Resenha: A Filha do Sangue (Trilogia As Joias Negras #1)

Resenha: A Filha do Sangue

Esse livro é pura intensidade com um clima de feitiço, como se a autora fosse um ser muito poderoso que colocasse um encantamento em suas palavras e que nos fizesse aprofundar nesse mundo cheio de paixão, ódio, destruição e lealdade. A Filha do Sangue, primeiro livro da Trilogia das Joias Negras, de Anne Bishop, é simplesmente devastador.
Sinopse: O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influencidade e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos, inimigos viscerais - sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.
Toda a história, o enredo de cada personagem, mesmo que minimamente, gira em torno de Jaenelle, a próxima Feiticeira. Veja bem, nesse mundo há inúmeras chamadas feiticeiras, mas somente uma é suprema e imensamente poderosa. Porém, a existência de um Feiticeira como Jaenelle não ocorre com frequência, se passam inúmeros milênios até que outra nasça. E após tanto tempo de espera, Jaenelle surge, mais poderosa do que qualquer outra criatura que já tenha pisado no mundo. E muitos estavam à espera dela, prontos para reverenciá-la e servi-la com total lealdade e confiança.

Essa história é difícil de descrever, pois são muitos personagens, muitas teias de narrativa. O que posso dizer, é que cada um é aprofundado de tal maneira que, assim que você começa a ler a parte destinada a esse personagem, a personagem dele, ou dela, está impregnada nas páginas. A autora conseguiu caracterizá-los, aprofundá-los maravilhosamente bem. O mundo é complexo, mas muito bem construído, a criação diferente de qualquer outro livro que eu já tenha lido.

Resenha: A Filha do Sangue
O que muitos não esperavam, é que Jaenelle ainda fosse uma criança. Desse modo, vemos alguns dos personagens principais, Como Saeten, O Senhor Supremo do Inferno e Daemon, um Príncipe dos Senhores da Guerra, lidando com isso. Saetan estava pronto para ser uma espécie de conselheiro da Feiticeira, futuramente a Rainha, mas surpreende-se a ser convidado por uma menina de 7 anos a ser um dos seus tutores. Assim como Daemon, que esperava entregar-se à Feiticeira de corpo e alma logo que a visse, até ter a impactante surpresa de conhecer Jaenelle, uns anos depois de Saetan, com 12 anos. Há também Lucivar, que acaba por conhecê-la inesperadamente, pedindo à Noite uma Rainha que pudesse servir e ser seu amigo, e a esse pedido, Jaenelle ouve, indo até ele e oferecendo sua amizade.
E se a isso acrescesse o facto dessa mesma criança admitir que o Senhor Supremo do Inferno, o Príncipe das Trevas, o Príncipe dos Senhores da Guerra mais poderoso e mais perigoso da história dos Sangue, estava a ensinar-lhe a Arte. Mesmo que pensassem que era mais outra história, trancá-la-iam de vez para evitar que contasse a alguém que lhe desse atenção. E se, pelo contrário, desta vez acreditassem nela, o que lhe poderiam fazer para que o Senhor Supremo perdesse o interesse, mantendo-se a eles próprios seguros? E Daemon tinha a certeza de que se passavam coisas em Beldon Mor que Saetan não estaria disposto a deixar passar ou a perdoar.
Mas nem todos os personagens estão livres, Daemon e Lucivar, por exemplo, são escravos dos caprichos de Sacerdotisas manipuladoras e loucas pelo poder. Há muita coisa errada naquele mundo, mas há também muito poder, muita profundidade, intensidade, magia, mistério e feitiçaria. A história é imensamente envolvente, a narrativa complexa é detalhista sem ser forçada, e a escrita tem uma forma tão natural que você apenas a segue, lendo e apreciando, como se cada um dos personagens, em realidade e carne, fosse até uma folha de papel e escrevesse o que aconteceu sob seu ponto de vista.

Desde o momento em que a conhecera que sabia que era a Feiticeira – e a Feiticeira usava as Joias Negras. Sabia-o, mas tinha conseguido iludir-se a si próprio, acreditando que ela usaria a Negra quando atingisse o seu pleno desenvolvimento, não agora. Ao longo da extensa história dos Sangue, só uma mão cheia de feiticeiras tinha usado a Negra, que lhes tinha sido atribuída após a Dádiva às Trevas. Ninguém, em tempo algum, tinha usado a Negra como Direito por Progenitura.
Fazia muito tempo que eu não lia algo assim, me senti tão fascinada que só queria saber da continuação. Não posso dizer muito sobre a história sem revelar demais, ou sem dar a entender algo diferente do que ela é, então apenas me resta indicar esse livro como imperdível.
Andulvar bufou. — Quase a matou. Quando ela saltou, ele lançou-se de cabeça, pela lateral, atrás dela. Lamentavelmente, Jaenelle estava em pé, no ar, a menos de três metros abaixo do peitoril. Quando surgiu pelo lado, esbarrou com ela a toda a velocidade e caíram ambos mais de três quartos da distância antes de Prothvar conseguir controlar o voo picado.
— Mãe Noite — murmurou Saetan. 
— E que as Trevas sejam misericordiosas. Sendo assim, o que é que vai fazer? 
— Falar com ela — respondeu Saetan ameaçadoramente, ao mesmo tempo que dirigia um pensamento à porta, observando-a a abrir suave e rapidamente. — Criança-feiticeira. 
Jaenelle aproximou-se, a ira apaziguada e transformada na determinação obstinada que Saetan já sabia reconhecer.
O enredo é tão bem elaborado que assim que você pega o ritmo, o livro se vai rapidinho. Tem pouco mais de 400 páginas e logo que o final chega, você fica ansiando desesperadamente pelos próximos, que sem dúvida, vão apenas reafirmar o quanto Anne Bishop é genial e talentosa.

Título original: Daughter of The Blood
Autora: Anne Bishop
Editora: Saída de Emergência
Gênero: Dark Fantasia
Nota: 5

Saiba mais: Skoob | Amazon

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

4 comentários:

  1. Fiquei super interessada com a premissa dessa trilogia, mas comecei a ler esse primeiro livro e não consegui chegar nem na metade do livro - abandonei - achei confuso, cheio de história e muiiiiiiito personagens e algumas concepções carnais de mais para a minha compreensão... Eu fiquei perdida nesse livro, quero voltar a dar oportunidade para essa leitura, mas não tão cedo.

    xoxo
    Mila F
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Camila!
    Tem uma amiga minha que é louca por essa trilogia e vive me indicando. Ela já está na lista de leitura.
    Esse negócio de Suprema me lembrou AHS Coven hahaha
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Camila.
    Depois dessa resenha não tem como não querer ler o livro. Adoro histórias assim que são tão "grandes" que a gente nem consegue colocar tudo na resenha. Eu me interessei muito. Já quero acompanhar essa garota que pelo jeito une muitos personagens interessantes. Assim que der eu vou ler.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila,
    Vou te falar que tenho esse livro aqui em casa, já comecei a ler umas 2x e parei. Não conseguia me prender a narrativa!
    Vejo tantos falando da genialidade da autora que preciso tomar coragem e retomar a leitura.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!