Resenha: Carbono Alterado

Resenha: Carbono Alterado

Um fenômeno de ficção científica que mistura thriller noir com críticas e questionamentos a respeito da humanidade, da tecnologia e das linhas entre esses dois pontos. Recebido em cortesia, Carbono Alterado é uma aposta da Editora Bertrand - e também da Netflix! Porque sim, vai ganhar uma série.
Sinopse: No século XXV, a consciência de uma pessoa pode ser armazenada em um cartucho na base do cérebro e baixada para um novo corpo quando o atual para de funcionar. A morte, agora, nada mais é que um contratempo inconveniente, uma falha no programa. Takeshi Kovacs, um ex-militar de elite, após sua última morte, tem sua consciência transportada a Bay City, a antiga São Francisco, e é trazido de volta à vida para solucionar o assassinato de um magnata. Isso só para descobrir que seu contratante é a própria vítima, que voltou à vida em um novo corpo, mas sem as memórias do crime. Mal sabe Kovacs, porém, que essa investigação irá lançá-lo no centro de uma conspiração perversa até para os padrões de uma sociedade que trata a existência humana como um produto a ser comercializado.
Falar sobre a história desse livro é, no mínimo, muito difícil. No século XXV, a consciência é quase parte da tecnologia. Ela pode ser baixada em cartuchos e inserida em novos corpos; ou seja, você é imortal. Mas o que significa imortalidade? Takeshi, nosso protagonista, desperta em um novo corpo para desvendar um crime, só para descobrir que a vítima desse crime foi quem encomendou essa investigação - e isso está para lançar Takeshi frente a frente com conspirações gigantescas e perturbadoras.

Esse livro me lembrou bastante de SOMA - um jogo que simula um futuro onde nossas consciências são inseridas em robôs, de modo que só morremos se esses dados forem apagados. Ou seja, nos tornamos parte de um sistema tecnológico; nós existimos através das máquinas, então realmente chegamos a existir? É um questionamento pesadíssimo de queimar os neurônios, e Carbono Alterado bateu nessa tecla com perfeição. Toda a história me passou exatamente o sentimento de perdição, ao mesmo tempo em que as investigações e os rumos das descobertas de Takeshi tomavam um lado mais thriller policial. É uma trama inteligente e lenta por causa disso.


Resenha: Carbono Alterado

Tive muitos problemas para continuar a leitura exatamente pela narrativa arrastada. Quem me conhece sabe que a obra precisa ter personagens carismáticos para me segurar em tramas pesadas demais, e não senti isso com quase nenhuma figura deste livro. Takeshi, principalmente, foi uma tortura de se ler. Ele tinha muito de macho man querendo se provar e senhor, não aguento mais protagonistas assim. Mesmo com o cenário caótico e bem construído, a maioria das cenas com Takeshi me deixaram entediada - e aqui não foi o caso da narrativa, foi da construção chocha de personagem mesmo.

Em relação a dois pontos que vi muito citados em reviews gringas, violência e cenas de sexo são realmente bem gráficas. As de violência principalmente; se a série adaptar com fidelidade, pode esperar um +16 para cima na classificação etária. Não achei perturbador, no entanto, porque é um livro que promete a realidade nua e crua. E, nesse universo perturbado, a realidade nua e crua tem nuances muito escrachadas.

Para equilibrar os monólogos lentos e (provavelmente) o que até o autor deve ter notado como a falta de carisma do protagonista, as cenas de ação foram espetaculares. Dignas de super produções cinematográficas, de fato, o que eu acho que vai ser muito bem transportado para a série da Netflix. Talvez, e eu digo isso com esperança, a adaptação me entregue um desenvolvimento melhor do que é uma ideia fantástica. Do mesmo jeito que SOMA ou Matrix não funcionariam em forma de livros, acredito que Carbono Alterado seja o caso. A narrativa é boa, os plot twists e as cenas de perseguição, corridas e adrenalina são ótimas, mas a obra como um todo não funcionou para mim.

O trabalho todo do livro é maravilhoso. A edição é simples, mas combina com o que a história promete. E eu com certeza vou conferir a série quando estrear, porque se teve uma coisa que Carbono Alterado fez muito bem foi dar vários nós no meu cérebro - aquele tipo que te deixa filosofando sobre a vida e seus confins durante horas e horas após o término da leitura.


Título original: Altered Carbon
Autor: Richard K. Morgan
Editora: Bertrand
Gênero: Ficção científica / Thriller Noir
Nota: 3

Saiba Mais: Skoob | Amazon 

Share this:

, , , , , ,

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. Oi, Denise!
    O nome desse livro só me lembra aqueles papeis carbono que a gente usava na escola.
    Por ter uma narração arrastada nem vou tentar o livro. Eu fico muito entendiada e acabo odiando tudo, mesmo se a história em si for boa. Acho que vou esperar a adaptação mesmo hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise!

    Eu recebi este livro da editora, e preciso dizer que minhas expectativas eram bastante altas, a proposta parece ser interessante mais de queimar os neurônios mesmo kkk agora menina já vou dizer logo que lida com uma leitura arrastada para mim e a coisa mais terrível do mundo. Eu espero no sofrer tanto com o livro, afinal tudo tem seu ponto positivo, vamos ver né? Adorei sua sinceridade.

    Beijinhos

    Resenha Atual

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!