Resenha: O Garoto dos Meus Sonhos


O Garoto dos Meus Sonhos, lançamento da editora Globo Alt, é o tipo de livro para quem quer uma história simples e apaixonante. Com uma escrita leve e personagens carismáticos, Lucy Keating entrega uma obra marcante cheia de emoções.

Sinopse: Desde quando consegue se lembrar, Alice tem sonhado com Max. Juntos eles viajaram o mundo, passearam em elefantes cor-de-rosa, fizeram guerra de biscoitos no Metropolitan Museum of Art... e acabaram se apaixonando. Max é o garoto dos sonhos – e somente dos sonhos – até o dia em que Alice o vê, surpreendentemente, na vida real. Mas ele não faz ideia de quem ela é... Ou faz? Enquanto começam a se conhecer, Alice percebe que o Max dos Sonhos em nada se parece com o Max Real. Ele é complicado e teimoso, além de ter uma namorada e uma vida inteira da qual Alice não faz parte. Quando coisas fantásticas dos sonhos começam estranhamente a aparecer na vida real – como pavões gigantes que falam, folhas de outono cor-de-rosa incandescente, e constelações de estrelas coloridas –, Alice e Max precisam tomar a difícil decisão de fazer isso tudo parar. Mesmo que os sonhos sejam mais encantadores que a realidade, seria realmente bom viver neles para sempre?

Alice tem sonhado com Max desde que se entende por gente. Quando ela e o pai se mudam para Boston, no entanto, Alice descobre que o garoto dos seus sonhos existe na realidade - e ele parece se lembrar dela. O que deveria ser um reencontro emocionante digno de filmes românticos de época na verdade se mostra uma tentativa frustrada de aproximação; por algum motivo, Max não quer se aproximar dela, não com a mesma conexão emocional que os dois têm em seus sonhos. Para descobrir o porquê dessa ligação, no entanto, os dois precisam trabalhar juntos - e o que era sonho pode acabar se tornando realidade.


Max é constante, me recebendo em cada sonho com seu sorriso travesso e grande coração. Ele é minha alma gêmea. 
A história gira em torno dessa questão: por que Alice e Max têm sonhado um com o outro? A partir disso, a autora nos entrega um desenvolvimento bem resolvido, com questões emocionais e científicas e respostas que agradam ambos os lados. O mundo dos sonhos é mais do que uma fantasia, é um estudo bem amplo, e o livro trabalha essa parte ao mesmo tempo em que desenvolve a conexão sentimental entre os sonhadores. Alice e Max são um show à parte; personagens carismáticos, amigáveis e bastante reais.



Todos os ossos quebrados ou queimaduras ou corações... Bom, todos eles saram no fim. 
Ambos passaram por traumas impactantes quando eram mais novos, e esses traumas criaram o caminho que os uniram. Alice tem uma personalidade retida, bem "na dela" por causa do abandono da mãe. Max lidou com o próprio trauma, mas ainda carrega as marcas dele. O modo como os dois se entendem dentro do mundo dos sonhos é completamente diferente de suas interações na realidade, e por isso o ship é tão fofo. Existe um crescimento em cada um, o tão adorado desenvolvimento de personagem que se espera em obras do tipo young adult; Lucy Keating escreve uma Alice e um Max reservado, e abre suas perspectivas e reações conforme a trama avança.


- A ciência é a explicação para tudo. Nós só precisamos fazer as perguntas certas. 
Alice foi a minha favorita. Talvez por ter sido tão bem trabalhada, por ser uma adolescente tão doce e simpática com seus momentos de crise, por ser o tipo de garota que você poderia encontrar por aí. Nesse gênero literário, as melhores protagonistas são aquelas com as quais você simpatiza, e Alice tem o mesmo estilo da Lola, Anna e Isla da trilogia da Stephanie Perkins: ela é real. Suas interações com seu pai, com sua melhor amiga Sophie, com Oliver e com o Max - até mesmo com o seu cachorro Jerry. Alice é parte de um sonho e parte do mundo em que vive.


- Em nossos sonhos, nós somos todos pintores surrealistas, criando narrativas e imagens que são frequentemente tão sem sentido quanto são lindas. 
Max, por outro lado, é muito mais retido e complicado. Ele não é o típico personagem bad boy sofredor que trata as pessoas como lixo pelo passado sombrio - graças aos céus por isso. Ele é só um garoto com medo de se perder no mundo dos sonhos, já que aprendeu a separar os dois. Quando está com Alice, no entanto, ele vive aquela eterna dúvida do que é melhor: sonhar ou ser real? Será que dá para ser os dois? O ship é lindo e maravilhoso porque brinca com essas suas perspectivas.

- Não posso voltar a morar nos meus sonhos, Alice. Eu me esforcei demais para minha realidade.


Em relação aos coadjuvantes, Lucy desenvolve muito bem suas presenças em cena. Eles estão ali mais do que para apenas servir de apoio aos protagonistas. Cada um, mesmo com as mínimas participações, tem importância. Os melhores foram Oliver, o excêntrico garoto que se torna amigo da Alice na escola, Sophie, sua melhor amiga à distância, e Celeste, a namorada de Max - sim, ele tem uma namorada. Sim, a forma como a história trabalha o amor dele pela Alice e da Alice por ele e da problemática com a Celeste é cheia de sororidade e eu amei e queria abraçar a Lucy por isso!

Nós apenas sorrimos até o ponto em que meu sorriso não é uma parte do rosto, mas o rosto é uma parte do meu sorriso.


O Garoto dos Meus Sonhos traz uma reflexão bem interessante sobre sonhar e viver e sobre o equilíbrio entre essas duas coisas. Através de personagens incríveis e uma trama brilhante, Lucy Keating te apresenta um mundo sonhado rico em histórias e possibilidades e um mundo real ainda mais emocionante do que aquele dentro dos sonhos.


Título original: Dreamology
Autora: Lucy Keating
Editora: Globo Alt
Gênero: Romance / YA
Nota: 5

Saiba Mais: Skoob | Saraiva 

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

3 comentários:

  1. Adorei a resenha! Já estava querendo esse livro desde o lançamento, mas a sua resenha me chamou mais atenção! E gostei dessa reflexão que o livro traz, aliás, precisamos realmente ter sempre o equilíbrio entre o sonho e a realidade.

    Beijos. | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir
  2. Oi, Denise. Não sabia muito bem do que falava o livro, mas já fiquei louca querendo ele para ontem. Amo personagens carismáticos, e não há nada melhor do que torcer pelo casal.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Oi, Denise!
    Fiquei super feliz ao ler que o Max não é só mais um badboy com um passado sombrio que o transformou em alguém que trata todo mundo muito mal sempre. Achei bem diferente a premissa de eles dois sonharem com o outro sem nem mesmo se conhecerem, e espero que no fim a autora tenha dado uma boa explicação do porquê disso acontecer...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!