Resenha [FILME]: Star Wars - Os Últimos Jedi - Queria Estar Lendo

Resenha [FILME]: Star Wars - Os Últimos Jedi


Iniciando do ponto onde O Despertar da Força terminou, Os Últimos Jedi é um filme surpreendente e certamente um pontapé para um grandioso final na nova trilogia de Star Wars.

Rey encontrou Luke Skywalker, desaparecido há muito tempo em meio a um mapa estelar desconhecido por seus aliados. Mas quem disse que o Jedi queria ser encontrado? A garota está ali em busca de treinamento e também para convencê-lo a voltar a lutar, uma vez que a Primeira Ordem tem avançado seu poder sobre a galáxia. Do outro lado da trama, acompanhamos a Resistência em uma corrida contra o tempo para combater o mesmo horror que guia Rey em busca de ajuda.



Pense num resumo sem graça: é o meu.

A trama desse oitavo filme é bastante simples, na verdade, e como uma boa "história do meio", entrega respostas e novas dúvidas a serem resolvidas no último capítulo da trilogia. É uma narrativa, principalmente, sobre dilemas. A história se equilibra numa zona cinza, mostrando que a guerra, os poderes, a própria Força, tudo isso vai além do bem e do mal. É uma questão de equilíbrio, de mesurar ambos os lados. Existe luz na escuridão, e sombras em meio a luz.

Já conhecemos os personagens e, apesar dos novos rostos que surgem em meio ao cenário conhecido, aqui nós vemos a evolução e o desenvolvimento das personalidades apresentadas em O Despertar da Força.




Rey é um elemento da natureza. Poderosa e equilibrada, ela aceita seus poderes e está ansiosa para fazer bom uso deles - por isso seu embate com o Luke, bem diferente daquele Jedi animado e esperançoso da trilogia original -, é tão interessante. Rey é muito do que o Luke era; ela acredita, ela quer, ela busca.

Luke, no entanto, viu e viveu o suficiente para dar as costas a coisas pelas quais lutava, elementos nos quais colocava toda a sua fé. Ele é um Mestre amargurado, muito diferente da figura sábia e pacífica esperada de figuras do tipo. Ele não quer ensinar porque carrega traumas do que sua vida como guia trouxe para a galáxia. O desenvolvimento do Luke, inclusive, foi um dos mais brilhantes dentro do roteiro.

Eu amo este homem.
A passividade e serenidade da aura sombria dele são bem executadas pelo Mark Hamill, e enquanto quem assiste fica torcendo por aquele Luke de antigamente, existe uma carga dramática em seu olhar e em suas falas que dita que "as coisas não vão acontecer do jeito que você imagina". O primeiro e segundo ato são muito disso para o Luke, mas o terceiro... Se eu pudesse enquadrar uma cena e colocá-la em um museu, seria a do terceiro ato. Quem assistiu vai saber de qual eu estou falando.



Voltando pra Rey, ela representa bastante o que significa Esperança. Rey é pura, corajosa e surpreendentemente agressiva. É poderosa e uma representação de força feminina extremamente bem executada. Ela é o tipo de personagem que o dicionário pode usar pra definir como Girl Power. Eu queria tanto, mas tanto falar sobre várias cenas envolvendo ela, mas vou guardar esses surtos pra quando tudo deixar de ser spoiler.

Uma surpresa na história? Definitivamente Kylo Ren. Entenda isso: eu ainda quero ele bem morto e enterrado pelo que fez com o Han Solo. Não tem redenção que perdoe essa atrocidade narrativa. PORÉM, preciso confessar o quanto fiquei impressionada com o avanço que a história deu ao arco desse personagem.

Mais do que um vilão, mas um vilão cheio de complexidades, extremamente bem desenhado dentro do lado "caótico", mas pendendo para outros alinhamentos junto com isso. A atuação do Adam Driver é de espantar, e una isso a algumas reviravoltas de deixar TODO MUNDO na minha sessão de cinema gritando O QUÊ? - eis o tanto que o Kylo conseguiu me chocar.

Por falar em gente gritando no meu cinema: três cenas em especial causaram reações extremas. Em uma delas, o senhor do meu lado levantou da cadeira. Isso é o quanto esse filme foi maravilhoso.

