Li até a página 100 e... #49 - Não Conte Nosso Segredo

Li até a página 100 e... #49 - Não Conte Nosso Segredo

Autor: Julie Anne Peters
Editora: Hoo Editora
Número de Páginas: 301


PRIMEIRA FRASE DA PÁGINA 100:

"- E eu também. - Leah disse."

DO QUE SE TRATA O LIVRO?

O livro narra o ponto de vista de Holland, no último semestre do seu último ano no colégio. Ela está sobrecarregada com as matérias, pressionada em casa, pela mãe, para entrar em uma universidade de ponta, pressionada pelo namorado para levar o relacionamento a outro nível de comprometimento e não tem nem ideia do que quer fazer com o resto da sua vida. E então ela conhece Ceci, a garota nova na escola que já chega causando com suas camisetas que fazem questão de reforçar que ela é lésbica e tem orgulho disso. A partir daí a história navega entre a Holland se descobrindo apaixonada pela Ceci enquanto tenta descobrir que rumo dar a sua vida -- e no caminho acaba tendo sua visão de mundo ampliada, porque né, ela não vive em um mundo tão bacana quanto pensava.

O QUE ESTÁ ACHANDO ATÉ AGORA?

Estou gostando bastante! A narrativa é um pouco mais fria do que eu gostaria, mas é fácil de ler e as coisas se encaixam muito bem. Por tratar da homofobia, tem várias passagens desconfortáveis com o comportamento preconceituoso de alguns estudantes, com comportamentos hipócritas, mas não é algo que pode ser evitado uma vez que é a proposta da história. Também me deixa questionando se avançamos tanto assim como sociedade, uma vez que o livro é de 2003 e, quinze anos depois, tantos dos comportamentos que eu vejo ali ainda são "socialmente aceitáveis".

O QUE ESTÁ ACHANDO DA PERSONAGEM PRINCIPAL?

Gosto muito da Holland. Ela é completamente alheia ao mundo LGBT+ e vai se aprofundando conforme vai conhecendo a Ceci. O crescimento dela está bem legal, mostrando como se ela estivesse "tirando a areia dos olhos" para enxergar o comportamento inaceitável de seus colegas e da sociedade no geral, passando pela empatia e colocando-se no lugar dos colegas LGBT+. E também a forma muito natural com que a relação dela e da Ceci começa a se desenvolver -- deus sabe como muitos livros forçam a barra para deixar muito claro quem é o personagem LGBT do livro de forma estereotipada ou didática. Outro ponto forte é como ela tenta fazer sentido da confusão e do caos que a vida da Holland tem sido nos últimos meses, algo que conversa muito bem com qualquer um que é ou já foi um adolescente de 18 anos que esperavam ter todas as respostas sobre o que fazer para o resto de suas vidas.

MELHORES QUOTES (ATÉ A PÁGINA 100):

"Tínhamos uma política tão forte contra o bullying, mas que diferença havia entre isso e abuso e descriminação? Tudo tinha a ver com ódio. Deveria haver leis. Havia leis? É possível legislar contra o ódio? Por que não discutimos isso em nenhuma das aulas sobre política?"

"Deus, eu nem sequer conseguia imaginar isso. Todos os dias precisando ser invisível para se proteger. Precisando aturar agressores e idiotas."

VAI CONTINUAR LENDO?

Absolutamente! 

ÚLTIMA FRASE DA PÁGINA 100:

"- Você não pode estar falando sério. - Ela disse."

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

5 comentários:

  1. Oi, Bianca!
    Gente, eu tinha uma ideia completamente diferente da história.
    Quando a escrita é muito fria, eu não me conecto na história e chego a abandonar até.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante
    Participe do sorteio de aniversário do Pausa Para Pitacos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza!
      Pior que a narrativa mais "fria" nem afetou a leitura. Eu tô acostumada com coisas mais "poéticas", essa foi bem objetiva. Soou mais como adolescentes do que os demais YA. Gostei bastante.

      bjs

      Excluir
  2. Olá, Bibs.
    Não tinha visto esse livro ainda. Vou aguardar sua opinião completa sobre o livro, mas me interessei bastante, principalmente por saber que os personagens gays não são estereotipados, como sempre vejo por ai.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil!
      Foge bem dos estereótipos, o que é ótimo.
      Gostei bastante do livro, espero que tenha a oportundiade de ler também!

      bjs

      Excluir
  3. Não sei se vou gostar do livro, mas adorei o blog.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!