Por que eu Não Gosto de Triângulos Amorosos?

Por que eu Não Gosto de Triângulos Amorosos?


Tá aí uma coisa que muita gente não gosta: triângulos amorosos. Eles eram febre no início dos anos 2000 e, embora hoje tenham dado uma parada, ainda se vê muito livro -- especialmente trilogia -- que aposta no formato. Então acho que tá na hora de falar porquê eu não gosto de triângulos amorosos, né?

Não me entendam errado, eu simplesmente amo drama e acho que adiciona uma dose de drama bem choroso quando temos um triângulo amoroso. Não deixo de ler histórias por causa disso. Meu problema não é o fato de termos uma mocinha(o) tentando decidir entre um ou outro interesse amoroso, meus problema é a forma desleixada que eles tem sido escritos.

Um dos meus ships preferidos de toda a vida é um triângulo amoroso, formado por Will, Tessa e Jem em As Peças Infernais, a trilogia prequel escrita por Cassandra Clare -- que, não sei explicar como, fez um trabalho tão ruim com os triângulos amorosos em Os Instrumentos Mortais.

Quando eu li As Peças Infernais eu fiquei completamente apaixonada pelo Will e pelo Jem, o bromance dos dois é maravilhoso e o fato de eles não serem inimigos, de eles realmente se importarem com a felicidade um do outro e, inclusive, estarem dispostos a sacrificarem a própria felicidade em prol do parabatai me toca e me cativa e me faz chorar. E a forma como a Tessa se encaixou no meio desse relacionamento, o suporte que ela dá a ambos, o amor que ela sente pelos dois, só me faz chorar. Para mim os três vão ser, para sempre, um dos melhores casais do mundo.

Por que eu Não Gosto de Triângulos Amorosos?


E triângulos amorosos não são de hoje ou restritos a YA adolescentes. A premissa base de O Grande Gatsby é um triângulo amoroso -- é claro que, depois que você começa a ler, percebe que é uma história muito mais profunda e também, muito pouco sobre amor romântico. Tem, ainda, E O Vento Levou, onde Rhett ama Scarlett que ama Ashley e as consequências desse "amor" adolescente se arrasta ao longo da jornada da protagonista, contribuindo para grandes decisões da vida dela até culminar em grandes revelações a respeito dela mesma.

Triângulos amorosos não são apenas aqueles insossos e sem personalidade que se popularizaram nos YAs, mas infelizmente é o que mais a gente vê por aí. E como grande fã de YA's e administradora desse blog, me sinto no direito de reclamar do que não gosto nele -- e que, acredito, é quase um consenso geral.


  1. Em 99% dos livros com triângulos amorosos, a gente já sabe quem vai ficar com a mocinha(o) desde o primeiro livro -- sim, porque geralmente são trilogias né.
  2. E a gente sempre sabe disso porque geralmente um dos interesses é o cara perfeito para a mocinha, seja porque se encaixa nos planos dela, porque conquista ela de formas humildes, ou porque é o gostosão da escola. Sempre, sempre.
  3. Especialmente porque o outro interesse amoroso, o que vai ser rejeitado, ou já estava na vida da protagonista como um amigo, ou acaba se revelando malvadão -- sim, estou olhando para Gale Howthorne (Jogos Vorazes), Paul (A Mediadora), Jacob (Crepúsculo), Aspen (A Seleção). Resumindo: a gente pode até ter amado eles, mas eles nunca tiveram uma chance.
  4. Aliás, sempre tem uma desculpa otária para a rejeição de um dos interesses amorosos. Nunca é porque a protagonista simplesmente ama um de forma romântica e o outro não, a escolha dela raramente é justificada com o "é porque eu amo ele", normalmente precisa de um motivo muito grande que força a escolha, tipo em Crepúsculo e Jogos Vorazes (não vou me aprofundar em nenhum deles porque se não vamos ficar dias aqui).
  5. E além de ser rejeitado, a segunda parte desse triângulo, agora que chegamos ao final da trilogia, precisa, é claro, receber um final tapa buraco. Seguir com a vida dele? Que nada. Vamos fazer ele ter um imprinting na filha recém-nascida dos protagonistas, vamos criar um romance para ele que saiu da bunda da autora nos 45 do segundo tempo (geralmente esse é o escolhido e me deixa tão puta da cara).
  6. E, por fim, uma das coisas que mais me irrita nesses triângulos românticos genéricos e sem personalidade, é que A GENTE JÁ SABE QUEM A MOCINHA VAI ESCOLHER, mas ainda assim somos obrigadas a sofrer por 3 livros lendo a lenga-lenga dela que não sabe se decidir entre o melhor amigo ou o cara dos sonhos. AMIGA. PARE. APENAS.

