Resenha: #Girlboss

Resenha: Girlboss

Essa obra poderia ser considerada uma autobiografia, o que não é, como a autora, Sophia Amoruso mesmo diz. É bem mais do que isso. Através de suas histórias e fatos de sua vida, Sophia nos mostra como foi que a Nasty Gal nasceu e tudo que envolveu o crescimento da marca e de si mesma como uma profissional que hoje é tida como exemplo desse segmento de vendas no mercado.
Sinopse: Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Além da história de Sophia, o livro cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.
É um livro que conta como Sophia chegou onde está, tudo que passou em sua vida e o que a fez seguir por esse caminho. Através de sua narrativa dinâmica e informal, ela conta detalhes de sua adolescência e infância nem um pouco exemplares, com acontecimentos importantes e coisas boas e ruins. Ela procura deixar bem claro que tudo ocorreu na sua vida, é parte do que a fez se tornar quem é agora, que mesmo não tendo uma vida brilhante ou um diploma valioso, ela conseguiu ser alguém e passar a mensagem que queria ao mundo, sem deixar de ser ela mesma. 

Resenha: Girlboss

O livro inicia com Sophia relatando sobre como surgiu a Nasty Girl Vintage, inicialmente sua loja online no e-Bay. Como as roupas eram conseguidas e arrumadas, as fotografias tiradas, a divulgação da loja, como era trabalhar sozinha no seu quarto, responsável pela produção de tudo relacionado à Nasty Girl. Desde o começo Sophia tinha um senso fotográfico e de marketing naturais dela, que nunca estudou tais coisas, mas já fazia o que muitas empresas e marcas começaram a fazer apenas recentemente. Ela tinha todo o cuidado de postar os mínimos detalhes sobre as roupas, desde o tamanho até o estado das peças, e ainda, com dicas de como usá-la e ajustá-la. Respondia o mais rápida e educadamente suas clientes que postavam dúvidas, junto com a embalagem do envio do produto ela mandava uma espécie de recado personalizado agradecendo a compra.
Eu imprimia um recibo e um bilhete feito rapidamente no Photoshop, dizendo: “Obrigada por comprar na Nasty Gal! Esperamos que você ame sua nova peça tanto quanto nós!” — ainda que “nós” fosse apenas eu. Depois eu colocava numa caixa e metia uma etiqueta de envio. Só que nada era feito com desleixo — tinha muito orgulho do cuidado com que eu afixava essas etiquetas. Tinha que supor que a minha cliente fosse tão exigente e tão preocupada com estética quanto eu. De qualquer forma, a última coisa que eu queria era que ela pensasse que se tratava de uma única garota botando a mão na massa sozinha num quarto...
Resenha: Girlboss

Aos poucos, Sophia foi ganhando mais experiência no mundo virtual do e-Bay e teve de lidar com coisas bem inoportunas, como vendedoras traiçoeiras que, ressentidas por ela estar se dando bem e tornando a loja famosa, procuravam o que podiam, qualquer errinho, para denunciar os leilões da Nasty Girl e fazer Sophia perder o trabalho de uma semana. Ainda assim, ela mesmo diz que não tinha tempo para se ocupar com bate-bocas, ela apenas arrumava e continuava seu trabalho, focada em fazer a própria loja melhorar do que ter de lidar diretamente com vendedoras desocupadas.
Muitas vendedoras ficavam aborrecidas com o fato de que as minhas coisas estavam sendo vendidas por preços altos, então os fóruns decidiram, de forma coletiva, que a única explicação para as minhas vendas elevadas era que eu estava forjando lances para alterar o resultado, ou seja, usando uma conta falsa para dar lances no meu próprio leilão para forçar o aumento dos preços. Eu continuei fazendo as minhas coisas sem me preocupar. A Nasty Gal Vintage estava crescendo a cada dia e eu estava me matando de trabalhar para continuar assim, por isso jamais iria perder horas preciosas me envolvendo em bate-bocas de Internet.
Resenha: Girlboss

O livro é nada menos que inspirador, principalmente para alguém que está se “iniciando” por assim dizer, no “mundo adulto”. Sophia mostra que você deve lutar e dar o melhor de si mesma para tornar algo melhor e atingir o seu objetivo, sem se preocupar com negatividades alheias. O importante é ser você mesma e continuar trabalhando duro.
A autora dá inúmeros exemplos, experiências que ela mesma teve e aprendeu na marra, sobre comportamento, empreendedorismo e profissionalismo. Ficamos sabendo completamente da jornada que foi a Nasty Gal e as mudanças que isso trouxe para Sophia, assim como seu amadurecimento e crescimento pessoal.

A leitura é rápida e fluída, e o livro tem pouco mais de 140 páginas, então você lê rapidinho. Vale a pena ser lido porque é interessante ver a experiência de alguém como a Sophia, autêntica e que não precisou seguir todas as regras e imposições da sociedade para obter sucesso profissional e pessoal. 

Título original: Girlboss
Autora: Sophia Amoruso
Editora: Jangada
Gênero: Biografia?
Nota: 4

Saiba mais: Skoob | Amazon

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

6 comentários:

  1. Oi! Muito interessante saber como tudo começou e a leitura é bem rápida. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  2. Olá, Camila.
    Eu só tomei conhecimento dela e da loja vendo o povo comentar sobre a série. Mas não tenho vontade nem de assistir nem de ler o livro. Eu prefiro ler ficção. Se não tivesse outra coisa para ler, até leria, mas como tenho uma lista interminável hehe. Mas acho que deve ser interessante para quem está começando algum negócio.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Ooooi!

    Imagino que a leitura realmente deve ser bem rápida, a julgar pela quantidade de páginas. Mas também tem aquilo de se identificar com o gênero, o enredo... Não sei se leria agora, mas talvez leia um dia. Quando estiver procurando ler algo do tipo, vou procurar por essa obra. Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  4. Oii!
    Eu já li o livro e gostei bastante, fiquei até inspirada <3 a série é boa, apesar de adicionarem mais coisas e focarem mais na vida de Sophia.
    Amei o post!

    xoxo
    https://ldesaturno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Camila, tudo bem? Estou com bastante vontade de ler esse livro, acho que a autora dá boas dicas e é uma história de vida bem interessante! Tb quero ver a série depois.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Olá Camila!
    Estou acompanhando a série pelo Netflix e até o momento estou adorando.
    Quero o livro para ontem!
    Adorei a resenha, beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!