Resenha: Dama da Meia-Noite - Queria Estar Lendo

Resenha: Dama da Meia-Noite

Resenha: Dama da Meia-Noite

Dama da Meia-Noite é o primeiro livro da série Os Artifícios das Trevas e a terceira série dentro do mundo Shadowhunter, criado por Cassandra Clare. A história se passa cinco anos após os eventos finais de Os Instrumentos Mortais, contados em Cidade do Fogo Celestial, e tem como protagonistas os parabatais Julian Blackthorne e Emma Carstairs, cujas famílias foram destruídas pela Guerra Mortal.
Sinopse: Em um mundo secreto onde guerreiros meio-anjo juraram lutar contra demônios, parabatai é uma palavra sagrada. O parabatai é o seu parceiro na batalha. O parabatai é seu melhor amigo. Parabatai pode ser tudo para o outro mas eles nunca podem se apaixonar. Emma Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma em uma longa linhagem de Caçadores de Sombras encarregados de protegerem o mundo de demônios. Com seu parabatai Julian Blackthorn, ela patrulha as ruas de uma Los Angeles escondida onde os vampiros fazem festa na Sunset Strip, e fadas estão à beira de uma guerra aberta com os Caçadores de Sombras. Quando corpos de seres humanos e fadas começam a aparecer mortos da mesma forma que os pais de Emma foram assassinados anos atrás, uma aliança é formada. Esta é a chance de Emma de vingança e a possibilidade de Julian ter de volta seu meio-irmão fada, Mark, que foi sequestrado há cinco anos. Tudo que Emma, Mark e Julian tem a fazer é resolver os assassinatos dentro de duas semanas antes que o assassino coloque eles na mira.Suas buscas levam Emma de cavernas no mar cheias de magia para uma loteria sombria onde a morte é dispensada. Enquanto ela vai descobrindo seu passado, ela começa a confrontar os segredos do presente: O que Julian vem escondendo dela todos esses anos? Por que a Lei Shadowhunter proíbe parabatais de se apaixonarem? Quem realmente matou seus pais e ela pode suportar saber a verdade?
Antes da gente começar vale lembrar que eu já narrei minha saga lendo Dama da Meia-Noite - de forma bem mais otimista do que segue essa resenha.

Cinco anos após a Guerra Mortal, somos levados até o Instituto de Caçadores de Sombras de Los Angeles, onde os Blackthorne precisam viver com as consequências deixadas pelo tenebroso exército de Sebastian. Sem os pais, com a irmã mais velha exilada na Ilha Wragen, o irmão mais velho perdido no mundo das fadas e um tio para sempre marcado pela crueldade das fadas, Julian é a figura responsável por seus quatro irmãos mais novos, os gêmeos Ty e Livvy, Dru e o caçula Tavvy. E para manter a sanidade, ele conta com a ajuda de Emma, sua parabatai.

O problema é que é relativamente mais fácil para Julian seguir em frente, sabendo quem matou seu pai e que a justiça da clave foi servida. Porém, Emma ainda revolve o assassinato dos pais e quando corpos com as mesmas marcas começam a aparecer por toda Los Angeles, não vai ser a clave que vai impedí-la de descobrir a verdade.

Tudo isso enquanto tenta descobrir o que fazer com os sentimentos românticos que tem pelo parabatai - e que aparentemente são correspondidos - uma vez que a Lei dos Caçadores de Sombra é bastante clara sobre isso: parabatais jamais podem se envolver romanticamente. Pior do que perderem as suas runas, Emma e Julian arriscam perder qualquer contato com as outras crianças Blackthorne.

Resenha: Dama da Meia-Noite

Mas como nada é simples na vida de um Caçador de Sombras, quanto mais Emma se envolve nas investigações, mais perto de uma verdade sombria e macabra ela fica. E as consequências podem ser mortais para aqueles que ela ama.

Queria começar dizendo que essa resenha é bem um desabafo de uma fã frustrada, mas que ainda assim não contém spoilers do enredo. Tudo que foi dito aqui já foi divulgado em vários outros canais, e não interfere nas "surpresas" do livro.

Os Artifícios das Trevas é uma série que foi anunciada antes mesmo de Os Instrumentos Mortais ser encerrado, o que significa que Cassandra Clare ficou cozinhando ela por muito tempo. E eu tinha grandes, gigantescas expectativas para ela, que infelizmente não foram sanadas. E eu sei que você pode pensar "a única pessoa culpada por criar expectativas é você" e eu até concordaria, não fosse o fato de que Cassandra passou pelo menos dois anos nos dando desenhos, snipets e falando sobre os personagens de forma recorrente em seu tumblr e twitter - sim, eu era o tipo de fã que acompanhava tudo de perto até ler Dama da Meia-Noite. E eu senti que em todos esses momentos, ela estava vendendo uma história que, no fim, não entregou.

E eu me decepcionei tremendamente com isso.

Dama da Meia-Noite é definitivamente um livro da Cassandra Clare. Os personagens tem o humor típico que encontramos nas séries do mundo dos Caçadores de Sombras e foi muito feliz rever o pessoal de Os Instrumentos Mortais - especialmente naquele capítulo bônus. Os personagens são redondos e coerentes com aquilo que já tinha nos sido apresentado previamente em Cidade do Fogo Celestial e As Crônicas da Academia de Caçadores de Sombras.

Resenha: Dama da Meia-Noite

A amizade de Cristina e Emma é tudo que a gente queria que Clary e Izzy fosse desde o começo. Embora Cristina tenha chegado há pouco tempo no instituto e não compartilhe muito do seu passado, ela é uma pessoa com quem a Emma pode contar para proteger suas costas - e o mesmo vale em vice e versa.

