Resenha: Ela Está em Todo Lugar

 Resenha: Ela Está em Todo Lugar

Ela Está em Todo Lugar é um standalone que mistura história em quadrinhos e livro, publicado em 2015 pela editora Gutenberg e uma das leituras que mais me surpreendeu nesse semestre.
Sinopse: May e Libby criaram a PRINCESS X no dia em que se conheceram, e desde então tornaram-se inseparáveis. Através da personagem, as garotas mataram todos os dragões e escalaram todas as montanhas que foram capazes de imaginar. Até Libby e sua mãe morrerem em um acidente de carro. Três anos depois, May começa a ver imagens da PRINCESS X em adesivos e pôsteres por toda a cidade. Isso só pode significar uma coisa: Libby está viva. E May não vai parar enquanto não encontrá-la.
May e Libby se tornaram melhores amigas em uma aula comum de educação física em que ambas estavam de fora por problemas médicos. Presas no parquinho com as crianças mais novas, May assistiu enquanto Libby pegava os pedidos das crianças e transformava em desenhos no chão com a ajuda de gis. Dessa experiência não nasceu apenas uma forte amizade, mas também a Princesa X, uma personagem destemida em um vestido rosa bufante e manejando uma katana para salvar seu reino.

O problema é que, alguns anos depois, Libby e a mãe sofrem um acidente de carro e morrem, e May fica sem ninguém -- nem mesmo a Princesa X, já que seus rascunhos estavam na casa de Libby e o pai dela acabou doando tudo sem nem olhar.
Não existe isso de 'ninguém ver a gente' na internet. Nunca mesmo, não importa o que qualquer um te diga. Tem sempre um jeito de te rastrear.
Agora, três anos após a morte da amiga, May está de volta a Seattle para passar o verão com o pai e o que ela menos esperava era encontrar a Princesa X pelas ruas da cidade! Depois de ver um adesivo da sua personagem colada na fachada despedaçada de uma loja, May fica obcecada com a ideia de que Libby possa estar viva e começa uma caçada para descobrir quem está por trás dos adesivos e do site, eusouaprincesax.com, que publica uma web comic a respeito dela.

Resenha: Ela Está em Todo Lugar

Mesmo sabendo que as caixas com os rascunhos de sua personagem podem estar com qualquer um e que essa pessoa pode ser a responsável pela web comic, May não pode simplesmente deixar o assunto de lado. Ela precisa seguir as pistas e descobrir quem está por trás disso tudo, por mais perigoso que possa ser.

Faz muito tempo que eu conheço a Cherie Priest porque sou obcecada por Boneshaker, um steampunk dela que há anos tento encontrar em português e até agora não tive sucesso. Quando vi o anúncio sobre esse livro pensei: bem, aqui está a minha oportunidade de conhecer a autora!
May escrevia um bocado, Libby desenhava outro bocado, e aí, lá pelo último ano do ensino fundamental, tinham criado uma biblioteca inteira dedicada à Princess X.
Quando eu finalmente consegui comprar Ela Está Em Todo Lugar, tinha acabado de sair de uma série de livros com protagonistas que perderam irmãos/melhores amigos e estava saturada dessa história de superação e crescimento, então deixei o livro na estante. Mas esse ano decidi que ia começar a ler os livros encalhados -- FINALMENTE -- e a história da May e da Libby foi a primeira que peguei. AINDA BEM.

Resenha: Ela Está em Todo Lugar

A história é BEM DIFERENTE daquela que me venderam, é uma aventura muito gostosa, cheia de mistério e um quebra cabeça interessante. Ela também brinca com ideias que, a principio você acha absurda, mas que, quanto mais lê, mais percebe que é exatamente essa ideia absurda e maravilhosa que a autora está desenvolvendo.

O desenvolvimento principal da May é sobre sua amizade com Libby e a força que ela tira do passado para encarar esses mistérios que aparecem no seu presente. Ela não é a típica garota corajosa e destemida, mas a ideia de que existe uma chance, por menor que seja, de que a sua amiga esteja viva, é o suficiente para enche-la de determinação a qualquer custo.
Mas é claro que Libby não chegou a crescer. Em vez disso, ela morreu na Baía do Salmão. Supostamente.
Também gostei muito do desenrolar da história e de como a Cherie Priest conseguiu se manter longe dos clichês comuns a livros com essa temática, focando-se mais na aventura, na ação e nos segredos a serem desvendados.

Resenha: Ela Está em Todo Lugar

A diagramação também é uma das coisas mais legais que eu já tive o prazer de ler. Amei os mínimos detalhes, como a cor da fonte ser roxa, ao invés da preta tradicional, até a inclusão da história em quadrinho, nos situando a respeito daquilo que os personagens estavam lendo e de onde tiravam suas pistas.

Enquanto eu lia, sentia como se estivesse assistindo um filme, sentada na beira da cadeira, ansiosa com cada nova descoberta e me perguntando se era agora que a minha teoria finalmente se concretizaria. Me apaixonei do começo ao fim e achei extremamente gratificante a leitura. Nunca fui tão enganada por um marketing e fiquei tão feliz por isso!
A Verdade a libertaria, é isso mesmo. E libertaria Libby também.
Ela Está em Todo Lugar é uma ideia nova, refrescante, e uma porrada de amizade feminina muito bem-vinda, que eu indico fortemente para todo mundo! 

Aliás, QUERO FILME, ESTÚDIOS DE HOLLYWOOD!

Título original: I am Princess X
Autora: Cherie Priest
Editora: Gutenberg
Gênero: YA - Aventura
Nota: 5

Saiba Mais:  Skoob  |  Amazon

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. Olá, Bibs.
    Eu tinha lido uma resenha desse livro antes e não tinha me interessado por ele não. Mas agora vendo que é completamente diferente do que eu tinha achado que era, me interessei. E achei lindo por dentro. É bem legal ser na cor roxa, acho que fica mais suave e não atrapalha tanto quem tem problemas de vista como eu.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil!
      Nossa, esse livro é o completo oposto do que eu achei que fosse e foi uma ótima surpresa! Super recomendo!
      bjs

      Excluir
  2. Oi Bibs, eu fico besta com a quantidade de sinopse que não tem nada a ver com a história hehehehe mas que bem que dessa vez a enganação foi positiva <3 A edição parece ser muito bonita, acho que vou curtir.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior é que a sinopse é sincera, só não sei se foi a forma como ele foi vendido ou o fato de que a gente tá tão acostumado com autor tentando fugir de clichê que acaba caindo em mais clichê ainda, que fez essa confusão toda!
      A história é maravilhosa, super recomendo!

      bjs

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!