 

  

Os protagonistas do outro arco mais uma vez roubam a cena. Com toda a licença, mas eu preciso usar o Caps Lock só um minutinho pra gritar POE DAMERON É O DONO DE TODA A MINHA EXISTÊNCIA, muito obrigada.


Que homem, meus amigos e minhas amigas. QUE HOMEM! Não sei nem direito o que dizer, só sentir. Uma personificação do que é a Resistência, do que significa lutar pela liberdade, mas também da juventude ansiosa. Leia é resiliente e equilibrada, Poe é a explosão, o tipo de soldado que prefere pedir perdão do que permissão (e que a deusa o abençoe). Isso cria ótimos embates entre os personagens, questionamentos sobre fazer a coisa certa na hora certa ou esperar para que um plano maior se concretize.


Finn ganha momentos inesquecíveis e se une à nova personagem, Rose, para ajudar os rebeldes na corrida contra a Primeira Ordem. Em especial no terceiro ato, pode esperar coisas grandiosas vindas desses dois. Ah, e a luta do Finn contra a Phasma que a gente viu lá nos trailers? Épica. E a Rose, que adição mais preciosa. Carismática ao extremo, ela acrescenta ainda mais empatia ao núcleo da Resistência. A mecânica é a parte da fé, da disposição a ir até o fim pelo pouquinho de esperança que ainda exista.

Os Últimos Jedi mostrou muitas faces dentro da Resistência e por isso é um filme tão incrível.

Eu vou tirar um parágrafo para falar sobre a Leia porque ela me fez chorar. Leia foi a primeira personagem feminina a me ensinar o que é ser forte. Eu tinha quatro anos da primeira vez que assisti Star Wars. Hoje, ela continua me apresentando novos tipos de forças, mas, principalmente, de esperança. O filme entregou um lembrete de que mesmo com a partida da Carrie, a princesa rebelde nunca vai nos deixar.

Outro dos novos rostos da Resistência é Almirante Holdo. Misericórdia, eu queria ter criado essa personagem. Que mulher, que presença, que voz! Uma líder determinada a fazer a coisa certa, o completo oposto da explosão ansiosa que é Poe Dameron. O tipo de pessoa que sabe os riscos e aceita as consequências porque, no fim, as coisas vão acontecer da melhor maneira. Coloca ela e a Leia na mesma cena e pode me ter chorando.

Daria pra me estender aqui por anos pra endeusar as batalhas em meio às estrelas. O que foi aquela sequência de abertura? O que foi o fim daquele segundo ato? EM NOME DE DEUS O QUE FOI A BATALHA NO DESERTO DE SAL? Queria tatuar no meu espírito de tanto que eu tremi na base.

 

 

O filme resgata muito do que foi maravilhoso na trilogia original, respeita os detalhes clássicos, mas se arrisca em escapes e plot twists que eu duvido você ter visto acontecer - aquela cena no deserto de sal fez o meu pai surtar, e meu pai costuma ser um cara bem controlado.

Os Últimos Jedi é arriscado; respeitoso à tudo que já aconteceu na saga, sim, mas uma porta de entrada para novos questionamentos e respostas inesperadas. Com um fim bem pontuado, esse filme deixa a promessa de um final espetacular; agora, só resta roer as unhas e esperar que 2019 chegue mais rápido. Que a Força esteja com todos nós.

Share this:

, , , , , ,

COMENTÁRIOS

10 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Menina, eu dei uma olhada por alto na sua resenha porque vou assistir essa maravilha hoje finalmente OBRIGADA SENHOR ESSE MOMENTO É MEU!
    Mirmã, acredita que eu achava que era o Oscar Isaac que fazia o papel do Eclipse em The Gifted? Gente, eles são muito parecidos que poderiam até ser irmãos de verdade verdadeira.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Natal Literário e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!
      Entendo o sentimento. Espero que você surte muito no cinema. O meu espírito ficou lá na sessão que fui.
      SOCORRO NÃO TINHA PENSADO NISSO. Mas eles são bem parecidos mesmo, realmente. Precisando de irmãos num filme Hollywood já sabe quem chamar.

      Beijos!

