Resenha: Boa Noite


Boa Noite é o primeiro livro da Pam Gonçalves, famosa booktuber brasileira, que já havia trabalhado ao lado de outros booktubers no livro de contos O Amor no Tempo de #likes, ambos lançados pela Galera Record.
Sinopse: Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação - em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.
Em seu livro de estréia Pam conta a história de Alina, uma jovem que acaba de entrar na faculdade de Engenharia da Computação e para isso precisa sair da casa dos pais. Decidida a abandonar a antiga vida de nerd sem amigos, a garota acaba indo parar na República das Loucuras onde pessoas muito diferentes das com as quais ela está acostumada vão lhe mostrar um mundo totalmente novo e lhe apresentar o universo da vida de um estudante de graduação.
#107: As garotas estão se achando demais. Na festa de abertura de semestre na sexta todas ficaram de cu doce. Parem de achar que são as últimas bolachas do pacote. Cuidado, se perder a chance ninguém mais vai te querer.
Essa vida de festas, barzinho e paqueras pode ser muito divertida e intrigante, principalmente para alguém que nunca nem mesmo teve amigos de verdade.  Mas deixar a velha Alina para trás talvez não seja tão fácil quanto ela imaginava, ou tão positivo.



São apenas 240 páginas onde a autora relata a vida de uma estudante em uma cidade universitária, onde os dias se dividem entre estudos, romances e muitas festas. É perceptível desde a dedicatória inicial do livro que Pam tentou trazer algo a mais em sua história, que existe uma tentativa de discutir determinados assuntos polêmicos e muito importantes como o machismo, assédio e até mesmo estupro. O problema todo está no fato que apesar de ter apresentado diversos temas para discussão, a autora não conseguiu realmente aprofundá-los e discuti-los. Foram muitas as temáticas apresentadas, e todas elas de maneiras superficial.

Meu problema inicial com o livro foi a narrativa, que me lembrava em muito a de fanfics. Não é exatamente uma crítica, já que sou leitora de fanfics, mas não era algo que eu esperava ao pegar o livro. Graças a isso houve uma dificuldade muito grande em me conectar com a história e seus personagens, os quais acheis todos terrivelmente caricatos. Os novos amigos que Alina faz na república são tão sem profundidade em um primeiro momento, alguns continuam assim até o fim, e tão idiotas e com atitudes egoístas que fiquei me perguntando se ela realmente não poderia encontrar algo melhor. 
Sabe o que acontece com as garotas como eu que falam que foram estupradas por um cara como ele? Vão dizer que eu merecia. Que eu deveria agradecer. Que se eu denunciasse, ia acabar com a vida promissora do herdeiro de um dos médicos mais famosos do estado. Eu não tinha provas, Alina. Era a palavra dele contra a minha.
Mas vamos falar das coisas boas do livro, e como a Pam tentou trazer os problemas enfrentados pelas mulheres diariamente para um livro NA. A protagonista em meio a este novo universo vivencia diversas situações de machismo e as aponta ao leitor, ainda que em alguns casos de maneira sutil, fazendo assim algo que é muito importante: abrindo os olhos dos leitores para o machismo em nossa sociedade, mostrando com base em exemplos que talvez o próprio leitor já tenha visto ou vivido e, deste modo, indicando que tal situação não é natural ou correta. Isso é muito importante e aplaudo a autora por este mérito, principalmente dado o gênero do livro e o público da Pam, que consiste em jovens e adolescentes.



