrio e o Professor Lyall se desdobra para que a Alcateia de Woolsey se mantenha coesa, Alexia deixa a Inglaterra em direção à Itália em busca dos misteriosos Templários. Somente eles têm o conhecimento sobre os seres preternaturais que Alexia precisa para entender sua crescente e inconveniente condição, mas eles podem ser piores que os vampiros – e estão armados com molho pesto. A série de STEAMPUNK mais cultuada do mundo! Best-seller do New York Times e finalista do Goodreads Choice Award na categoria Paranormal Fantasy.

Depois de descobrir uma gravidez inesperada – e muito surpreendente – ao final de Metamorfose?, Alexia acabou voltando para a casa da sua família. A fofoca, é claro, corre solta e logo toda Londres passa a ter conhecimento da escandalosa gravidez de Lady Maccon, pois afinal é de conhecimento geral que lobisomens não são capazes de terem filhos.

— Ele dizia: “Floote, não existe destino, apenas lobisomens, nem coincidência, apenas vampiros. Tudo o mais é passível de interpretação”.
Não bastando a desconfiança e desprezo de seu marido, ter de retomar o convívio com a mãe e as irmãs irritantes, o casamento da melhor amiga (e seu persistente mal gosto para chapéus), ser dispensada do Conselho Paralelo e joaninhas mecânicas tentando assassiná-la, Alexia ainda precisa lidar com o sumiço de seu melhor amigo: Lord Akeldama, o vampiro errante mais famoso de Londres.

Buscando por respostas e provas, que ela pretende esfregar na cara de seu intragável marido, Lady Maccon, Floote e Madame Leffoux partem para a Itália de encontro aos lendários Cavaleiros Templários. Se tratando de Alexia, é claro que esta é uma viagem repleta de aventuras, chás, comentários sarcásticos e tentativas de assassinato.

Enquanto isso, ainda em Londres, Lord Maccon persiste em sua incansável missão de manter-se bêbado vinte e quatro horas por dia. Mesmo que isso signifique que ele tenha de deixar o comando de sua alcateia para o professor Lyall, seu beta, e precise ingerir altas doses de formol.

Uma imagem do rosto do marido abalou sua determinação por um instante. O olhar dele da última vez em que se viram – o de quem se sentia traído. Mas o que achara que sua esposa havia feito e o fato de duvidar dela daquele modo eram injustificáveis.
Quando o chefe do DAS fica sóbrio tempo o suficiente para entender que sua esposa jamais faria algo como traí-lo, ele precisa sair em busca de Alexia e trazer a ela e seu filho de volta para casa. Mas primeiro é preciso que o lobisomem resolva os problemas que surgiram durante seu período de bebedeira. E, mais importante do que isso, Conall vai precisar descobrir se sua esposa grávida quer, de fato, voltar para casa – e para ele.

O final de Metamorfose? me deixou super ansiosa por Inocência?, estava pronta para ver Lord Maccon sofrendo pela Alexia e depois rastejando pelo seu perdão, tudo isso com aquele instinto protetor maravilhoso que só lobisomens sabem ter por suas amadas e sua prole. Infelizmente não tive absolutamente nada disto.

Alexia passou todo o livro em meio a aventuras e lidando com o bebê-incômodo, enquanto que Lord Maccon – quando aparecia -, estava bêbado ou simplesmente sendo idiota. Mesmo quando ele percebe as coisas horríveis que fez e disse, e o quão babaca ele foi, ainda não é o bastante. Não para redimir acusar sua esposa grávida de traição e expulsá-la de casa.

— Não, não, a preparação das tropas foi interrompida, depois que a senhora partiu. Dificuldades técnicas. 
— Oh? 
— Sim, foi tecnicamente difícil lidar com um Alfa de coração partido.
É por isso que o final do livro me deixou tão irritada. A forma como Lady Maccon pareceu ceder e se contentar com tão pouco – principalmente com coisas materiais -, me pareceu um tanto quanto fora do personagem. Meus queridinhos deste livro foram Genevieve, que é dona suprema do meu coração e que eu posso ou não ter tido um pequeno ataque fangirl quando ela beijou certa personagem. E Lyall, o professor e beta da alcateia, que ocupou o lugar de Lord Maccon não apenas no que se refere ao seu trabalho como lobo e com o DAS, mas também no meu coraçãozinho. Por algum motivo sempre associo ele ao Lupin, de Harry Potter, e isso só faz com que eu o ame ainda mais!

As expectativas para ler Coração? murcharam um pouco, confesso, mas ainda tenho uma pequena esperança de que ele me dê tudo aquilo que Inocência? me negou. Afinal, Gail Carriger criou um universo com uma história e personagens bons demais para errar logo agora. Acredito na consistência e qualidade da autora.

Inocência? pode não ter sido o melhor livro da série, mas ainda é uma leitura divertida e maravilhosa. O Protetorado da Sombrinha é aquele tipo de série que, caso você ainda não tenha lido, é preciso correr e começar a ler agora mesmo!

Título original: Blameless
Autor: Gail Carriger
Editora: Valentina
Gênero: Steampunk; Romance; Sobrenatural
Nota: 3,5

Saiba mais: Skoob | Buscapé | Saraiva | Submarino 

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

6 comentários:

  1. Ainda não li nada da trilogia, mas é uma pena que esse volume tenha te desanimado tanto :( tomara que a autora aproveite o potencial da história no próximo volume!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Carol, tudo bem?
      Menina quando eu li o primeiro livro nem sabia direito o que esperar, fui pega totalmente de surpresa pelo humor e simplesmente me apaixonei. Ainda que este em específico não tenha me agradado muito, gosto muito da série e não vejo a hora de ler mais sobre a Alexia! <3

      Att.,
      Eduarda Henker

      Excluir
  2. Oi Eduarda!!

    Eu só li o primeiro, mas estou passada com os acontecimentos que vc narrou, de fato nada disso parece combinar muito com os personagens que conheci, mas espero que o final a autora feche com chave de ouro!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Mi, :)

      Então, depois que passou um tempinho maior da leitura eu consegui me acalmar um pouco mais e ver as coisas por outro ponto de vista. Ainda vejo os pontos negativos que abordei na resenha, mas finalmente fiz paz comigo mesma - e com a série -, e entendi que os personagens da Gail são muito particulares e reagem de maneiras que não vão de encontro ao senso comum que esperamos (como toda minha briga com o lance dos lobisomem,hahaha). Mas, sinceramente, as risadas e o universo criado valem MUITO a leitura!

      Att.,
      Eduarda Henker

      Excluir
  3. Oi, Eduarda!
    Desde que li Cassandra Clare comecei a me aficionar mais por livros que puxem mais por esse lado de Londres vitoriana e tenho gostado bastante. Ainda não li nenhum livro dessa série mas acho bem divertida e diferente, e fico feliz que os livros já estejam sendo lançados, espero tê-los todos à mão quando decidir ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu, tudo bem flor?
      Então, já foram lançados quatro livros da série (que acho que termina no quinto!). Sério, apesar da nota e ter reclamado de alguns pontos deste livro, posso te dizer que a leitura é muito boa - principalmente a do primeiro, que te mata de rir. O casal principal é de um humor próprio muito pessoal e característico deles, que não tem como não amar. Indico MUITO a leitura!

      Att.,
      Eduarda Henker

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!