      Excluir
  2. Olá, Denise.
    Acabei de ler uma resenha com uma opinião um pouco diferente da sua hehe. Eu não vou assistir porque não assisti o anterior. Não sou muito fã da saga e até os filmes entrar no catálogo da Netflix nunca tinha assistido nenhum filme da franquia. E confesso que não é muito a minha praia. Não me mate hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      Olha, eu não tô confiando em gente que assiste esse filme e não acha ele uma maravilha cinematográfica :P qualquer resenha negativa desconsidero e finjo que não vi. Nem é questão de opinião, é que viu o filme errado mesmo UHASUHUHASUHASUHAS
      E relaxa, eu sou viciada porque cresci assistindo, filha de fã, fã é. Quem sabe um dia tu não faz uma maratona com todos e acaba gostando :D

      Beijos!

      Excluir
  3. Eu estou completamente fora desse universo de Star Wars, por isso não posso comentar muito sobre os filmes :)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Não querendo ser influenciadora mas acho que devia fazer uma maratona e dar uma chance pra saga, em? :P

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Dê!! eu tb super me emocionei vendo a Leia, deu uma dor no coração! E gostei bastante do filme apesar de achar algumas cenas desnecessárias. Confesso que gostei mais até que o anterior!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Vou ser sincera... Até uns dias atrás nunca tinha assistido nenhum filme de Star Wars por inteiro... Mas como não amar Mark Hamill né? Por causa dele fui atrás dos filmes e assisti uns dois por dia (aproveitando as férias né haha).
    Ainda não sou muito fã da franquia, vejo mais problemas que acertos e não consigo gostar da proposta/gênero, mas adorei "O despertar da força", achei a história muito bem amarradinha e (por incrível que pareça) melhor que os filmes anteriores... Mal vejo a hora de assistir Os últimos Jedi haha

    Ótima resenha =D
    Beijão!

    ResponderExcluir
  6. Ahhhhhhh Meu Deus! Esperei tanto por essa resenha!
    Algo me dizia que a Denise ia entender meus sentimentos em relação à esse filme XD
    Acho tão difícil falar sobre The Last Jedi sem dar spoilers. Os detalhes mais emblemáticos do filme, aqueles que arrepiam e que arrancam suspiros são geralmente spoilers kkk
    Mas vamos lá! Primeiramente, concordo 100% com o que vc escreveu!
    Pelas barbas de Obi Wan! Como esse filme me surpreendeu! Como diria Luke Mito Skywalker: "This is not going to go the way you think!"... Realmente, não aconteceu o que eu esperava. Por diversas vezes me vi pensando: "What the heck?" "O que tá acontecendo aquiiiiii??" hahaha
    Rian Johnson me trollou bonito nesse filme... mas me deixou feliz haha
    Não consigo ser objetiva ao falar de The Last Jedi. Acho que poderia passar horas discutindo sobre esse filme e ainda teria assunto.
    Alguns tópicos:
    Luke se consagrou como o Jedi mais épico everrrr!
    Chorei horrores com esse filme! Princesa Leia me deu um dos maiores sustos da vida huahua
    Filme nostalgia pura!
    Quase pulei da cadeira do cinema na cena de luta contra a Guarda Pretoriana
    The Last Jedi é visualmente lindíssimo! (Esperando saírem os Wallpapers em HD!)
    Reylo é shippável? É! Mas nananão! Aqui Rey e Poe! (Ainda acredito nesse shipp huahuahua)
    Falando em Poe Dameron... ahhh Poe Dameron <3 (suspiros kkkk)
    Quero um Porg fofíneo pra mim! XD
    ......
    Acho que já surtei o suficiente aqui! kkkkk
    O que mais ecoou na minha mente ao final do filme, foram as palavras do mestre Yoda no Episódio III:
    "Rejoice for those around you who transform into the Force."
    (Quem assistiu o filme vai entender o pq)
    E que venha 2019!

    Abraços!!!
    Priscila @farof4_pop

    ResponderExcluir
  7. Eu amo o Star Wars é um dos meus super-heróis favoritos, porque todos os seus filmes estão sob efeitos de mistério. Também os efeitos especiais são incríveis e ajudam nas cenas de ação, em geral é o meu favorito. Os Ultimos Jedi tem um ritmo bom e consegue nos prender desde o princípio e todos os elementos estão muito bem cuidados, sua fotograia e impecavél e sua trilha sonora é uma peça perfeita para este filme. Sou fã as filmes com Tom Hardy, por que ele sempre surpreende com os seus papeis, pois se mete de cabeça nas suas atuações e contagia profundamente a todos com as suas emoções na minha opinião, foi muito bem aceito.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!