Controle Remoto: Dark - Queria Estar Lendo

Controle Remoto: Dark

Controle Remoto: Dark

DARK, a nova série original da Netflix, é uma produção alemã que parece lembrar um pouco de  Stranger Things - se ST falasse sobre multiversos e não tivesse o sobrenatural - e 12 MonkeysDe Volta para o Futuro e Lost, que ainda assim apresenta uma filosofia e um plot bastante original e viciante.

Na pequena cidade de Winden, a vida de quatro famílias - os Nielsen, os Doppler, os Kanhwald e os Tiedmann - está ligada por gerações, um histórico que nos é contado a partir de um trágico evento: o desaparecimento de Mikkel Nielsen, um garoto de 11 anos, filho mais novo do policial Ulrich e da diretora do colégio local, Katharina.

A abertura da trama inicia com o suicídio de Michael Kahnwald, durante o verão, que deixa uma carta para ser aberta apenas após o dia 4 de novembro - carta essa que nunca chega nas mãos de seu filho Jonas, e sua esposa, Hanna. Sem entender realmente a morte do pai, Jonas passa por dificuldades que acabam por fazê-lo se afastar da cidade. E, agora que está de volta, quer apenas que as coisas voltem a ser como eram - o que não vai ser tão fácil assim.



Em paralelo, no começo da história também acompanhamos o primeiro desaparecimento - de Erik, um garoto de 15 anos. Enquanto a polícia segue em busca do paradeiro dele, Jonas e seus amigos - os irmãos Martha, Magnus e Mikkel - Bartosz Tiedmann e Franziska Doppler partem para a floresta em busca do esconderijo das drogas de Erik. Porém, um estranho evento acaba assustando o grupo que, ao correr desesperado pelo bosque, acaba se perdendo, dando assim o início verdadeiro da trama: o desaparecimento de Mikkel Nielsen.

Enquanto acompanhamos o desenrolar da trama em 2019, também somos levados aos anos de 1986 e 1953, onde eventos similares já aconteceram e parecem estar intrinsecamente ligados. A chegada de um estranho a Winden e a intrincada caverna no bosque, que acaba levando até a usina nuclear chefiada por Aleksander Tiedmann engrossam a história, criando novos mistérios e subtramas.

O envolvimento das 4 famílias no passado também trás um background interessante, desenvolvendo laços através de gerações e interligando as 3 diferentes datas temporais que acompanhamos ao longo dos 10 episódios, deixando claro que além de se tratar de uma história sobre multiversos e segredos, é uma história sobre a natureza humana e tudo aquilo que nos leva a ser quem somos hoje, os relacionamento pessoais, as descobertas da adolescência e a dor da perda.

Controle Remoto: Dark

Controle Remoto: Dark

Preciso confessar que estou completa e irrevogavelmente apaixonada por DARK. Atrasei vários dias para começar a ver a série porque tinha um pé atrás com o idioma - eu prefiro ver séries em inglês e espanhol porque não confio muito nas legendas e prefiro entender o que estão falando, além do que eu estou há dez mil anos para terminar Age of Youth e achei que podia passar por uma situação semelhante por causa do alemão, mas que nada! DARK é viciante, sempre que um episódio se encerra você não pode simplesmente parar ali, você definitivamente precisa de mais.

Por ser em alemão exigiu um pouco mais da minha atenção - não dá para ficar trocando mensagens naquela parte mais paradinha - mas não foi um incomodo de verdade. A série é bem feita, o roteiro é inteligente, foge o clichê e instiga a gente a querer saber mais, especialmente quando descobrimos algo no passado que afeta o futuro e ficamos ansiosamente esperando a reação dos personagens.