Aliás, eu tenho dois grandes destaques para esse livro, que são Cristina e Mark - e especialmente Cristina e Mark como casal em potencial. As interações entre os dois são incríveis e a Cristina parece satisfeita em aprender a lidar com o Mark de agora. Por ter passado tanto tempo com as fadas, basicamente em cativeiro, ouvindo sobre como sua família e a clave tinham desistido de procurá-lo, a personalidade de Mark mudou bastante daquela que vemos no rapaz de 16 anos no início de Cidade do Fogo Celestial.  E, enquanto Julian e os irmãos esperam encontrar o Mark de antes, Cristina simplesmente aceita a pessoa que ele é, o que, pra mim, faz dessa a relação mais saudável em toda a série.

Mas, mesmo embora Julian e Mark se estranhem bastante nesse livro, especialmente pelos sentimentos de culpa que ambos carregam, a relação de Julian com os irmãos mais novos foi desenvolvida de uma forma muito precisa e verdadeira. O entrosamento e a química entre os personagens é natural e certa, não senti forçada em nenhum momento  e as cenas onde estavam todos juntos são algumas das minhas preferidas.

Mas me sinto muito triste em dizer que é basicamente aí que para tudo que eu gostei na história. No mais, senti que estava lendo um pouco mais do mesmo. Ainda que com uma roupagem nova, muitos dos arcos se assemelham ao que já vimos em Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais e plots que eram grandes promessas delas - a história por trás da morte dos pais da Emma, as razões para o romance proibido entre parabatais, o Herondale perdido - tiveram resoluções fracas ou repetitivas, por vezes até confusas, como se fosse um pensamento que ela tentou encaixar dentro do mundo já criado e divulgado.

Achei a premissa do livro incrível e os protagonistas ótimos, mas o desenvolver da história foi fraco, as explicações rasas, confusas, previsíveis e as vezes completamente desnecessárias, com decisões  cujo único propósito é render drama para outros dois livros, porque poderia ter seguido um caminho mais simples, verossímil e bem mais emocionalmente destruidor do que os caminhos que ela escolheu.

Resenha: Dama da Meia-Noite

Sem contar que eu me recuso veemente a aceitar um relacionamento abusivo como um desenvolvimento natural de um relacionamento "entre duas pessoas humanas que erram e aprendem com seus erros". Não vou entrar em detalhes porque são muitos spoilers, mas de uns tempos para cá a Cassandra anda com discursos muito bacanas sobre feminismo, empoderamento e diversidade, só que infelizmente isso não se aplica as suas histórias como ela faz parecer em entrevistas e interações com os fãs. Novamente ela cria toda uma expectativa que não se cumpre em suas obras.

Eu queria muito, mas muito mesmo, ter gostado de Dama da Meia-Noite, mas infelizmente não foi o caso. Eu sou uma fã de carteirinha desse universo criado pela Cassandra Clare - eu tatuei ele na minha pele! - mas ultimamente tenho preferido muito mais a série de TV, Shadowhunters, que vem corrigindo diversos deslizes das obras, do que os próprios livros.

Tinhas esperanças de que Senhor das Sombras, o segundo volume da série, fosse corrigir ao menos alguns arcos (que davam espaço para correção) e embora eu ainda queira lê-lo, muitos dos spoilers que acabei pegando me indicam que ele também não vai atingir as expectativas.

Queria poder indicar esse livro para qualquer pessoa, mesmo quem ainda não conhece o mundo SH, mas novamente Cassandra Clare não cumpre o que promete (que no caso seria séries separadas, que pudessem ser lidas de forma independente) e insere os personagens de Instrumentos Mortais em arcos de certa importância nessa série (em especial no segundo volume, pelo que fiquei sabendo) e você pode pegar spoilers se ler ele antes de ler Os Instrumentos Mortais, As Peças Infernais e As Crônicas da Academia de Caçadores de Sombras. Mas, aos fãs que estão com as séries em dia, ainda assim indico. É melhor tirarem suas próprias conclusões.

No mais, espero ser surpreendida pelo restante da série - porque sim, sou trouxa e vou até o fim. 

Título original: Lady Midnight, vol. 1 - The Dark Atifices
Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Gênero: Fantasia Urbana - Young Adult
Nota: 2

Saiba Mais: Skoob  |  Amazon  |  Submarino

Share this:

, , , , ,

COMENTÁRIOS

5 comentários:

  1. Oi Bibs! Eu tenho até uma certa vergonha de dizer, mas nunca li nada da autora! preciso um dia tomar vergonha na cara e encarar os livros dela! Uma pena vc não ter curtido tanto, sei como é ter uma autora que a gente gosta muito e o livro não ser como a gente esperava....

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi!!! Confesso que não me dei bem com a escrita da autora desde o terceiro volume de instrumentos mortais. Que pena você se decepcionar, já que leu todos. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  3. Oi Bibs, td bem? Adoro essa autora, mas a Dama da Meia Noite ainda não li, gostei da resenha anotado a dica! Obrigado, bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, Bibs!
    Pra você que é fã dar nota 2 pro livro é porque ele deve ter sido bem decepcionante.
    Da Cassandra, eu li até Cidade das Cinzas (pois é) e depois nem quis saber mais. Porém, vivem me indicando As Peças Infernais que estou tentada a colocar da tbr do ano que vem.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Natal Literário e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Nunca li nada da autora, tive curiosidade, mas acho que passou o tempo e são tantos livros.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!