Foi a tentativa de abranger muitos assuntos que prejudicou a história, pois o sentimento que ficou é que ela abordou muitos assuntos e acabou não desenvolvendo profundamente nenhum deles. É como ir em um museu onde o guia turístico apenas aponta a obra e indica o autor, mas não explica nada sobre a história ou contexto da mesma. "Olha ali, um caso de namorado ciumento." e pronto, vamos para a próxima cena. É uma pena, porque talvez se ela tivesse focado um pouco mais em alguns temas e trabalhado eles de maneira mais profunda o livro poderia ter sido maravilhoso e ter prestado um serviço ainda maior às mulheres e a sociedade no geral.
É o que a cultura do estupro faz com nossa sociedade, nos cala e nos tolhe os direitos.
Boa Noite é um livro que eu indico muito, apesar de todos os seus problemas. A leitura realmente flui melhor depois de alguns capítulos e mesmo com as deslizadas que ocorrem é muito importante ter uma história que se disponha a mostrar a realidade de muitas jovens estudantes que se veem em situação parecidas como a enfrentada por Alina ou muitas vezes ainda piores. 

E todas as mulheres lembrem-se sempre do conselho dado pela Manu: Você nunca deve fazer algo que não queira. Não se deixe intimidar.

Título original: Boa Noite
Autora: Pam Gonçalves
Editora: Galera Record
Gênero: NA; romance
Nota: 3

Saiba mais: Skoob | Amazon | Saraiva

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

8 comentários:

  1. Oi Eduarda!
    Fico com um pé atrás em relação a esse livro porque fiz Engenharia de Computação e não tem como se formar naquilo frequentando festas, não :)

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sora, :)
      Olha eu até acho que dá pra conciliar faculdade e festa, desde que em um nível bem equilibrado. Eu trabalhava dois turnos e fazia faculdade de noite e conseguia sair uma vez por semana ou a cada quinze dias. Mas isso vai muito da pessoa. E depende se são festas aos finais de semana ou durante ela, né...

      Meus problemas com o livro são que, pra mim, a Pam exagerou muito as situações.

      Ah, e que legal que tu cursou Engenharia de Computação! *-*

      Att.,
      Eduarda Henker
      Queria Estar Lendo

      Excluir
  2. Olá, Eduarda.
    Apesar de ter visto bastantes criticas negativas ao livro eu acabei gostando do que li. Talvez por te lido sem nenhuma expectativa. Mas concordo sobre essa falta de profundidade nos temas abordados. Espero que seus próximos livros sejam bem melhores.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil, :)
      Pois é, eu logo que finalizei a leitura tinha gostado menos dele do que hoje. Passado um pouco mais o tempo a importância da temática foi superando meus problemas com a leitura. Mas acredito no potencial da Pam, e acho que ela vai melhorar cada vez mais!

      Att.,
      Eduarda Henker
      Queria Estar Lendo

      Excluir
  3. Oi Eduarda!

    Menina eu sou super fã da Pam! Acompanho ela faz muito muito tempo, a editora me mandou e-mail falando que iria mandar o livro e até hoje nada hahahaha então eu acabei não lendo, mas eu estava curiosa, confesso que está foi a primeira resenha completa que leia sobre a obra! Gostei que você apontou os pontos fortes e fracos do livro, sei que muita gente adoro o livro, então eu preciso ler para forma minha opinião kkkkkk mas como o livro e pequeno, imagino que realmente faltou algo mais! De qualquer forma eu adorei a sua resenha flor!


    Beijinhos

    Resenha Atual

    ResponderExcluir
  4. Olá, Eduarda,

    desde o seu lançamento esse livro não despertou a minha curiosidade, agora que fiquei sabendo que a obra não consegue se aprofundar nos temas propostos nem nos personagens, perdi de vez a vontade de lê-lo. :/

    Beijo,

    Samantha Monteiro
    Degrau de Letras

    ResponderExcluir
  5. Oie Eduarda, tudo bom?
    Não tenho a menor vontade de ler esse livro. Ele divide opiniões entre: Bom, mais ou menos, péssimo e joga fora hahaha Sério! Ai fiquei super desestimula, ainda mais que a sinopse não me despertou curiosidade alguma. Ainda mais agora que vi ser um livro bem mais raso do que imaginava.

    Beijos,
    Paixão Literária

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!