Toda a história de como tudo está interligado e que o tempo não é algo contínuo, como somos feitos para acreditar, mas algo que pode se dobrar e sobrepor me prendeu do começo ao fim, embora eu ache que isso já é um conceito mais conhecido para quem curte histórias com multiversos, mas realmente me surpreendeu e conquistou. Não costumo seguir histórias com viagem no tempo no estilo 12 Monkeys porque os paradoxos e as cagadas na linha temporal sempre me deixam angustiada, mas não tive como escapar de DARK, foi amor do começo ao fim.
Não tem aquele estranhamento na qualidade da produção como pode acontecer com séries com orçamentos menores ou produzidas longe de hollywood, a fotografia é linda demais, a direção acerta nos pequenos detalhes e a trilha sonora acerta muitíssimo. As atuações também são ótimas - embora eu fique um pouco em cima do muro com o ator do Jonas, mas isso pode ser porque eu tô putíssima da vida com a personagem - e o roteiro é simplesmente a melhor coisa do mundo.

É muito sério, eu tô tão apaixonada que já fui atrás de fanfic e chorei sangue quando não achei nada para saciar o meu vício.

Temos um núcleo de personagens pequeno, embora grande ao mesmo tempo, uma vez que conhecemos eles através de 3 gerações, mas não me senti perdida em nenhum momento. Os sobrenomes são um pouco mais difíceis de decorar - mas distinguir as famílias faz a diferença para você absorver o máximo da história - mas os nomes dos personagens são fáceis e você não confunde eles facilmente.

Controle Remoto: Dark
Controle Remoto: Dark
A Mundo Estranho fez esse mapa das famílias de DARK, o que é bem bacana para a gente não se perder
e acompanhar de boas a série.

A história, apesar do tema que pode confundir - e que me deixou questionando vários paradoxos até  o fim explicar um parte da história antes de me deixar com mais mil perguntas - é fácil de acompanhar, no fundo a primeira temporada é algo simples, e acredito que a segunda temporada vai trazer um aprofundamento além dos desaparecimentos e mais complexidade da trama, investindo nas mudanças da linha temporal.

Desde que assisti, estava bastante confiante na qualidade do material para garantir uma segunda temporada para trazer as respostas para as perguntas que eu ainda tenho e me encher de novas dúvidas, e a Netflix é bem rainha e já confirmou a segunda temporada mesmo!



No mais, a série tem seus momentos divertidos, de dar medo, de deixar ansioso e curioso e dar nó na cabeça, tudo aquilo que uma série excelente precisa para prender a gente do começo ao fim. Também foi muito legal ver os anos 50 e os anos 80 em um cenário que não a Inglaterra e os EUA. Embora a trama se passe no que, naquela época, era a Alemanha Ocidental, é bem interessante ver outras referências na história que não sejam tão hollywoodianas.

DARK é definitivamente o tipo de série que eu tô indicando para literalmente todo mundo acho que vou ter que amarrar a Denise e a Eduarda na frente do computador para assistirem, tho  porque não é algo que vai decepcionar ou "mais do mesmo". É mais um vício daqueles. Vai por mim e aproveita as férias com série boa!

Share this:

, , , ,

COMENTÁRIOS

20 comentários:

  1. Oi, Bianca!
    Menina, me sinto uma et por ainda não ter assistido essa série. O lance é que ela parece ser um tanto confusa no começo e esses dias andam uma correria. Quando acalmar mais, vou me sentar e concentrar pra maratonar.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Nossa, menina, dá uma chance. Dark é muito amor açlsdaslçdkaçsldklaskd

      bjs

      Excluir
  2. EU TAMBÉM ASSISTIIIIII! E olha, um pouco eu achei ela supervalorizada pelo pessoal, e outro pouco eu gostei PRA CARAMBA! Achei toda ela muito bem desenvolvida e cheia de pontas que se ligam com outras, uma doideira só. Geralmente abandono as séries, mas essa até darei uma chance pra segunda temporada, hahaha!

    Beijo!
    www.controversos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Caroline!