Share this:

,

COMENTÁRIOS

8 comentários:

  1. Olá,
    Estava mesmo pensando sobre isso essa semana, começo um livro e vejo que vai ter triangulo e penso "por que?????". Gostaria de ver mais triângulos que fossem realmente um triangulo, onde os 3 realmente se gostassem, ainda bem que existe fanfiction. kkkk
    Esperta foi a Tessa que ficou com os dois. ;)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bibs!
    Amei sua postagem.
    Raramente eu gosto de triângulos amorosos, mas um que curti foi o de Estilhaça-me. Apesar de não ter gostado do que a autora fez com a utra parte, eu achei que esse triângulo ajudou no crescimento da personagem.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!

    ResponderExcluir
  3. Oi Bibs!

    Não vou dizer que odeio e nem que sou super fã, mas você tocou em um ponto muito interessante! Primeira por que hoje são escritos de qualquer jeito, o leitor não consegue sentir nem um pouco de emoção, eu também amei peças infernais e te juro que pensei que iria morrer por que na minha cabeça ela não podia escolher só um, e então foi aquele final de matar a gente do coração kkkk eu sempre indico essa trilogia mas como pessoal tem medo de triângulos acha que tudo vai ser um lixo como todos, enfim a pior e realmente sabe com quem vai termina, resumindo a gente se pergunta, por que esse outro cara esta ai então? Tem que saber criar um mistério, tem que saber fazer a gente sofrer kkkk eu odiei o triangulo de TKOD meus deus não sei qual é pior, enfim amei seu post e você tem toda razão.

    Beijinhos

    Resenha Atual

    ResponderExcluir
  4. Oi Bibs! Eu acho que meu maior problema nem é com os triângulos amorosos, mas sim com os YA genéricos, tenho muito dificuldade em ler esse tipo de livro. Eu sempre fico esperando ser surpreendida em vão kkkkkkkkk

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi Bibs!
    Adorei seu post! Eu gostava do triângulo lááá em Crepúsculo quando ele foi lançado. Mas depois todo mundo copiou e todo livro tinha isso, aí cansei. Hoje não tenho paciência.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  6. Rrrrrssss eu adorei esse post, primeiro por causa do titulo... ( afinal eu tambem ODEIO Triangulos amorosos
    Segundo pelos motivos, a gente sofre demaisssss e o pior sofre sabendo que é tonta por ler e saber que no final ja sabermos quem vai ficar com quem rrss
    E o terceiro é o meu motivo Bibs, eu odeioooo triangulos amorosos porque sou Muitoooooo, mas muitoooo ciumenta então 3 numa relação pra mim é total e completamente inconcebível

    Bjs
    Ana Paula
    Paixão por Leituras

    ResponderExcluir
  7. Falou tudo. Eu já li triângulos amorosos muito bem escritos, mas também já li vários ridículos. Esse lance da mocinha ficar o tempo todo somente pensando em qual boy vai escolher não me convence nem um pouco. Acho que tinha que ter menos triângulos e mais girl power.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Gente, concordo muito. O triângulo amoroso é muito ambiguo, e pra mim, eu arrisco, se o autor souber desenvolver bem tal ponto. O de Peças Infernais eu acho espetacular, porque eu realmente não conseguia nao torcer para um casal. Já o de Instrumentos eu achei chato pra caramba. Tem hora que fica exagerado. Mas no total é bom quando não fica naquela lenga lenga de que a mocinha pega os dois e nao escolhe nenhum. Acho que uma exemplo claro de triangulo mal executado, é o de TVD KKKK. Pq eu fiquei puto com a maneira com o triangulo começou e depois terminou.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!