Resenha: Nunca Vi a Chuva


O mais recente lançamento do autor Stefano Sant'Anna é um livro juvenil sobre descobrimentos. Com uma narrativa sensível, Nunca vi a chuva encanta pela simplicidade.
Sinopse: Lucas foi adotado por uma família rica e apesar de ter uma vida aparentemente perfeita, está prestes a se suicidar. Ele teria se jogado de um prédio, não fosse a mensagem recebida naquele exato instante. O canal de vídeos do gêmeo idêntico que ele simplesmente não conhecia. Depressivo e ainda desmotivado a viver, Lucas decide viajar para o Rio de Janeiro atrás de Rafael e acaba vivenciando o início de uma amizade que poderá mudar sua vida para sempre.
A história começa com Lucas tentando se matar. Pra ele tanto faz continuar vivo ou morto até o momento derradeiro em que contempla o seu fim. Uma mensagem o impede de prosseguir, e essa mesma mensagem muda sua vida completamente. Um rapaz igual a ele tem um canal de vídeos no Youtube, um gêmeo perdido que ele nem mesmo conhecia. Ainda perdido em suas dores, Lucas viaja para o Rio de Janeiro para se aproximar do irmão, e essa amizade se torna uma corrente para impedir o rapaz de se despedaçar.

Já conhecia a narrativa e a maneira única e cativante do Stefano através do seu outro livro, Inverno Negro - uma ficção fantástica altamente recomendada para quem gosta desse gênero - então, quando ele me convidou para ser beta de Nunca vi a chuva, fiquei muito animada com o que estava por vir. E me surpreendi demais!



Lucas está nos contando sua história através de um diário. Ele foi conduzido a fazer isso depois de algumas consultas com uma psicóloga e, apesar de não querer, acaba se encontrando nas cartas que escreve diariamente. Nelas, Lucas relata seus sentimentos, seus medos e suas angústias. Nela vemos o personagem egoísta, amargo e extremamente de mal com a vida que é esse rapaz. Lucas tem tudo do bom e do melhor, mas, para ele, não significa muita coisa. Existe uma sombra nas suas emoções, o tipo de coisa depressiva e perturbadora que não o deixa encontrar bons motivos para seguir em frente. De fato, no começo da história, vemos Lucas frente a frente com o suicídio, e é uma mensagem que o impede de dar o último passo.

O rapaz acaba conhecendo Rafael sem querer. Ele encontra seu canal no Youtube e, para seu choque, Rafael é idêntico ao Lucas. Um irmão gêmeo que ele nunca conheceu e nem sonhou encontrar está do outro lado do oceano, sorridente, cheio de amor e vida. Determinado a entender suas histórias e separações, os motivos que colocaram Rafael em seu caminho justamente naquele momento, Lucas viaja para lá. E a jornada do livro é toda sobre esses dois irmãos.



Eu detestei o Lucas, profundamente. Mas, diferente de protagonistas insuportáveis que não te cativam, ele tem pequenos detalhes em sua personalidade, em algumas cenas tocantes, momentos que te fazem parar e admirar o garoto radiante que ele poderia ser se escapasse dessa nuvem sombria cheia de dor e amargura. Lucas é um personagem bem difícil de tragar, mas não é inverossímil à sua jornada de auto-descobrimento, não foge da premissa de estar vivendo na escuridão para encontrar a luz. E a luz, no seu caso, é o Rafael.

Que gracinha de menino! Rafael é tudo de bom humor e carisma; ele que é cego e poderia ter dado as costas para o mundo por suas limitações o abraça como se não houvesse amanhã. Rafael mostra a Lucas as coisas que ele tem deixado passar, coisas que sua aura ranzinza e terrível tem mantido longe dele. Rafael é quase um guia para o irmão gêmeo, o anjo da guarda que Lucas precisava para encontrar um novo caminho para sua vida.



Achei todo o desenvolvimento dos dois fabuloso. A família de Rafael é cheia de figuras carismáticas, contrárias à realidade régia de Lucas - e aqui eu puxo um ótimo crescimento de personagem que foi o da mãe adotiva de Lucas. Os dois começam o livro a uma distância emocional gigantesca, ainda que a mãe tente o possível e o impossível para se conectar com o rapaz (e aqui eu aproveito para falar o quanto eu queria estapear a cara do Lucas por todo egoísmo e birra infantil) e o livro constrói essa relação e as mágoas entre eles muito bem, culminando em um final emocionante.

Nunca Vi a Chuva fala sobre amargura, sobre se encontrar nos lugares e pessoas mais inesperados. É um livro que promete mexer com todas as suas emoções, e faz isso do início ao fim.

Título original: Nunca Vi a Chuva
Autora: Stefano Sant'Anna
Editora: Hope
Gênero: YA / Drama
Nota: 4,5

Saiba mais: Skoob | Amazon

Share this:

, , ,

COMENTÁRIOS

6 comentários:

  1. Olá.

    Quantas fotos lindas e que resenha linda!
    Confesso que é a primeira que leio desse livro. Se eu já tinha interesse, agora tenho ainda mais!
    Por mais triste que seja histórias contando sobre suicídio, adoro livros assim. Me faz pensar mais na vida e nas pessoas que tentam isso.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi flor!
      Essa edição ficou um arraso, merecia fotos maravilhosas pra combinar <3
      Vai atrás do livro sim, vale muito a pena. Vai te dar todas as emoções possíveis, por isso é uma leitura tão boa *-*

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, Denise!
    Pelo que falei do Lucas, já sei que iria odiar profundamente o personagem e isso influenciaria muito na leitura. Geralmente eu acabo não gostando do livro quando odeio demais o personagem principal. Meu ranço ultrapassa as páginas...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu, tudo bom?
      Acho que o Lucas foi um dos únicos protagonistas que eu detestei a maior parte do tempo e esse fato tornou a leitura ainda melhor :P
      Exatamente por ser um personagem detestável 'verossímil' com a história, isso não atrapalha em nada o desenvolvimento. E o Rafael compensa sendo um amorzinho <3

      Beijos!

      Excluir
  3. Que resenha mais lindaaaa <3
    Já disse que preciso ler esse livro pra ontem, né? <3
    Quando vc falou do Lucas eu me lembrei do Dexter em Um Dia, detestável, mas não tem como odiar de verdaaade kkk
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol!
      Tô ansiosa pra ver sua opinião sobre o livro *-*
      E siiim, o Lucas é exatamente na vibe do Dexter; é detestável, mas faz sentido ser detestável. E melhora com o passar da história!

      Beijos.

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!