      Eu não vejo ninguém falando dela, então achei ela subestimada UAHSUAHSUAHSUAHSUAHSUAHS Até porque vi muita gente comparando tudo com Stranger Things e fiquei bem "bitch, please" com esse povo. Porque apesar de lembrar num primeiro momento, depois fica tão diferente. Mas eu amei muitíssimo ela. Não costumo curtir coisa do tipo e me surpreendi muito. Quero a segunda temporada jáááá.

      bjs

      Excluir
  3. Oi, Bibs

    Eu queria assistir a essa série, mas eu não tenho Netflix porque a internet aqui de casa é péssima. Eu gosto muito desse tipo de enredo e é a primeira vez que vejo alguém comparando a série com Lost, só vi comparações com Stranger Things mesmo.
    Estou curiosa para saber quais são estas interligações e para descobrir quais são esses paradoxos que você mencionou. Quanso eu conseguir mudar o provedor de internet aqui de casa eu vou assistir, não só essa, mas várias, pq essa internet podre já me impediu de assistir muita coisa bacana!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tamires!

      Aff, tem provedor que avacalha muito né? Recentemente também passamos por um estresse aqui em casa. Espero que sua internet melhore e você tenha a oportunidade de assinar a Netflix. Tem muita coisa boa no catálogo, recomendo pra todo mundo. E espero que possa ver Dark, que é maravilhosa <3

      bjs

      Excluir
  4. Oi, Bianca!

    E eu que achava Dark parecida só com It e Stranger things... Haahahaha. Assisti Dark até o quarto episódio e larguei porque tava parado demais e eu não tenho paciência não, maas tá todo mundo elogiando tanto, assim como a sua resenha que apresentou vários pontos positivos, que provavelmente vou acabar dando uma segunda chance pra série hahaha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!

      Realmente, a série não é de muita ação. Se você não se conecta com os personagens pode dar preguiça. Mas eu recomendo ir até o fim, se você curtiu o que viu até o quarto, apesar do ritmo, não vai se arrepender de finalizar!

      bjs

      Excluir
  5. Quero assistir! Um amigo me disse que é muito boa XD

    Beijão
    Toca da Lebre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dora!

      Vai fundo, flor. Vai amar!

      bjs

      Excluir
  6. Ainda não tive coragem de assistir, mas não é a primeira pessoa que vejo elogiando, muitas pessoas estão falando bem dessa série :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Monique!

      A série dá medo não, mas é excelente para fãs de mistério. Super recomendo.

      bjs

      Excluir
  7. Eu tenho certeza que vou amar a série, só estou evitando assistir pois sei que vou amar tanto a ponto de passar o dia todo vendo e parar minha leitura, então vou deixar para ver quando tiver ultrapassado algumas metas de leitura!
    Beijos <3
    Estante Clássica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nívea!
      Comigo foi bem assim aushaushaushauhs não consegui fazer mais nada antes de terminar. Mas são só dez episódios, então você vê rápido. Corre lá ;)

      bjs

      Excluir
  8. Oi Bibs, tá na minha lista de séries pra assistir, mas não estava pensando em ver agora, vou até passar na frente de algumas depois dessa resenha, ainda bem que a Netflix já renovou!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!

      Vai fundo flor, recomendo muitíssimo. ;)

      Excluir
  9. Oii Bianca, tudo bem? tanta gente falando bem dessa série, acho que só eu que ainda não assisti hahahahah preciso dar um jeito nisso.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Assista, mulher, vale suuuuuuuuuuper a pena. ;)

      bjs

      Excluir
  10. Estou louca para assistir essa série. Estou com um pouco de medo de ter coisas assustadoras. O que você achou?
    Vitoria Martins

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vitória!
      Não tem coisas assustadoras, pelo menos eu não achei. A tensão é muito mais por parte do mistério do que por criaturas assustadoras e coisas do tipo. Vai sem medo. ;)

      bjs

      Excluir

Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!